Conheça a primeira página do Negócios
A primeira página do Negócios, o acesso
ao ePaper
20:10 | Transportes
A Carris e o Metro de Lisboa apresentaram esta terça-feira em tribunal uma resolução fundamentada, considerando que a suspensão do concurso para a subconcessão é "gravemente prejudicial para o interesse público".
16:43 | Bolsa
O BCP marcou a maior desvalorização de Lisboa, ao ceder 5%, mas a quase totalidade das empresas do índice português deslizaram, penalizadas pelo impasse grego. Nos, Sonae e EDP também caíram mais de 3%. O BPI e a Galp escaparam às quedas.
O processo de aprovações da oferta pública de aquisição lançada sobre o BPI ainda tem de continuar, lembram os catalães do CaixaBank. Depois disso, os accionistas podem "conhecer todos os detalhes da oferta".
15:57 | Obrigações
A "yield" das obrigações do Tesouro de Portugal estão a subir mais de 20 pontos base para máximos de Fevereiro. Em Itália e Espanha o agravamento dos juros é semelhante e também na Alemanha as "yields" estão a subir.
Conheça as projecções da Comissão Europeia para o crescimento do PIB, taxa de desemprego, dívida pública e défice orçamental em 2015 e 2016 em todos os países da União Europeia. Em 28 países, 15 devem crescer mais de 2% este ano.
O comissário europeu apontou que "medidas adicionais" poderão colocar o défice abaixo dos 3%. Sobre o crescimento, disse que as exportações e o consumo privado vão sustentar o avanço da economia portuguesa.
11:55 | Conjuntura
Em apenas três meses, Bruxelas fez uma revisão substancial da previsão de evolução da poupança das famílias portuguesas, de 9,6% para 6,5% do rendimento disponível. O valor mais baixo desde 1995.
O banco central lucrou 304 milhões de euros em 2014, entregando 243 milhões em dividendos. O restante do montante que entra nos cofres do Estado diz respeito a impostos.
18:04 | Dividendos
Os investidores que querem ter direito a dividendo têm de deter acções da empresa de serviço postal a 26 de Maio. No dia seguinte, os títulos passam a negociar sem aquela remuneração accionista.
16:15 | Petróleo
O barril de petróleo negociado no mercado norte-americano segue a valorizar mais de 3% e negoceia acima dos 60 dólares pela primeira vez desde 11 de Dezembro de 2014. O mercado especula que a oferta de matéria-prima está a abrandar.
14:49 | Bolsa
A queda da praça norte-americana acontece depois de ter sido revelado que o défice comercial alcançou o nível mais elevado em mais de seis anos, o que poderá ter implicações nos dados sobre o crescimento económico do primeiro trimestre.
Jorge Tomé e Luís Amado, líderes do Banif, avisam que a "aprovação do plano de reestruturação assume uma importância decisiva para o futuro do banco". Relatório e contas alerta para o risco de Bruxelas não validar o documento.
As taxas de juro baixas estão a provocar a queda nas rendibilidades dos fundos de mercado monetário e de tesouraria. O Negócios explica o que estão a fazer as gestoras destes fundos para que o retorno não fique negativo.
A Pimco foi superada. Já não detém o maior fundo de obrigações do mundo. Este "estatuto" pertence agora à Vanguard, cujo fundo tem 117,3 mil milhões de dólares sob gestão.
O resultado líquido do banco britânico atingiu os 5,3 mil milhões de dólares no primeiro trimestre, impulsionado pelo forte desempenho das operações de mercado. Os resultados antes de impostos ascenderam a 7,1 mil milhões de dólares e superaram as estimativas dos analistas.
PUBLICIDADE
17:03 | Política
O CDS não vai tomar nenhuma posição oficial sobre as revelações feitas na biografia de Passos Coelho quanto à demissão de Paulo Portas, em Julho de 2013. As declarações de Diogo Feio, que mostrou incómodo com o tema, foram feitas “a título pessoal”.
14:26 | Tecnologias
A AGEFE, APRITEL e APED acusam o Governo de avançar com o processo legislativo da lei da cópia privada "pelas costas dos agentes económicos" levando o diploma a debate novamente esta sexta-feira. Caso a lei seja aprovada, as associações vão analisar se impugnam a decisão, admitindo que há inconstitucionalidade e que as novas taxas são "impostos encapotados".
16:00 | Empresas
Angela Ahrendts, que trocou a Burberry pela fabricante do iPhone em Maio de 2014, auferiu uma remuneração de 82,6 milhões de dólares no ano passado.
14:38 | Tecnologias
A PrimeIT, consultora de serviços de tecnologia de informação e de telecomunicações, abriu 230 vagas em Portugal e além-fronteiras e espera terminar 2015 com uma facturação de 25 milhões de euros, avançou hoje a empresa portuguesa.  
14:36 | Política
O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, acusou o actual Governo e os anteriores de canalizarem todo o financiamento disponível para a região de Lisboa, deixando "côdeas" para o Norte e restantes zonas do país.  
O director da filial do grupo financeiro Grenke admite a pressão inicial da sede para manter os "padrões" da gestão alemã e pede aos políticos para esquecer a TSU: é a melhoria da gestão de topo que tornará o país atractivo para o investimento estrangeiro.
00:01 | Economia
Faltam cerca de 200 magistrados do Ministério Público, afirma António Ventinhas. A Justiça, lamenta o presidente do sindicato, "é o parente pobre" e apesar de todos a classificarem como uma prioridade, nenhum Governo a trata como prioritária.
04 de Maio | Legislativas
O PSD e o CDS-PP reuniram esta segunda-feira dirigentes nacionais e distritais para tratar da estrutura orgânica da coligação para as legislativas com "sentimento de vitória" e remeteram para data "surpresa" a divulgação do seu programa eleitoral.
04 de Maio | Media
O PSD e o CDS-PP consideram necessário alterar a lei sobre a cobertura jornalística das campanhas eleitorais e estão a tratar do assunto com o PS no parlamento, afirmou esta segunda-feira o vice-presidente e líder parlamentar dos centristas, Nuno Magalhães.
Editorial
  • Helena Garrido
    A restrição orçamental é aprendida logo no primeiro ano em que se aprende Economia e apreendida nos primeiros anos de vida, quando se percebe que o dinheiro não sai da parede onde está o Multibanco. Criar a ilusão de que se está perante a possibilidade de escolher entre austeridade ou não austeridade é vender sonhos que se transformam mais tarde em pesadelos.
  • Celso Filipe
    Em 2011, após o Governo de José Sócrates ter anunciado que iria recorrer à ajuda externa, um banqueiro então no activo vaticinou perante um círculo restrito que iria acontecer uma revolução na banca.
  • Helena Garrido
    É preciso pensar com lógica e racionalidade sobre o que se passou com o BES. E não com a emoção. Concluída a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), aprovado o seu relatório, vale a pena sublinhar alguns factos, mesmo que dolorosos ou politicamente incorrectos.
00:01 | Empresas
Com a nova equipa de gestão e accionistas, a fabricante portuguesa de bolos, bolachas e “snacks” tem uma estratégia para os próximos cinco anos, que a banca credora já aprovou. Crescimento até 2019 – que inclui investimento de 35 milhões e mais 200 empregos – pode ser acelerado com abertura de capital.
06:00 | Empresas
O consumo no mercado livre cresceu em Março cerca de 13% face a período homólogo. A EDP Comercial manteve a sua posição de liderança no mercado livre, tanto em termos de clientes (85% do total), como em termos de consumos (45% dos fornecimentos), face ao mês anterior.
Os bancos espanhóis receberam 51.303 milhões de ajudas estatais desde 2009, mas devolveram apenas 2.666 milhões. Os apoios concedidos pela própria banca, através do fundo de garantia de depósitos, ascenderam a quase 8.000 milhões.
11:15 | Economia
Os preços na produção industrial cresceram 0,2% na Zona Euro e na União Europeia em Março, o que revela um abrandamento do ritmo de crescimento face a Fevereiro deste ano, época em que os preços cresceram 0,6%.
00:01 | Política
O responsável pela coordenação do trabalho de 12 economistas que prepararam o cenário macroeconómico do PS fala sobre os desafios que os jovens enfrentam no mercado de trabalho.
04 de Maio | Economia
O Presidente da República apresentou Portugal como uma "localização competitiva para o investimento", sublinhando que a economia portuguesa é hoje "mais competitiva, mais sustentável e mais integrada nos mercados globais".
economistas Em colaboração com Project Syndicate
  • À primeira vista, parece que a economia da Zona Euro pode finalmente estar a recuperar. Os mercados accionistas estão a disparar. A confiança dos consumidores está a melhorar. Espera-se que os preços do petróleo mais baixos, o euro mais fraco e a política expansionista do Banco Central Europeu (BCE) impulsionem o crescimento.
  • Acabei de passar uma semana na China, onde participei no Fórum de Boao para a Ásia, uma conferência similar ao encontro anual do Fórum Económico Mundial em Davos. O tema da minha mesa redonda foi o que o presidente Xi Jinping chamou o "novo normal" da economia chinesa: uma era de crescimento relativamente mais lento, depois de três décadas de expansão económica de dois dígitos.
  • O contraste entre a resistência da Europa à Uber e a recepção mais calorosa da América a este serviço de partilha de viagens evidencia, mais uma vez, o facto de as estruturas europeias de regulação, concebidas para proteger os consumidores, acabarem por proteger empresas consolidadas e sufocar a inovação. Este contraste aponta também para a necessidade de os governos europeus alterarem as suas regras, incentivando os empresários a desenvolverem modelos de negócio em vez de serem forçados a aceitar inovações quando estas se tornam as melhores práticas no exterior.
  • A Parceria Transatlântica de Comércio e Investimento (TTIP, na sigla anglo-saxónica), que a União Europeia e os EUA estão actualmente a negociar, iria impulsionar o bem-estar e reduzir o desemprego em ambas as economias, bem como noutros países, indicam os estudos.
  • Na luta para limitar o aquecimento global, nenhum país tem mais importância do que a China - um país fortemente dependente de carvão, e que é responsável por 30% das emissões de dióxido de carbono globais. Felizmente, o país está a esforçar-se para melhorar o seu desempenho ambiental. Mas estará a fazer o suficiente?
00:01 | Obrigações
Entre os três programas de compra de activos, o BCE já adquiriu quase 176 mil milhões de euros em títulos de dívida. As obrigações soberanas portuguesas ascendiam no final de Abril a 2,2 mil milhões, num mês em que a instituição voltou a atingir o objectivo mensal.
00:01 | Obrigações
A dívida nacional não é "lixo" para a ARC Ratings. Uma novidade pouco relevante, já que a agência não é tida em conta pelo BCE. Algo que, disse o presidente, já está a ser tratado.
04 de Maio | Media
A Impresa teve perdas de 2,8 milhões de euros no primeiro trimestre de 2015, devido à queda das receitas das chamadas de valor acrescentado, que representaram 95% da redução global das receitas da dona da SIC.
pub

 

 

pub

5
Terça-feira
Maio 2015