Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
10:12 | Conjuntura
A taxa de desemprego portuguesa voltou a cair em Setembro. Desta vez, dos 13,9% para os 13,6%, mostram os números do Eurostat. Está 2,1 pontos percentuais abaixo do valor do mesmo mês de 2013.
10:02 | Bolsa
O principal índice da praça de Lisboa acentuou os ganhos registados no início da sessão e segue a valorizar 1,76%. Entre as congéneres europeias, os ganhos também superam mais de 1% num dia em que o banco central do Japão aumentou os estímulos à economia.
Dexter Goei, presidente executivo da Altice, garante, em entrevista ao Diário Económico, que está pronto a avançar muito em breve para a compra da PT Portugal. O grupo francês pretende reforçar o investimento e criar cerca de quatro mil postos de trabalho
O grupo brasileiro revela que os contactos para a consolidação do sector das telecomunicações no Brasil não estão a ser feitos apenas com a Claro, mas também com outras operadoras.
30 de Outubro | Finanças Públicas
Em base comparável, durante os dois últimos anos do Governo de José Sócrates a dívida pública aumentou mais de 54 mil milhões de euros. Durante os três anos do actual Governo subiu cerca de 28,5 mil milhões, disse a ministra das Finanças no Parlamento citando dados do Banco de Portugal.
30 de Outubro | Finanças Públicas
Entre 2010 e 2015 o défice orçamental sem medidas extraordinárias baixará 10,3 mil milhões de euros. 73% chegará por mais receita, quase toda impostos, calculou a UTAO.
30 de Outubro | Economia
Quando questionado sobre a reforma do Estado, Paulo Portas disse que teve a atribuição de "propor ao Conselho de Ministros um conjunto de orientações para a reforma do Estado" e que o documento foi proposto, debatido e aprovado na reunião do Conselho de Ministros.
30 de Outubro | Economia
"Este caminho está a produzir bons resultados", afirmou o ministro da Economia no Parlamento. António Pires de Lima sustentou que a economia portuguesa está em "recuperação" com base em "três motores": exportações, consumo privado e investimento.
30 de Outubro | Energia
Pressionada pela valorização do dólar, a EDP aumentou em Setembro a sua dívida para 17,5 mil milhões de euros. Mas António Mexia, que classifica como "positivos" os resultados deste ano, garante até Dezembro uma redução.
30 de Outubro | Empresas
O grupo reviu o plano de investimento para a rede de lojas na Polónia, que leva um corte de cerca de 100 milhões na rede da Biedronka. Dois novos centros de distribuição serão abertos no quarto trimestre.
09:21 | Justiça
O Tribunal da Relação de Lisboa rejeitou o recurso interposto por Ricardo Salgado, no âmbito do caso Monte Branco, para a redução da caução de três milhões de euros, noticia esta quinta-feira Correio da Manhã.
30 de Outubro | Banca & Finanças
O presidente do BESI vem esclarecer que não esteve envolvido em transacções que poderão ter causado um "buraco" de 800 milhões de euros no antigo BES.
30 de Outubro | Banca & Finanças
O Montepio terminou os primeiros nove meses do ano com um lucro de 22,6 milhões de euros, o que compara com um prejuízo de 205 milhões verificado em igual período do ano passado.
30 de Outubro | Indústria
A Inapa deverá apresentar lucros no final do ano, depois de ter registado 800 mil euros de resultados líquidos positivos nos primeiros nove meses.
30 de Outubro | Bolsa
Outubro foi um mês negro para as bolsas. E especialmente pouco simpático para Warren Buffett. Perdeu cerca de 2 mil milhões de dólares na Coca-Cola e na IBM. E admitiu o "erro" na Tesco. Estará a perder os dotes?
PUBLICIDADE
00:01 | Poupança
No Dia Mundial da Poupança, o Negócios deixa-lhe 13 dicas para que possa gerir melhor o seu dinheiro. Veja quais são.
A queda do BES levou as poupanças de milhares de portugueses, mas retirou-lhes também confiança. Muitos perderam quase tudo. No BES, perdeu-se muito mais do que um banco. E há lições que se aprenderam.
10:00 | Poupança
Há boas oportunidades de investimento nos mercados financeiros. Das acções à dívida, passando pelas divisas e algumas matérias-primas, veja quais as 10 melhores ideias para aplicar o seu dinheiro.
00:50 | Empresas
As empresas têm controlado os chamados custos "core", mas várias outras rubricas são negligenciadas. Três especialistas deixam sugestões para transformar "gorduras" em resultados, através da racionalização de custos.
10:00 | Poupança
Com a turbulência no sector financeiro, muitos portugueses reequacionaram a aplicação das suas poupanças. Muitos trocaram de instituição, outros procuraram alternativas. Conheça três formas de ter o dinheiro aplicado fora dos bancos.
00:01 | IRS
Desde 2012 que as deduções à colecta no IRS deixaram de ser o que eram: no espaço de três anos emagreceram mil milhões de euros. Mas ainda restam algumas, que valem a pena levar em conta na hora de preencher a declaração de IRS deste ano.
00:01 | Poupança
A crise veio mudar os hábitos de poupança. Mas antes dela já muitas famílias geriam o orçamento mensal com disciplina. Objectivo: terem uma rede de segurança para não serem apanhadas desprevenidas.
00:01 | Poupança
As alterações contabilísticas introduzidas há um mês provocaram uma revisão em baixa da taxa de poupança das famílias, que está estagnada há quase dois anos. Portugueses poupam um em cada dez euros.
01:11 | Media
O Jornal de Negócios venceu esta quinta-feira à noite o prémio dos Meios & Publicidade de melhor título de informação económica.
Editorial
  • André Veríssimo
    Foi você que pediu para subscrever aquelas obrigações do banco, o papel comercial da empresa A e B, ou comprar acções num aumento de capital? Ou fê-lo porque foi contactado pelo gestor de conta a dizer-lhe que se tratava de uma boa oportunidade? Muitos aforradores apreenderam da pior maneira as consequências que acarreta uma atitude passiva perante as sugestões do banco.
  • André Veríssimo
    A parca dimensão do mercado accionista português não impede que nos últimos anos tenha sido palco de um ror de crimes, capaz de preencher várias entradas numa enciclopédia sobre o tema. Há um pouco de tudo. O que vai faltando é quem os condene.
  • Celso Filipe
    Os bolos em camadas são uma especialidade transversal a todos os governos portugueses. Expliquemo-nos. Em vez de se começar de novo, em Portugal vão-se criando instituições por cima umas das outras. Imagine um bolo de bolacha. Coloca-se uma primeira fiada de bolachas, depois besunta-se com creme e esta operação vai-se repetindo até construir um bolo de altura generosa.
  • Celso Filipe
    Os brasileiros, tal como os portugueses, são peritos em diagnósticos. Conhecem, em profundidade, os seus defeitos, a origem dos mesmos e os problemas que provocam. Dilma Rousseff, reeleita presidente do Brasil, prometeu no seu discurso de vitória uma reforma política, o combate à corrupção e a construção de um país "mais inclusivo, mais moderno e produtivo".
30 de Outubro | Finanças Públicas
O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse este quinta-feira que a Grécia, que espera terminar a assistência financeira internacional antes do previsto, ainda "está longe" de poder financiar-se apenas nos mercados.
30 de Outubro | Autarquias
O Orçamento do Estado para 2015 estipula que só as autarquias que tenham um peso de gastos com pessoal nas receitas inferior a 35% é que podem contratar no próximo ano praticamente sem restrições.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • O que é necessário para gerar uma resposta mundial a uma ameaça global? A crise financeira de 2008 e as ameaças decorrentes da insurreição e do terrorismo em 2014 são vistos por todos como "perigos evidentes e actuais" - e ambos provocaram uma reacção à escala mundial.
  • Desde que os caçadores-recolectores começaram a construir as suas próprias moradas, há cerca de 14.000 anos, ser dono de uma casa tem sido um sinal de elevado estatuto social e económico.
  • Os mercados obrigacionistas são notoriamente instáveis, muitas vezes impulsionados pelo sentimento, mais do que por uma análise macroeconómica rigorosa. E, como a crise financeira global de 2008 demonstrou, estão longe de ser infalíveis, podendo ser particularmente pouco fiáveis na avaliação das perspectivas de longo prazo de uma economia.
  • No mais recente encontro dos ministros das Finanças do G-20, na Austrália, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, sublinhou as "diferenças filosóficas face a alguns dos nossos parceiros na Europa" antes de instar aos europeus para que façam mais de forma a impulsionar as suas anémicas taxas de crescimento. Esta terminologia é surpreendente e realça as dificuldades da Europa para encontrar um caminho para sair do mal-estar actual.
  • Com a atribuição final das pastas do seu braço executivo, a Comissão Europeia, a União Europeia concluiu o seu render da guarda. O processo demorou quase quatro meses, depois das eleições para o Parlamento Europeu em finais de Maio, e o resultado final baseou-se inevitavelmente numa série de compromissos – algo que se deve esperar quando se trata de uma UE formada por 28 Estados muito susceptíveis.
30 de Outubro | Banca & Finanças
As condições à concessão de empréstimos deverão manter-se inalteradas no quarto trimestre, o primeiro que vai sentir na globalidade a resolução do BES, decidida em Agosto. Só nos créditos de curto prazo a empresas é que haverá mais facilidades.
30 de Outubro | Finanças Públicas
O banco norte-americano prevê menos crescimento neste ano, 0,9%, e no próximo, 1,7%. No primeiro caso, a nova previsão fica abaixo da do Governo (1%); no segundo, fica acima (1,5%), o que não impede uma previsão bem mais elevada de défice.
30 de Outubro | Empresas
O regulador de telecomunicações exigiu que a operadora de telecomunicações Vodafone dê acesso livre à gama de numeração 760. Esta determinação não prejudica a instauração de processo contra-ordenacional.
dossier Weekend
António Serra Lopes: Este Governo não tem uma ideia de país
Completou este ano oito décadas de vida e cinco de exercício de uma profissão. No gabinete de advocacia, onde ainda vai todos os dias - na sua perspectiva agora já "à malandro" - respira-se essa realidade. Em livros, quadros e retratos. Lá está Maria de Jesus Serra Lopes, a sua mulher. Lá estão os netos. Lá estão também alguns dos seus amigos: Sá Carneiro, Mário Soares ou Jorge Sampaio. Na política, diz, o coração bate pelo centro-esquerda. Preocupa-o, ao cidadão António Serra Lopes, a forma como a riqueza é distribuída; e também a falta de um rumo para o país e para a Europa.
pub
pub

31
Sexta-feira
Outubro 2014

    negócios opinião