Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
A descida do petróleo ditou uma nova redução dos preços dos combustíveis. Em vários postos, os preços das gasolina e do gasóleo baixaram três cêntimos, mas no Jumbo de Santo Tirso baixou mais: está abaixo de um euro.
23:05 | Energia
A Galp lançou uma parceria com o Continente com um dos melhores descontos do mercado liberalizado. Mas há operadores, como a YLCE, que têm condições mais vantajosas na factura de electricidade.
23:29 | Economia
A resolução do BES tem efeitos negativos, mas são difíceis de medir e por enquanto foram pouco visíveis, sendo até ultrapassados pelo impacto do abrandamento externo. Os piores cenários não se concretizaram.
20:44 | Petróleo
A queda do preço do petróleo está a ter efeitos devastadores na economia da Rússia ou da Venezuela, mas no final a economia mundial vai sair a ganhar.
21:25 | Energia
A companhia eléctrica liderada por António Mexia optou por alienar o direito de receber o valor do défice tarifário acumulado no ano de 2012. Esta é uma forma de encaixar dinheiro mais rapidamente, apesar de receber um valor inferior pelo défice tarifário.
14:00 | Energia
O Governo previa que a dívida tarifária a partir do próximo ano diminuísse, atingindo 600 milhões de euros em 2020, mas a última estimativa aponta agora para 1.000 milhões de euros, segundo um relatório de Bruxelas.
23:15 | Autarquias
A troika obrigou as câmaras a reduzir pessoal e, desde 2010, saíram mais de 20 mil funcionários. Apesar disso, em 2015 a despesa com pessoal deve ser igual à de 2010. Governo justifica com as empresas municipais.
A empresa portuguesa foi obrigada a esclarecer quanto tem e com quanto ficará na Oi e na CorpCo (nova Oi). A PT SGPS detém, directa e indirectamente, 39,73% da Oi, mas ficará com 25,6% da CorpCo, conforme se tem escrito.
23:10 | Aviação
Oficialmente, enquanto o processo de reprivatização da companhia não é reaberto, a TAP poderá negociar com a banca. O Executivo ainda não tomou a decisão quando é que entrará em vigor a restrição de acesso ao crédito.
O valor total da dívida pública de Portugal desceu quase 2%, em Outubro, quando comparado com o mês anterior, o que já não acontecia desde Junho. Excluindo o efeito dos depósitos, a dívida aumentou.
A queda do valor do rublo provocou a primeira vítima oficial no sector da banca do país: o Trust Bank. O banco central da Rússia vai injectar 30 mil milhões de rublos (434 milhões de euros) na entidade com o objectivo de evitar a sua falência.
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) rejeitou o acordo para encerrar o processo administrativo sancionador contra Zeinal Bava, ex-presidente da Oi, noticiou o Valor.
12:29 | Imobiliário
O preço das habitações voltou a crescer no terceiro trimestre, configurando o quarto trimestre consecutivo em que o preço das casas regista uma variação homólogo positiva. Ainda assim, a subida dos preços das casas abrandou face ao segundo trimestre.
PUBLICIDADE
21:12 | O Negócios
O Negócios lançou novas aplicações para telemóvel e tablet com os sistemas operativos iOS e Android. Entre aqui para conhecer as novas funcionalidades e saber como descarregar as novas App para iPhone, iPad e outros tablet e "smartphones".
22:30 | Bolsa
A recuperação dos resultados das empresas e as avaliações atractivas serão alguns dos factores que vão justificar os ganhos das acções europeias no próximo ano, sobretudo das empresas cíclicas e do sector financeiro, diz Rory Bateman.
23:08 | Automóvel
É a única marca “premium” a figurar entre as cinco mais vendidas em Portugal, crescendo acima do ritmo geral do mercado automóvel. Em tempo de balanços, o registo é de 10 mil carros vendidos em 2014.
18:41 | Política
O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afirmou esta segunda-feira que 2014 foi um ano "bastante intenso" em que o Governo conseguiu completar "tarefas muito importantes" para o país "sem suscitar dúvidas" aos credores e "preservando a paz social".
18:18 | Política
O Presidente da República perspectiva o ano que se avizinha como um período difícil para “quem tem de governar”, mas garante que o Governo poderá contar com a “cooperação institucional, leal e aberta” da presidência.
12:11 | Coimbra
O concelho de Coimbra é o segundo analisado na iniciativa Negócios é Portugal. Veja, em números, o retrato do concelho. E, se for assinante, veja a folha de cálculo com os dados que serviram de base à infografia.
O presidente da Entidade Regional do Turismo do Algarve, Desidério Silva, sublinha, sobre os dados deste ano até Outubro, que a região "continua a ser o motor do turismo em Portugal".
O comentador da TVI respondeu este domingo às acusações de Ricciardi e afirmou que teria "mágoa" e "vergonha" se tivesse contribuído para "delapidar o património de milhões de portugueses".
Editorial
  • Helena Garrido
    A Comissão Europeia acusa o Governo de recuar nas reformas estruturais e de dificultar o acesso a informação relevante durante o primeiro exame pós-troika. Está no seu primeiro relatório. Deve ter com certeza toda a razão. Lamentável é que se exclua das responsabilidades do que se passou no BES durante o tempo em que cá esteve a fiscalizar o país. Uma autocrítica não lhe teria ficado mal.
  • Helena Garrido
    Portugal mudou como nunca imaginámos que poderia mudar. A Rússia renasceu, reacendeu velhas divergências dentro da Europa e enfrenta de novo a ameaça da crise pela mão da poderosa líder do ouro negro, a Arábia Saudita. O fundamentalismo islâmico ressuscitou meticuloso na forma de Estado Islâmico. O mundo e Portugal estão mais incertos, ainda.
  • André Veríssimo
    O histórico anúncio do restabelecimento das relações diplomáticas entre os EUA e Cuba, um dos últimos vestígios da Guerra Fria, acontece no mesmo ano em que as relações entre a Rússia e o Ocidente voltaram a gelar por causa da Ucrânia. É mais um míssil apontado à influência internacional do Kremlin que, por estes dias, enfrenta o mais sério teste ao regime.
21:36 | Bolsa
As principais bolsas norte-americanas fecharam em alta, sustentadas sobretudo pela valorização dos títulos tecnológicos, com a Intel e a rede social Facebook a liderarem os ganhos.
16:48 | Bolsa
A praça lisboeta acabou por fechar em queda numa sessão em que alternou entre ganhos e perdas. O BPI, ao recuar mais de 3%, e a Galp Energia, ao ceder acima de 2%, penalizaram o PSI-20.
16:48 | Bolsa
As acções da Mota-Engil e da unidade africana subiram mais de 7%, depois de ter sido anunciada a adjudicação de novos projectos à Mota-Engil África.
08:51 | Mercados
As taxas de juro de Portugal estão em queda em todos os prazos, acompanhando a tendência de queda que se verifica na esmagadora maioria dos países europeus. A taxa associada à dívida a 10 anos já renovou os mínimos históricos.
08:00 | Economia
O terramoto que a queda do BES trouxe teve uma peça central depois do jantar de domingo, 3 de Agosto. A declaração do governador é transmitida em directo na televisão. Estava encontrada a solução para o BES, entre o "bom" e o "mau". Na PT, Granadeiro avisa que vai sair. Pelo meio, há um Orçamento do Estado 'rectificado' pelos chumbos do TC.
Bem no Extremo Oriente, os fundos de ações japonesas são uma oportunidade interessante de investimento. As obrigações em ienes nem por isso...
10:17 | Justiça
A irmã do rei de Espanha vai sentar-se no banco dos réus, juntamente com outras 16 pessoas - incluindo o marido - e ser julgada como cooperante nos delitos fiscais alegadamente praticados por Iñaki Urdangarin.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • A Reserva Federal dos Estados Unidos é o banco central mais importante do mundo. As suas decisões sobre taxas de juro e regulação financeira têm repercussões nos mercados globais e afectam milhões de vidas. No entanto, a sua estrutura de governação está ultrapassada – é antiquada, cada vez mais problemática, e necessita urgentemente de uma reforma sensata.
  • A massiva campanha anti-corrupção do presidente chinês, Xi Jinping, logrou progressos numa série de objectivos fundamentais: avançou muito para restaurar a confiança no compromisso do Partido Comunista de criar um sistema baseado no mérito; contrariou um padrão de décadas de dominação do sector público; reduziu o poder dos interesses criados para bloquear a reforma; e reforçou a popularidade de Xi entre os actores do sector privado. Em suma, o esforço de Xi para erradicar a corrupção reforçou o poder tanto do Partido como dos reformistas. A questão é quão longe irão com as suas ambições de reforma.
  • A recente decisão do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) de aumentar o âmbito dos seus estímulos à economia (expressos na chamada flexibilização quantitativa, que se traduz sobretudo na compra de activos) é um sinal de que pode estar em vias de surgir uma nova ronda de guerras cambiais. O esforço do BoJ para debilitar o iene é uma abordagem de concorrência desleal que está a motivar reacções políticas por toda a Ásia e no resto do mundo.
  • Numa altura em que a Europa celebrou recentemente o 25º aniversário da queda do Muro de Berlim, pairam novamente nuvens negras sobre o continente. Tal como não houve nada de inevitável nas importantes mudanças que se seguiram ao final da Guerra Fria, a convergência económica e política na Europa a que nos habituámos também não foi previamente determinada. O ímpeto rumo à integração continua a ser forte; no entanto, especialmente desde a crise financeira mundial de 2008, surgiram forças contraditórias, ameaçando desfazer grande parte do progresso que foi alcançado.
  • O ano de 2015 será a grande oportunidade da nossa geração para fazer avançar o mundo em direcção ao desenvolvimento sustentável. As três negociações de alto nível entre Julho e Dezembro podem reorganizar a agenda mundial de desenvolvimento e dar um impulso importante a alterações decisivas no funcionamento da economia mundial. Com o apelo do secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, a favor da adopção de medidas no seu relatório "O Caminho para a Dignidade", o Ano do Desenvolvimento Sustentável começou.
A gestora de investimentos e o fundo de investimentos norte-americanos chegaram a acordo para comprarem conjuntamente a agência de notação canadiana DBRS, a quarta maior do mundo. De acordo com estas empresas, o negócio, do qual não são ainda conhecidos os valores envolvidos, deve ser concretizado já no primeiro trimestre do próximo ano.
21 de Dezembro | Finanças Públicas
O Governo autorizou a realização de aumentos de capital em 18 hospitais públicos, com o objectivo de impedir a acumulação de dívidas em atraso e levar os fundos próprios destes hospitais para valores positivos.
pub

pub

22
Segunda-feira
Dezembro 2014
    Premiar e promover o sucesso das empresas nacionais

    negócios opinião