Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
Guo Guangchang lidera um grupo que está em vários mercados e seguros. Como era o Grupo Espírito Santo. É a Fosun a entidade convidada para negociar o Novo Banco, depois de fracassadas as negociações com a Anbang.
Foi o conglomerado chinês Fosun, e não a norte-americana Apollo, o candidato escolhido para a próxima ronda negocial na venda do Novo Banco, depois do fracasso das negociações com a Anbang. A gestora de “private equity” ainda pode ser o terceiro finalista a sentar-se à mesa das negociações.
19:00 | Conjuntura
Agora que falhou o acordo entre o Banco de Portugal e a Anbang, torna-se ainda mais provável que o Novo Banco tenha um impacto negativo nas contas públicas de 2014, atirando o défice orçamental para um valor superior a 7% do PIB.
A ministra das Finanças admitiu esta terça-feira que a venda do Novo Banco é importante para a estabilidade financeira, mas acredita que o Banco de Portugal só não fechou já o negócio porque não havia condições para o fazer.
A Associação Portuguesa de Bancos está na “expectativa de um desfecho positivo” do processo de venda do Novo Banco. Em resposta ao Negócios, a APB afirma ver “com naturalidade a continuação do processo”.
As negociações da Anbang para comprar o Novo Banco falharam. O Negócios explica o que acontece agora.
20:46 | Empresas
Henrique Granadeiro avançou para um acção judicial para tentar anular decisões tomadas pela Pharol, de acordo com o registo de processos disponível no Citius.
Na sua análise aos dados de execução orçamental até Julho, a UTAO conclui que o défice orçamental está nos 4,9% do PIB e sublinha que dificilmente será possível atingir o objectivo de 2,7% com que o Governo se comprometeu.
19:38 | Research
Se antes estimava lucros por acção de 0,89 reais, o banco suíço aponta agora para apenas 0,18 reais. Um redução drástica das previsões, justificada pelo UBS com a desvalorização da moeda brasileira e as maiores taxas de juro no país.
18:49 | Petróleo
Depois das fortes valorizações das últimas sessões, a matéria-prima está a ser pressionada pela queda da actividade industrial da China e pela perspectiva de que as reservas de crude dos EUA tenham subido na semana passada.
16:47 | Bolsa
A bolsa nacional encerrou em queda pela terceira sessão consecutiva, pressionada pelas descidas superiores a 3% da Jerónimo Martins e do BCP. Na Europa, a tendência também é negativa.
As principais bolsas europeias encerraram no "vermelho", em mais uma sessão marcada pela China. O petróleo corrige dos ganhos da sessão anterior e o euro valoriza. Os juros da dívida soberana apreciam.
17:30 | Empresas
A sociedade que resultou da fusão entre a Estradas de Portugal e a Refer melhorou os resultados líquidos face aos que as duas empresas juntas representavam há um ano. A dívida foi reduzida em 650 milhões de euros em resultado de operações de aumento de capital. 
14:10 | Obrigações
O IGCP terá contratado o serviço de cinco bancos para realizarem uma emissão de dívida, de acordo com a Bloomberg. Em causa estarão obrigações do Tesouro a sete anos, sendo que o montante só será definido após recebidas as licitações dos investidores.
11:07 | Emprego
A taxa de desemprego na Zona Euro desceu para 10,9% em Julho, o valor mais baixo desde Fevereiro de 2012. Na União Europeia, caiu para 9,5%, um valor não visto desde Junho de 2011. Portugal tem a quinta maior taxa de desemprego entre os 28 membros da UE.
Os accionistas da Oi vão decidir esta terça-feira se aprovam a nova reorganização societária da empresa bem como os nomes para o novo conselho de administração da operadora, da qual a Pharol tem 27,5%. A lista para o "board" conta com nove administradores da ex-PT SGPS, entre os quais Rafael Mora e Nuno Vasconcellos.
01:29 | Empresas
A Pharol fechou o primeiro semestre com prejuízos de 14,2 milhões de euros, um valor que compara com as perdas de 66,9 milhões de euros registadas no mesmo período de 2014 e para o qual contribuiu a desvalorização do real.
A Altice confirmou a nomeação de Michel Combes para chief operating officer do grupo e chairman da Numericable-SFR. Patrick Drahi, fundador do grupo que comprou a PT Portugal, sublinha que “o grupo vai continuar a atrair talentos para ajudar a gerir a rápida expansão na Europa e América”.
PUBLICIDADE
Editorial
  • Helena Garrido
    Ter um banco, hoje, é ter um problema. Tanto maior quanto mais condicionada estiver a sua gestão, seja por falta de dinheiro ou por ausência de poder. Privatizar o Novo Banco o mais depressa possível era uma urgência em qualquer conjuntura, como o demonstrou o BPN. É prioridade máxima num tempo de taxas de juro zero e carradas de regras novas e mais exigentes.
  • André Veríssimo
    Migrantes ou refugiados? A gente que atravessa o Mediterrâneo parece toda igual no desespero. Só essa condição leva um ser humano a sujeitar-se a tão arriscada e desumana travessia. Mas a escolha de palavras foi alvo de um comunicado do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados.
  • Helena Garrido
    Angola e China em crise, ao mesmo tempo. Pior é sempre possível. Para Portugal é uma tempestade quase perfeita que coloca algumas empresas e pessoas perante a inevitabilidade de se virarem de novo para outros mercados ou investidores.
31 de Agosto | Banca & Finanças
“Não estão reunidas as condições necessárias” à divulgação dos resultados do BES relativos ao primeiro semestre deste ano, acaba de justificar a instituição em comunicado. O banco liderado por Luís Máximo dos Santos recorda que ainda está em curso a preparação das contas do final de 2014.
16:27 | Research
A unidade de investimento do banco espanhol decidiu subir a recomendação sobre as acções da Galp Energia de "manter" para "comprar", tendo ainda decidido baixar o preço-alvo da cotada de 12,40 euros para 11,50 euros.
11:28 | Tecnologias
A partir de Outubro centenas de filmes serão removidos do serviço de streaming Netflix. Em causa está a não renovação do contrato com a Epix, canal de televisão americano que detém direitos de vários estúdios como Paramount, Lionsgate e MGM.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • A 1 de Agosto, o Exército Popular de Libertação da China (EPL) celebrou o seu 88.º aniversário. Mas os 2,3 milhões de soldados do país têm pouco de comemorar. Na véspera do aniversário, o ex-general superior do EPL, Guo Boxiong, foi expulso do Partido Comunista sem cerimónias e entregue aos procuradores militares para enfrentar acusações de corrupção, incluindo alegações de que terá aceite elevados subornos de colegas oficiais do EPL em troca de promoções. E Guo não será o último oficial do EPL a enfrentar tais acusações.
  • As eleições parlamentares do Sri Lanka este mês prometem moldar não só o futuro político do país, mas também a situação geopolítica na região do Oceano Índico, um centro global de fluxos de comércio e de energia, que é responsável por metade do tráfego mundial de contentores e 70% dos embarques de petróleo.
  • Nos últimos anos, o número de turistas que visitam o Japão tem vindo a aumentar rapidamente, atingindo um recorde de 13,4 milhões no ano passado, uma subida de 29% face a 2013.
  • Quando os responsáveis pelas políticas financeiras tentam promover o crescimento económico, quase invariavelmente centram-se na busca de novas formas de libertar capital. Mas apesar de esta abordagem poder ter resultado no passado, existe o risco de que não se preste a devida atenção ao papel desempenhado pelo talento na altura de gerar e concretizar ideias que tornam possível o crescimento.
  • Os responsáveis políticos europeus gostam de dar lições ao resto do mundo sobre a poluição atmosférica. A Ásia, e a China em particular, é o alvo preferido para as críticas.
Vem aí um plano estratégico no Montepio, que passará por corte nos custos. A nova gestão quer apostar na independência face ao actual dono, a Mutualista, e um dos passos que pode ser dado é, precisamente, a procura de outros accionistas.
16:51 | Conjuntura
Os dados económicos mais recentes mostram que a taxa de desemprego em Itália recuou para o valor mais baixo em três anos e concretizam uma revisão em alta do PIB. Renzi está satisfeito por o país estar de novo em "movimento".
dossier Weekend
Será que somos realmente livres de dizer o que pensamos?
Cristina Branco, Tatiana Salem Levy, João Luís Barreto Guimarães e Matilde Campilho. Uma cantora, uma escritora, um cirurgião-poeta e uma poeta. Quatro personalidades falam sobre o presente e o futuro do país.
pub

 

pub

1
Terça-feira
Setembro 2015