Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
22:50 | Zona Euro
Dimitris trabalha em engenharia eléctrica mas está em casa desde quinta-feira porque a fábrica não conseguiu pagar a matéria-prima. Gregos do 'sim' temem falência dos bancos. Os do 'não' estão apreensivos mas o orgulho prevalece.
23:00 | Zona Euro
Em véspera da cimeira do euro e no rescaldo da vitória do “não”, Hollande e Merkel acertaram posições. Manter a Grécia no euro é possível e desejável, mas novos empréstimos, como Atenas pede, exigem propostas “sérias” do governo grego.
08:21 | Zona Euro
Depois da vitória do "não" no referendo grego, os responsáveis europeus avisam que não será mais fácil chegar a acordo, mas assinalam que o lugar da Grécia é na Zona Euro. Merkel e Hollande pedem propostas "sérias" a Tsipras, que as prometeu apresentar esta terça-feira. Tsipras pediu a Draghi um aumento da liquidez para a banca grega. Acompanhe aqui os acontecimentos.
17:47 | Zona Euro
Euclid Tsakalotos não pensará muito diferente de Varoufakis, mas é um homem mais reservado e convencional e, segundo alguma imprensa grega, terá sido contra a convocação do referendo, defendendo um acordo com o Eurogrupo dentro do programa de assistência que entretanto expirou.
21:26 | Bolsa
Os principais índices bolsistas dos EUA encerraram em baixa, a prosseguirem a tendência da semana passada. Os receios em torno da Grécia e a forte queda do petróleo nos mercados internacionais mexeram com as cotações.
16:46 | Bolsa
A praça lisboeta deslizou perto de 4% numa sessão em que liderou as perdas entre as principais praças europeias num dia marcado pela incerteza em torno da Grécia. BCP, com uma queda de quase 7%, e a Galp Energia, que deslizou mais de 3,5%, foram as cotadas que mais pressionaram a bolsa nacional. Só uma cotada caiu menos de 2%.
Acções, petróleo e euro voltaram a afundar, com os investidores cada vez mais nervosos em relação às negociações com a Grécia, depois da vitória do "não" no fim-de-semana. Já os juros gregos dispararam.
A Semapa propõe aos seus accionistas que troquem as suas acções por títulos da Portucel. A contrapartida não é generosa, afirmam os analistas. Contudo, ficar "preso" a uma cotada sem liquidez não deve ser opção, lembram.
23:10 | Aviação
A Comissão Europeia está a acompanhar a privatização da TAP, mas diz que compete ao regulador português, primeiro, avaliar se a Gateway cumpre as regras em matéria de propriedade e controlo. Os novos donos ainda não deram informação à ANAC.
23:10 | Aviação
O grupo de aviação alemão não prevê abrir novas rotas em Portugal, mas admite que essa possibilidade não está fechada. Funchal está na mira. O segmento executivo é uma das chaves para o crescimento nos voos lusos.
A Douro Azul é dada como a vencedora da corrida à compra da insolvente Nicko Cruises, companhia de cruzeiros fluviais líder na Alemanha e que opera em vários rios do globo com 30 navios.
21:34 | Bolsa
Um grupo de 21 intermediários financeiros irá investir, pelo menos, 120 mil milhões de yuans (17 mil milhões de euros) num fundo de acções para travar a queda da bolsa. Uma medida que pode gerar uma crise no sector.
21:11 | Obrigações
O Banco Internacional do Funchal colocou 440 milhões de euros em obrigações no mercado internacional. O banco pagou um spread de 1,2% em cima da Euribor a 3 meses.
PUBLICIDADE
Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, veio à redacção do Negócios falar de eleições. Uma conversa que passou por todos os temas, sem tabus. Até pela sua sucessão.
Paulo Neves, que foi presidente do Conselho Directivo da Agência para a Modernização Administrativa (AMA), deverá ser o novo presidente executivo da PT Portugal, disseram hoje à agência Lusa fontes ligadas ao processo.  
22:30 | Política
Ex-secretário de Estado das Finanças da Irlanda aconselha a coligação a fazer uma grande aposta no emprego nas próximas eleições. Só assim se poderá garantir a sustentabilidade da Segurança Social e baixar impostos.
A Parparticipadas, sociedades que herdou as participações financeiras do BPN , recebeu três ofertas vinculativas para a compra do Banco Efisa. Em comunicado, a entidade adianta que recebeu ainda cinco ofertas não vinculativas.
19:36 | Mundo
São 100 cidades e se fossem um país seriam a maior economia do mundo, detendo mais de 20% do PIB mundial. Situadas maioritariamente na zona da Ásia e Pacífico, estas metrópoles reafirmam o crescente poder económico asiático.
Editorial
  • Helena Garrido
    Os bancos não reabrem esta terça-feira na Grécia conforme foi previsto, o BCE exige dos bancos gregos mais garantias obrigado a isso pelo incumprimento do Estado grego, há empresas gregas a dar férias antecipadas aos trabalhadores porque já não conseguem euros para importar.
  • Helena Garrido
    Alexis Tsipras e Yanis Varoufakis tiraram o povo grego do resgate financeiro, não da austeridade. Atiraram o povo grego para uma muito provável ajuda humanitária, para a falta de dinheiro e de bens essenciais. Tempos ainda mais difíceis esperam, infelizmente, o povo grego.
  • Celso Filipe
    A nova PT, detida desde 2 de Junho pelos franceses da Altice, tem um poder enorme sobre os fornecedores. Uma situação que herdou da anterior PT, à volta da qual floresceram muitas empresas prestadoras de serviços.
  A dívida pública portuguesa em percentagem do PIB é a quarta maior num conjunto de mais de 40 países analisados pela OCDE, apenas atrás do Japão, da Grécia e de Itália, segundo um estudo hoje divulgado pela entidade.  
18:05 | Ambiente
A Índia vai investir mais de 300 milhões de euros na construção de parques solares. Aposta ultrapassará produção da energia eólica e reduzirá níveis de poluição causados pela actual dependência da energia produzida pelo carvão.
17:02 | Transportes
Nos próximos cinco anos a empresa que resultou da fusão da Estradas de Portugal com a Refer vai realizar 802 intervenções na rede ferroviária nacional. A maior fatia do investimento destina-se à reabilitação das vias.
A Apple estreou a sua mais recente aposta no mercado da música digital. Um serviço por subscrição que além de disponibilizar milhões de faixas, também tem emissões de rádio 24 horas por dia e uma rede social integrada.
Os bancos propõem a contratação de produtos para reduzir o spread. Mas, em alguns casos, o consumidor fica com um conjunto de encargos mais elevados.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • Já passou quase meio ano desde que o Banco Central Europeu declarou a sua intenção de comprar cerca de 1,1 biliões de euros em títulos da Zona Euro. Quando anunciou pela primeira vez o chamado "programa alargado de compra de activos" em Janeiro, o BCE sublinhou que só estava a expandir um programa já existente, ao abrigo do qual tinha estado a comprar quantidades modestas de obrigações do sector privado, para cobrir títulos dos governos. Mas essa pretensão de continuidade era apenas isso mesmo: uma pretensão.
  • A inflação vai aumentar no próximo ano. O mercado de trabalho está mais ajustado: a taxa de desemprego baixou para 5,4%, o desemprego de curta duração (um indicador-chave da pressão inflacionária) caiu para 3,8% e a taxa de desemprego entre graduados universitários é de apenas 2,7%.
  • Apesar da oposição oficial dos Estados Unidos e do Japão, 57 países optaram por estar entre os membros fundadores do Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas (AIIB), liderado pela China. Independentemente daquilo que os opositores acreditam, esta mudança notável nos acontecimentos pode apenas beneficiar a governança económica mundial.
  • Pela primeira vez desde há anos, parece reinar uma dose saudável de otimismo. A economia global – à exceção de alguns pontos problemáticos – está finalmente a ultrapassar a crise financeira. Os avanços tecnológicos colocaram as energias renováveis em pé de igualdade com os combustíveis fósseis.
  • A crise grega é uma tragédia para o país e um perigo para a economia mundial.
17:44 | Comércio
Empresa global de vendas online promete descontos ao nível do Black Friday para os clientes com subscrições Prime no próximo dia 15 de Julho.
00:01 | Transportes
O caso do Metro Sul do Tejo é o que levanta maiores sinais de alerta pelo Tribunal de Contas. A concessão custa oito milhões de euros aos cofres públicos. A renegociação do contrato está parada desde 2012.
10:21 | Indústria
Poucos dias depois de Warren East assumir o cargo de CEO da marca, a Rolls-Royce revê em baixa, pela terceira vez num ano, as estimativas de lucro.
dossier Weekend
TAP: O primeiro dono privado
Muito antes de Humberto Pedrosa e David Neeleman, a TAP teve accionistas privados. O primeiro foi António de Medeiros e Almeida. Entre 1955 e 1960, o milionário português controlou 50% do capital da companhia, que depois trocou pela SATA. Pelo caminho, teve conversas com Salazar para ser presidente da TAP.
pub

 

pub

6
Segunda-feira
Julho 2015