Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
08:30 | Bolsa
As acções da Portugal Telecom abriram o dia em forte queda, prolongando a tendência negativa da véspera, apesar da CMVM ter proibido as vendas a descoberto dos títulos da empresa.
09:00 | Bolsa
Depois da desvalorização de 10% de ontem, o regulador do mercado de capitais português decidiu impedir as vendas a descoberto dos títulos da PT. O mesmo foi reafirmado hoje pelo regulador londrino.
20 de Outubro | Telecomunicações
A Portugal Telecom vale hoje menos de mil milhões de euros na bolsa. Chegou a ser das cotadas mais valiosas. Chegou a ter uma capitalização doze vezes superior à de hoje. Veja a evolução da PT em bolsa desde a sua estreia.
08:57 | Bolsa
A bolsa nacional regressou a terreno positivo animada pelos ganhos do sector bancário. A Portugal Telecom mantém a tendência negativa ao perder 8,88%.
07:57 | Bolsa
As bolsas da China cedem terreno depois de divulgado que a economia a chinesa se expandiu ao ritmo mais baixo desde o início de 2009. No Japão, o comportamento também é de queda.
Stock da Cunha foi a Luanda fechar o acordo que permitirá ao Novo Banco reaver 20% do crédito sobre o BESA. O banco vai anular parte da provisão para o risco de perda total. E reduz o potencial de prejuízos da sua venda.
Os accionistas do BES ficaram com títulos que, na prática, não têm valor, mas que implicam custos. Isto porque, ao que o Negócios apurou, a maior parte dos intermediários financeiros, incluindo o Novo Banco, continua a cobrar comissões pelo facto de as acções do BES estarem ali depositadas. Em causa estão as comissões de custódia de títulos.
00:01 | Empresas
De acordo com a lista de credores da ES Irmãos, que entrou em processo especial de revitalização a 30 de Julho, a Rioforte é a sociedade que reclama maiores créditos junto da "holding" que tinha 49% do ESFG
09:08 | Energia
Quando estava a descolar da pista, o avião onde estava o CEO da companhia francesa embateu contra um limpa-neves conduzido por um homem bêbado, que provocou o acidente.
09:11 | Empresas
A empresa pública reclama o pagamento de 3,7 milhões de euros por quebra de contrato de financiamento.
20 de Outubro | Política Monetária
As impressoras de Frankfurt começaram a funcionar para tentar retirar a Europa de uma situação de deflação que espreita à medida que a economia arrefece e taxa de inflação baixa para os 0,3%.
00:01 | Política
O manifesto dos 74 ou a proposta do PS para a dívida pública vão a debate já amanhã, quarta-feira, no Parlamento. Há propostas em defesa da reestruturação ou renegociação da dívida. O PS quer iniciar uma audição parlamentar.
00:01 | Autarquias
As autarquias que contrataram empréstimos com taxas de juro elevadas vão estar autorizadas a pedir, em 2015, um novo empréstimo com juros mais baixos, desde que mantendo os prazos e o montante.
00:01 | Energia
O novo diploma da pequena produção de energia já está publicado e prevê, por exemplo, que se um condómino quiser usar uma área comum do prédio para instalar painéis solares precisa do aval de dois terços dos moradores.
00:01 | Empresas
Com ou sem açúcar, os chocolates da Imperial dão novos passos nesta parte do mundo. Os contactos a esse nível já estão em curso. Por cá, a aposta nos valores do passado tem conquistado os amantes desta iguaria.
20 de Outubro | Research
A petrolífera liderada por Ferreira de Oliveira apresenta os resultados do terceiro trimestre no próximo dia 27 de Outubro, antes da abertura dos mercados.
20 de Outubro | Research
As margens operacionais acima do normal, a eficiente infraestrutura industrial e a gestão focada são os três factores que fazem da Altri uma das "empresas mais eficientes da indústria europeia".
PUBLICIDADE
A generalidade dos reformados vai recuperar poder de compra em 2015. Mas os que beneficiam do efeito conjugado do fim da CES com a subida da dedução específica no IRS ganham a dobrar. Rendimento líquido chega a aumentar 15%.
00:01 | Economia
A reforma do IRS tem ocupado grande parte da discussão em torno da proposta de Orçamento do Estado para 2015, mas do ponto de vista orçamental a principal novidade está nos impostos sobre o consumo. Sobem todos, e muito.
20 de Outubro | Economia
Com novas regras de contabilidade mais de quatro mil sociedades que estavam registadas como "economia real" passaram para o sector financeiro. Uma das consequências foi uma redução expressiva da dívida empresarial.
20 de Outubro | Impostos
A proposta de lei de reforma de IRS aprovada pelo Conselho de Ministros de 16 de Outubro consagra o quociente familiar e avança com várias alterações nas deduções. Veja aqui as 10 principais mudanças em cima da mesa.
A UTAO identificou 66 milhões de euros em medidas pontuais previstas para 2015 que estão por explicar no Orçamento do Estado para 2015 (OE2015) e questionou o "grau de razoabilidade" da poupança prevista em estudos e pareceres.
20 de Outubro | Orçamento do Estado
O Negócios saiu à rua para ouvir a opinião dos portugueses sobre o Orçamento do Estado para 2015. É "o Orçamento possível" dizem uns, "eleitoralista" respondem outros. Certo é que a austeridade não deixou as contas do Estado.
Editorial
  • Celso Filipe
    O plano de recapitalização do Banco Espírito Santo Angola (BESA), anunciado pelo Banco Nacional de Angola (BNA), tem um efeito imediato e duplo: diminui o grau de incerteza em relação ao Novo Banco e aumenta o seu valor de mercado. O empréstimo de 3,6 mil milhões de euros do BES ao BESA era dinheiro dado como perdido. Esta segunda-feira, o Novo Banco, por decisão do BNA, recuperou 20% deste montante, o que equivale a 720 milhões de euros. Destes 20%, 56 milhões serão transformados numa posição accionista de 9,9% que o Novo Banco passará a ter no âmbito do plano de recapitalização do BESA.
  • Helena Garrido
    Tem dois ou mais filhos? Faz parte do feliz grupo dos 548 mil contribuintes que deverá ser contemplado com menos IRS em 2015. Um pequeno grupo de 14% num total de cerca de 3,9 milhões de contribuintes.
  • André Veríssimo
    As bolsas estão de novo num tumulto, tingidas pelo vermelho das quedas, numa fuga apressada ao risco. Os índices de volatilidade, que medem o medo nos mercados, dispararam para o nível mais elevado desde a última crise. De que têm medo os investidores? De que a economia trave a fundo ou volte mesmo à recessão.
  • Helena Garrido
    Vamos fazer uma pausa na dita austeridade. Pensionistas e funcionários públicos recuperam poder de compra. Está prometida uma redução da carga fiscal algures em 2016 para todos os contribuintes de IRS. Como se previa, o IRC vai baixar. Mas o problema das contas públicas não está resolvido.
00:01 | Empresas
A fabricante das "melhores toalhas do mundo" vai abrir uma unidade dedicada à produção de lençóis, artigo que anda a testar há já cinco anos. Com vendas de 13 milhões de euros, quer crescer 50% nos próximos cinco anos.
00:01 | Construção
A sustentabilidade da Estradas de Portugal e da Refer, que estão em processo de fusão, passa pela captura de receitas futuras, seja com a venda de imóveis seja com o lançamento de novas concessões.
01:25 | Tecnologias
A tecnológica liderada por Tim Cook espera bons resultados para os últimos meses do ano, em especial devido às vendas dos novos iPhone.
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • Um paradoxo cada vez mais óbvio surgiu este ano nos mercados financeiros mundiais. Apesar dos riscos geopolíticos – o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, a ascensão do Estado Islâmico e a crescente agitação no Médio Oriente, as disputas territoriais da China com os seus vizinhos e os protestos em massa em Hong Kong, bem como o risco da sua repressão – se terem multiplicado, os mercados mantêm uma actividade sustentada, se não mesmo borbulhante.
  • As reuniões anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) vão decorrer a 10-12 de Outubro em Washington e o sector financeiro mundial é um assunto central na agenda. Será um encontro interessante uma vez que as duas visões diametralmente opostas do sistema financeiro mundial vão enfrentar-se uma à outra.
  • Em 2012, o responsável de capital de risco William Janeway argumentou que o desenvolvimento económico é um jogo com três jogadores que envolve o Estado, a inovação empresarial privada e o capitalismo financeiro, com excessos cíclicos inevitáveis que criam as condições para a próxima onda de invenção e crescimento de produção.
  • "Bonjour Monsieur, comment pourrais-je vous aider?", pergunta o obsequioso concierge do meu hotel em Paris. Imediatamente me questiono sobre o que terá acontecido à infame arrogância desta cidade - especialmente perante um turista americano. Se a capital francesa já não é a cidade europeia mais rude, talvez o possamos agradecer ao crescimento de ferramentas de avaliação online, como o TripAdvisor.
  • Com a queda do Muro de Berlim, que teve lugar há 25 anos [caiu a 9 de Novembro de 1989], os especialistas liderados por Francis Fukuyama proclamaram o fim da história – o triunfo do capitalismo democrático sobre os sistemas rivais. O sucesso económico dos Estados Unidos da América e o colapso do comunismo alimentaram a narrativa. O longo confronto político, intelectual e por vezes militar que conhecíamos como Guerra Fria tinha terminado.
20 de Outubro | Tecnologias
O acordo comercial entre a União Europeia e os EUA irá tornar a operação da Critical Software "mais fácil no mercado norte-americano", disse o presidente da empresa, Gonçalo Quadros.
20 de Outubro | Empresas
“Sem as conexões da Fosun não nos teria sido possível aceder e estar no radar deste tipo de investimentos”, afirmou Magalhães Correia. A seguradora vendeu, no mesmo dia, um terço da posição adquirida no IPO da Alibaba.
20 de Outubro | Research
A casa de investimento Société Générale acredita que o BCP não vai falhar os testes de stress. Mas mesmo que falhe, o preço da acção já descontou este evento.
dossier Weekend
O legado cultural da família Espírito Santo
Por estes dias, o Novo Banco está a fazer um inventário de todos os activos que "herdou" do BES. Entre eles, está o património cultural e histórico acumulado ao longo dos anos. Também a Fundação Ricardo Espírito Santo Silva faz contas à vida. Perdeu o seu principal mecenas e está afundada em dívidas.
pub
pub

21
Terça-feira
Outubro 2014
    Conferência Divulgação de Informações Não Financeiras

    negócios opinião