Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
12:16 | Transportes
Propostas apresentadas no processo reaberto em Agosto significam uma melhoria de 18 milhões de euros face ao preço que os catalães da TCC tinham oferecido no concurso lançado há um ano.
14:39 | Bolsa
As principais praças norte-americanas iniciaram o dia a negociar no vermelho depois de novos indicadores sobre a melhoria do mercado de trabalho norte-americano ter elevado a especulação relativa à subida de juros por parte da Reserva Federal.
12:22 | Bolsa
A bolsa nacional acompanha as perdas na Europa, pressionada, sobretudo, pelas desvalorizações superiores a 2% da Jerónimo Martins e da Galp Energia. Os investidores aguardam a divulgação dos dados do emprego nos Estados Unidos.
As taxas de juro associadas às obrigações dos países periféricos da Zona Euro estão em queda generalizada depois de o BCE ter mostrado disponibilidade para incrementar a política de estímulos económicos iniciada a 9 de Março.
09:51 | Bolsa
Os principais índices bolsistas europeus negoceiam em queda, depois de ter sido divulgado que as encomendas à indústria alemã caíram mais do que era esperado. Além disso, os investidores aguardam a divulgação dos dados do emprego nos EUA.
09:46 | Política
O departamento de análise económica do BBVA prevê agora um crescimento de 1,7%, contra os 2% anteriormente estimados e junta-se à UTAO ao indicar que Portugal deverá falhar a meta do défice.
11:28 | Europa
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, assegurou esta sexta-feira em Lisboa que o Reino Unido vai receber milhares de refugiados sírios a juntar aos 5.000 que já reinstalou, mas remeteu pormenores para a próxima semana.
O jornal polaco Gazeta Wyborcza avança que o partido Plataforma Cívica, poderá enviar o projecto de lei de volta à câmara baixa do Parlamento, que poderá não ter tempo de aprová-lo antes das eleições legislativas agendadas para 25 de Outubro.
07:53 | Bolsa
A EDP Renováveis estará a preparar-se para criar uma nova filial de energias renováveis e cotá-la na bolsa espanhola nos primeiros dias de Outubro, noticia esta sexta-feira a publicação espanhola El Confidencial.
08:58 | Obrigações
A Energias de Portugal (EDP) contratou o Deutsche Bank e o UBS para coordenarem uma emissão de dívida híbrida em euros, juntamente com outros cinco bancos. O "road show" deverá começar a 7 de Setembro, avança a Bloomberg.
As bolsas europeias estão a negociar em queda, depois de terem valorizado mais de 2% na sessão de ontem, impulsionadas pelo BCE. Hoje, os investidores aguardam pela divulgação dos dados do emprego nos EUA para obterem pistas sobre os próximos movimentos da Fed.
11:29 | Economia
O conselho de ministros deverá aprovar esta sexta-feira a devolução dos restantes 25% de um salário de 2012, o que terá um custo de 1.281 milhões de euros.
PUBLICIDADE
Editorial
  • Helena Garrido
    Mais dinheiro, agora para combater a tempestade chinesa. O BCE prometeu comprar mais dívida pública aos Estados do euro, na perspectiva de assim conseguir evitar que a recuperação europeia seja de novo adiada, desta vez pelos ventos que vêm da China. Bastou Draghi falar. O euro afundou, as bolsas festejaram e o petróleo subiu. Se os Estados Unidos estiverem a resistir, tudo pode seguir o que estava planeado e a Fed aumentará as taxas de juro. Ajudando ainda mais a Zona Euro.
  • André Veríssimo
    Há a Alemanha dos neonazis que atacam campos de refugiados indefesos. Do Pegida, o partido anti-islâmico, que organiza manifestações xenófobas. E há a Alemanha das faixas e cartazes a dar as boas-vindas aos refugiados, exibidas durante jogos de futebol da Bundesliga. Dos donativos muito para lá do necessário dos cidadãos de Munique.
  • Helena Garrido
    O processo de venda do Novo Banco sofreu a primeira derrota. As negociações com os chineses da seguradora Anbang fracassaram. Entra na corrida a Fosun, o grupo chinês que melhor conhecemos. Há males que podem vir por bem. Mas vale a pena revisitar a ainda pequena história deste processo de venda, inusitadamente opaco, mas já com algumas perguntas sem resposta.
00:01 | Europa
Alemanha, por um lado, e Hungria e Reino Unido, por outro, têm sido os rostos das posições mais antagónicas quando, na Europa, se discute como repartir a responsabilidade pelo acolhimento dos refugiados. Perceba o que os separa.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • A austeridade orçamental, no Reino Unido, tornou-se de tal forma num instrumento de sabedoria convencional, que quem, na opinião pública, ousar desafia-la é imediatamente classificado de perigoso esquerdista.
  • Os esforços do governo chinês para conter a recente volatilidade do mercado de acções – as mais recentes medidas proíbem vendas a descoberto e vendas pelos principais accionistas – prejudicaram gravemente a sua credibilidade. Mas os fracassos da política da China não são uma surpresa. Os responsáveis políticos chineses não são os primeiros a gerir mal os mercados financeiros, a moeda e o comércio.
  • O Buda, Sidarta Gautama, não representou nenhum elo ao ódio religioso ou animosidade racial. E ainda assim o chauvinismo budista ameaça agora o processo democrático, tanto em Myanmar (Birmânia) como no Sri Lanka.
  • A 1 de Agosto, o Exército Popular de Libertação da China (EPL) celebrou o seu 88.º aniversário. Mas os 2,3 milhões de soldados do país têm pouco de comemorar. Na véspera do aniversário, o ex-general superior do EPL, Guo Boxiong, foi expulso do Partido Comunista sem cerimónias e entregue aos procuradores militares para enfrentar acusações de corrupção, incluindo alegações de que terá aceite elevados subornos de colegas oficiais do EPL em troca de promoções. E Guo não será o último oficial do EPL a enfrentar tais acusações.
  • As eleições parlamentares do Sri Lanka este mês prometem moldar não só o futuro político do país, mas também a situação geopolítica na região do Oceano Índico, um centro global de fluxos de comércio e de energia, que é responsável por metade do tráfego mundial de contentores e 70% dos embarques de petróleo.
03 de Setembro | Turismo & Lazer
O negócio era dado como certo, mas a melhoria do contexto económico e a forte recuperação do turismo mudaram as regras do jogo. Pedro Queiroz Pereira recusou a oferta de 190 milhões de euros pelo Villa Magna, uma unidade hoteleira de luxo na capital espanhola.
pub

 

pub

4
Sexta-feira
Setembro 2015