Gestão & Administração Cinco competências digitais que fomentam a empregabilidade
C-Studio i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Cinco competências digitais que fomentam a empregabilidade

Mais do que a tecnologia pura, o grande desafio actualmente nas empresas passa por assegurar um conjunto de competências indispensáveis entre os profissionais das suas equipas.
Cinco competências digitais que fomentam a empregabilidade

Vivemos em plena era digital. Numa época em que as tecnologias são parte integrante da vida, seja a nível pessoal seja (cada vez mais) a nível profissional. Na realidade, nas empresas já dificilmente se passa sem a ajuda preciosa das novas plataformas digitais, responsáveis por fomentar as capacidades do negócio e por agilizar trabalho, melhorando ainda o relacionamento com parceiros, clientes e, no final do dia, os resultados.

 

Nesse sentido, aproveitar ao máximo o potencial da tecnologia, acompanhando os novos e constantes desenvolvimentos que ela vai permitindo, é mandatório para um profissional que procura estar à altura dos desafios da sociedade actual. Falamos, claro está, em competências digitais, ou seja, na capacidade de utilizar as novas tecnologias de forma efectiva, eficaz e demonstrando uma clara motivação em participar na cultura digital de uma organização.

 

Apesar das melhorias registadas ao nível da formação profissional, a verdade é que Portugal é, ainda hoje, um dos países que apresentam maior défice em competências digitais com uma larga percentagem da população a não acompanhar a inevitável evolução digital.

 

A somar a esta realidade, uma outra: a Comissão estima que, até 2020, mais de 90% dos postos de trabalho na Europa venham a exigir competências digitais várias, reflectindo-se aqui o papel decisivo que a tecnologia e a sua efectiva aplicabilidade têm hoje em dia na vida profissional.

 

Estar apto a trabalhar em contexto tecnológico é pois, actualmente, condição "sine qua non" para assegurar uma posição no mercado de trabalho.



Cinco competências digitais que são consideradas essenciais pelos especialistas

1. Office de todos nós
Saber trabalhar com as ferramentas do Office é condição essencial nos dias que correm. A verdade é que em (quase) todas as empresas se pede este tipo de competências, seja ao nível do Word, Excel ou do PowerPoint, até mesmo porque todas as organizações são obrigadas a produzir documentos, a criar folhas de Excel para facilitar os cálculos ou a fazer apresentações que dinamizem reuniões com parceiros e/ou clientes.

E, já que falamos de apresentações, importa ainda saber trabalhar os dados de forma interactiva, criando infografias e trabalhos dinâmicos e com impacto visual. Se o conseguir, é meio caminho andado para despertar a atenção de quem o ouve.

2. Estamos na nuvem
"Cloud computing" pode parecer-lhe um estrangeirismo demasiado complicado para descodificar; armazenar informação na nuvem é algo tão estranho que pode nem fazer sentido. Nada mais errado.
A nuvem é, hoje em dia, ferramenta de trabalho fundamental em todas as organizações, tendo já conquistado o seu espaço por mérito próprio. A tecnologia "cloud" permite, por exemplo, aos profissionais fazerem "backups" de imagens, vídeos ou bibliotecas de ficheiros que ficam sempre disponíveis, a qualquer momento e em qualquer lugar. Basta apenas o devido acesso à internet.

A "cloud" permite mais do que isso: facilita a utilização de diferentes softwares que passam a estar ali instalados, colocando de parte o conceito "on-premise". Desta forma, as empresas acedem exactamente aos serviços dos quais precisam sem necessidade de instalarem internamente qualquer tipo de máquinas ou programas extra.


3. Multiplataformas é a palavra de ordem
Estar confortável e totalmente à vontade para trabalhar com diferentes tipos de serviços e plataformas, com vários sistemas operativos e de integração, é uma das mais importantes competências digitais.

Falamos aqui de coisas como a "cloud", os smartphones, os tablets, os portáteis ou os "desktops", mas também dos media sociais como o Twitter, o LinkedIn ou o Facebook. Todos eles se tornaram parte integrante da rotina diária, nomeadamente de âmbito profissional sendo, por isso, determinante dominá-los da melhor forma possível.

São dispositivos, sempre ligados à internet, que permitem continuar a trabalhar mesmo fora do escritório alterando por completo o antigo conceito de empregabilidade. Na verdade, este tipo de novidades permitiu também mudar o próprio conceito de trabalho em si: hoje em dia é comum levar o portátil ou tablet de e para a empresa (dando corpo ao conceito BYOD – Bring Your Own Device).

4. Editar imagem e vídeo
Saber algo de Photoshop é indispensável já que o trabalho de imagem se torna cada vez mais determinante dentro das organizações. Correcção de cor, aplicação de filtros em imagens ou trabalho em "layer" são conceitos fundamentais que devem ser dominados.

Igualmente importante é dominar a edição de vídeo: nada melhor do que assegurar uma boa apresentação do seu produto e/ou organização, cativando assim, ainda mais, a atenção dos potenciais clientes.


5. Segurança começa em cada um de nós
As ameaças digitais à segurança dentro das organizações não param de crescer e são cada vez mais sofisticadas; são falhas que constituem um perigo cada vez maior pelo que importa entendê-las e prevenir eventuais problemas controlando desde logo a privacidade e o acesso à informação privada ou aos IP das empresas.

São vários os especialistas que defendem que a falta de formação dos colaboradores em segurança e privacidade poderá custar demasiado tempo, recursos e dinheiro levando até mesmo, em casos mais extremos, à perda de clientes.
 
Saber tirar partido desta lista de competências pode ser muito vantajoso na procura de um emprego, pelo que tenha atenção a todas elas quando criar o seu próximo currículo.

Partilhar