Transferências e pedido de cheques mais caros ao balcão
30 Abril 2010, 12:00 por Sara Antunes | saraantunes@negocios.pt
Enviar por email
Reportar erro
0
Pedir cheques ou fazer transferências bancárias podem implicar o pagamento de uma comissão ao banco, mas esse valor vai depender do meio que usar para fazer estas operações. Balcão, ATM ou Internet? De todos estes o balcão será certamente o mais caro em todas as instituições.
Pedir cheques ou fazer transferências bancárias podem implicar o pagamento de uma comissão ao banco, mas esse valor vai depender do meio que usar para fazer estas operações. Balcão, ATM ou Internet? De todos estes o balcão será certamente o mais caro em todas as instituições.
O Negócios consultou os preçários dos cinco maiores bancos a operar em Portugal e há uma premissa igual para todos: quanto menor envolvência humana houver, menores serão os encargos. O mesmo é dizer que se fizer determinadas operações num balcão vai pagar mais em comissões do que se o fizer através da Internet ou das caixas de multibanco. A consulta dos preçários é fundamental para saber como contornar algumas comissões, ou pelo menos pagar menos. E isso também depende de banco para banco.

Por exemplo, na emissão de cheques, entre as cinco maiores instituições a que cobra menos comissões é o BPI, que começa por cobrar 4,57 euros pela emissão de 10 cheques, requeridos ao balcão. Se o cliente pedir o mesmo número de cheques via canais automáticos ou através de uma máquina de cheques acaba por pagar 1,49 euros. Sendo que a estes valores terá de acrescentar o imposto de selo, em qualquer das instituições. Já a CGD é o banco que maiores comissões cobra para emitir cheques pedidos ao balcão, já que cobra 10,04 euros por 11 unidades.

A média dos valores praticados pelos cinco bancos revela que um cheque custa 67 cêntimos quando pedido a um balcão. Já se for pedido através da Internet, Mobile Banking ou através de uma ATM o custo médio cai para 40 cêntimos, ou seja, menos 40,6%.

No que respeita às transferências, se forem feitas dentro da mesma instituição, na maior parte dos casos essa operação não tem comissões. A não ser que seja feita num balcão. Se for uma transferência pontual para outra instituição, o único banco que não deixa de cobrar comissões seja qual for o canal usado para o fazer é a CGD. Todos os outros isentam de comissões se estas transferências forem feitas através do ATM, mas este é o único meio através do qual todos, à excepção do maior banco nacional, não cobram qualquer valor. Os restantes canais dependem de instituição para instituição.

Uma das justificações para a diferença dos valores cobrados nos diferentes canais está relacionada com o facto de o próprio banco ter menos custos. Se todos os clientes fizerem as suas operações via internet ou via caixa ATM, o banco pode diminuir custos com pessoal. SA

Enviar por email
Reportar erro
0