Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
14:05 | Justiça
Ricardo Salgado arrisca coima de dez milhões de euros
O antigo presidente do BES, Ricardo Salgado, será um dos ex-gestores mais visados nas infracções detectadas na linha de investigação da auditoria forense relacionada com a violação das determinações do Banco de Portugal.
O antigo banqueiro reage à auditoria forense defendendo que sempre contribuiu para a descoberta da verdade mas que tal só acontecerá efectivamente quando tiver direito ao contraditório, o que, considera, ainda não aconteceu.
Salgado pediu ajuda a Moedas. O antigo governante ficou com medo do impacto da queda do GES na saída limpa. Ainda assim, o antigo secretário de Estado afirma nada ter feito, a não ser ter comentado o caso com o presidente da CGD. Mas sem instruções. Sobre a coordenação entre supervisores estrangeiros, inscrita no memorando, Moedas diz não saber responder.
O presidente do BCE procurou afastar os receios dos investidores sobre a eficácia da compra dívida pública que chegará segunda-feira ao terreno, e apresentou previsões de crescimento mais optimista para Zona Euro.
Mario Draghi anunciou que o BCE irá começar a comprar dívida pública ao abrigo do programa de expansão quantitativa na segunda-feira, dia 9 de Março, e já vê impactos das medidas que adoptou. As previsões para o crescimento da economia foram revistas em alta.
O BCE já emprestou à Grécia mais de 100 mil milhões de euros, quase metade do PIB grego e o maior valor da Zona Euro e hoje autorizou um ligeiro aumento no limite de empréstimos que os bancos podem obter junto do banco central da Grécia. Frankfurt continuará a não aceitar dívida pública grega, mas Draghi avança que a situação poderá ser revertida com uma aplicação rápida do recente acordo entre o Governo grego e o Eurogrupo.
17:23 | Câmbios
A moeda única acentuou a tendência de queda depois da conferência de imprensa de Mario Draghi, onde o presidente do BCE explicou os pormenores do programa de compra de dívida.
16:49 | Bolsa
A bolsa nacional encerrou a sessão com uma subida de 1,72%, acompanhando o optimismo das congéneres europeias. A impulsionar estiveram, sobretudo, os ganhos superiores a 2% da Sonae, Jerónimo Martins e grupo EDP.
15:11 | Bolsa
A empresa liderada por Francisco Lacerda deixou cair o compromisso de entregar 90% dos resultados aos investidores, uma decisão que, na opinião dos analistas, está a castigar as acções.
12:57 | Bolsa
Os títulos da Jerónimo Martins fecharam a sessão desta quinta-feira a ganhar mais de 2,5% depois de os analistas terem sublinhado a capacidade da empresa para gerar "cash-flow".
As receitas da Altice provenientes de Portugal, através da Cabovisão e da Oni, caíram 13% no ano passado. Mas caso o grupo francês já tivesse adquirido a PT Portugal em 2014, representariam 60% das receitas internacionais e 17% do bolo total.
A Vodafone foi quem mais clientes captou no final de 2014 no segmento de televisão paga. A Nos manteve a liderança, apesar de continuar a perder quota, enquanto a Meo registou uma ligeira melhoria.
12:48 | Automóvel
A taxa de penetração desta instituição de financiamento automóvel do grupo alemão é de 30% no país. Com a oferta de novos produtos, a intenção é a de ver o indicador a crescer.
14:40 | Bolsa
As bolsas dos Estados Unidos iniciaram a sessão em alta com as declarações de Mario Draghi e apesar dos dados decepcionantes sobre o mercado de trabalho norte-americano. Os pedidos de subsídio de desemprego atingiram o nível mais elevados dos últimos nove meses.
00:01 | Empresas
Administração do BPI não chegou a acordo sobre como avaliar valor e oportunidade da OPA do CaixaBank. Avaliação da insuficiência do preço e efeito na corrida ao Novo Banco serão os temas da divergência. Catalães não participaram no encontro.
A disponibilidade do BCP para uma fusão com o BPI foi subscrita pelo seu maior accionista, a Sonangol. As decisões estratégicas da petrolífera estatal angolana passam sempre por um núcleo político restrito liderado por José Eduardo dos Santos.
O Tribunal de Justiça da União Europeia confirmou esta quinta-feira o acórdão sobre a recuperação da ajuda estatal prestada ao Banco Privado Português (BPP), reiterando que o Estado tem direito a reaver um crédito adicional de 24 milhões de euros.
PUBLICIDADE
O administrador financeiro da PT, Pacheco de Melo, acusa os responsáveis do Grupo Espírito Santo de terem "enganado e defraudado a PT". E garante que nunca foi intenção da PT transferir para a Oi um activo tóxico.
José Maria Ricciardi quer que a TVI transmita um direito de resposta sobre declarações feitas por Marcelo Rebelo de Sousa em Dezembro. O canal recusou por ter muito tempo e questões ofensivas. A ERC obrigou, agora, a TVI a passar a resposta apenas se as declarações desprimorosas forem retiradas.
17:59 | Economia
Vítor Gaspar lembrou que, embora um excedente também provoque desequilíbrios, um credor não está limitado financeiramente.
17:40 | Empresas
O Governo anunciou hoje que vai iniciar negociações com as empresas cotadas em bolsa para que estas se comprometam a incluir pelo menos 30% de mulheres nos respectivos conselhos de administração até ao final de 2018.
17:55 | Desporto
O Expresso diz que Bruno de Carvalho, presidente do Sporting, escreveu uma carta ao vice-presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina, a exigir o pagamento de 40,6 milhões de euros em apoios, para dessa forma igualar a verba recebida pelo Benfica desde 1990.
14:07 | Justiça
É o grande argumento da defesa de Sócrates e de Santos Silva: que a acusação não tem provas que sustentem uma acusação pelo crime de corrupção. Carlos Alexandre está convencido que sim, diz a Sábado na sua edição de hoje.
00:01 | Economia
O Fisco procedeu, esta terça-feira, a uma penhora de fibra óptica da Fundação Champalimaud, que viria a ser levantada - "em resultado da prestação de outra garantia", diz o Estado; "houve um erro da Autoridade", contrapõe a Fundação.
09:51 | Justiça
As empresas pagavam para ter atestado de situação regularizada. Valores variavam entre dois mil e cinco mil euros, noticia o Correio da Manhã. A investigação não descarta novas detenções.
As renúncias à ADSE justificaram 7% da redução do número de beneficiários deste subsistema. 3.339 pessoas rescindiram o seu contrato com o subsistema desde 2014, altura em que os descontos dispararam para níveis máximos.
Editorial
  • Celso Filipe
    Alexis Tspiras acusou Portugal e a Espanha de formaram um "eixo contra Atenas". Yanis Varoufakis vai a Itália e numa entrevista insinua que também os italianos têm uma dívida insustentável. Portugal queixa-se de Tsipras ao Eurogrupo. O Governo grego diz que Tsipras foi mal interpretado. A Espanha anuncia que a Grécia vai pedir um terceiro resgate num montante que oscila entre os 30 e os 50 mil milhões. O Eurogrupo desmente. Uma questão de semântica. Não é um resgate é um contrato. O presidente da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker, e a chanceler alemã, Angela Merkel, consideram ser prematuro falar da questão.
  • André Veríssimo
    Ao terceiro dia Pedro Passos Coelho optou pela estratégia da vitimização para responder ao caso das dívidas à Segurança Social. Trouxe a tese de um ataque pessoal à sua vida privada, motivado pelo desespero da oposição, incomodada com uma vitória supostamente mais incerta nas próximas eleições.
  • Helena Garrido
    Os catalães do CaixaBank não conseguem controlar o BPI sem a aprovação da angolana Isabel dos Santos. Numa proposta de fusão com o BCP, seria Isabel dos Santos que nada conseguiria fazer sem o CaixaBank. E assim se bloqueariam um ao outro sem conseguirem sair do mesmo sítio se nada tivessem conversado antes. Estranha estratégia esta, a de Isabel dos Santos, que parece mais destrutiva do que construtiva.
13:06 | Saúde
Salvador de Mello, presidente da José de Mello Saúde acredita que o Hospital Privado de Santarém reúne "as características e condições necessárias para prosseguir a estratégia de desenvolvimento em que a JMS está empenhada".
07:15 | Política
O ex-primeiro-ministro José Sócrates acusou na quarta-feira o seu sucessor na chefia do Governo, Pedro Passos Coelho, de estar "próximo da miséria moral", ao criticar o discurso deste no encerramento das jornadas parlamentares do PSD.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • Apesar do progresso em muitas sociedades, em quase todos os locais as mulheres ainda sofrem de níveis significativos de discriminação. Mesmo em países onde a igualdade de género avançou mais, as mulheres são sobre-representadas nos empregos que remuneram menos e sub-representadas nas posições hierárquicas superiores dos sectores público e privado e são as receptoras, na maior parte dos casos, de violência doméstica.
  • Em Dezembro, revelei os primeiros resultados aos quais chegou a Revista sobre a Resistência Antimicrobiana, que desenvolvi. As notícias não foram boas: as infecções resistentes já custaram mais de 700 mil vidas por ano. A menos que algo seja feito, a resistência antimicrobiana vai matar dez milhões de pessoas por ano até 2050 – mais do que o número de pessoas que actualmente morrem de cancro num ano. Terá também um custo acumulado de pelo menos 100 biliões de dólares, mais de 1,5 vezes o PIB mundial anual actual.
  • Em 2009, uma nova possibilidade foi apresentada ao mundo quando o G-20, o conjunto dos maiores países desenvolvidos e das principais economias emergentes, e que até então não tinha conseguido deixar uma marca significativa no cenário internacional, se reuniu em Pittsburgh para formular uma resposta à crise financeira mundial. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, consciente de que o G-7 já não poderia assegurar por si só a supervisão da economia mundial, liderou a cimeira que designou o G-20 como o principal organismo de coordenação da política económica mundial. Foi um ponto alto da liderança americana.
  • A política do presidente russo Vladimir Putin relativamente aos "vizinhos estrangeiros" do seu país e ao ocidente tem sido gravemente mal interpretada. Em vez de se focarem em padrões geopolíticos mais alargados – em particular o efeito da crise financeira 2007-2008 nas políticas globais – os comentadores têm caracterizado a política do Kremlin como um psicodrama que pode apenas ser entendido através de uma profunda exploração da alma russa. O resultado tem sido um conjunto de equívocos desenfreados acerca daquilo que levou à mudança de Putin, do que parecia uma postura moderna, conciliatória e até pró-ocidente para um revisionismo agressivo.
  • A questão sobre como pode o mundo terminar com a pobreza extrema e melhorar o bem-estar das pessoas vai assumir uma nova urgência em 2015, à medida que os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio – os propostos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável – são finalizados.
04 de Março | Banca & Finanças
Henrique Granadeiro quis deixar uma palavra de conforto aos accionistas lesados da PT mas também lembrou os colegas da administração a quem deixou uma "pesada herança".
09:13 | Justiça
O Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) recebeu quase três mil comunicações de suspeitas de branqueamento de capitais, mas apenas 2% resultaram na abertura de processos pelo Ministério Público, revelam esta quinta-feira a TSF e o Diário Económico.
pub

pub

5
Quinta-feira
Março 2015
    Documentos Negócios
    consulte ou faça download

    negócios opinião