Ajuda Externa Seguro vai defender perante a troika meta de pelo menos 5% de défice em 2014

Seguro vai defender perante a troika meta de pelo menos 5% de défice em 2014

O secretário-geral do PS afirmou que vai defender na reunião com a troika, esta quarta-feira, que a meta do défice em 2014 fique pelo menos nos 5% e que haja uma solução europeia para a mutualização das dívidas dos Estados-membros.
Seguro vai defender perante a troika meta de pelo menos 5% de défice em 2014
Lusa 18 de setembro de 2013 às 00:24

A direcção dos socialistas, liderada por António José Seguro, recebe em reunião esta quarta-feira, pelas 10:00 horas, na sede nacional do PS, os representantes da 'troika' (Banco Central Europeu, Comissão Europeia e Fundo Monetário Internacional) no âmbito das oitava e nona avaliação ao programa de ajustamento português.

 

António José Seguro avançou na terça-feira com as posições que serão defendidas pelo PS perante a 'troika', durante um comício em Aveiro de apoio à candidatura socialista de Eduardo Feio à presidência da Câmara desta cidade.

 

"O Governo e a 'troika' têm de parar com os cortes na saúde, na educação, nas pensões e nas reformas dos portugueses. O Governo e a 'troika' têm de redefinir as metas orçamentais para o próximo ano. Pelo menos deve ficar em 5% a meta orçamental para 2014", sustentou o líder dos socialistas.

 

Segundo Seguro, com uma meta orçamental de 5%, em 2014, "isso permitiria não cortar retroactivamente nas pensões da Caixa Geral de Aposentação ou aplicar a TSU sobre o conjunto das reformas e das pensões no nosso país".

 

"Como também vamos dizer à 'troika' e ao Governo que nem pensar em descer o salário mínimo nacional, porque o país já tem vindo a empobrecer para lá do limite do aceitável. Isso teria consequências drásticas e brutais na vida de portugueses que tão pouco recebem pelo se trabalho", disse, perante um auditório do Parque de Feira e Exposições de Aveiro, que se encontrava cheio.

 

Em relação à mensagem que pretende transmitir aos representantes da 'troika', o líder socialista referiu a necessidade de uma solução europeia para a dívida de Portugal. "Com o perfil de dívida que tem, Portugal de ter uma solução europeia através de uma mutualização de parte dessa dívida. Vamos também dizer à 'troika' e ao Governo que é preciso baixar o IVA da restauração para poupar mais despedimentos", disse.

 

Em relação às eleições do próximo dia 29, o secretário-geral do PS fez um veemente apelo à mobilização para o combate à abstenção. "Há muito descontentamento, muitas pessoas estão alheadas da vida pública, mas é preciso explicar que [nas eleições autárquicas] não se trata de mudar uma cadeira por outra. Trata-se do futuro, de trocar uma personalidade por outra. Trata-se do futuro deste concelho e das suas freguesias nos próximos quatro anos", sustentou.




A sua opinião37
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado José Pereira 18.09.2013

Seguro és uma nódoa e um burro.
Tó Seguro, "atira-te ao mar e diz que te empurraram".

comentários mais recentes
Zé Curioso 18.09.2013

Este Seguro é mesmo piegas! Que tristeza se o meu País algum dia for Governado por um piegas destes. Portanto a solução Seguro, é irmos fazer figura de incompetentes, fazendo o choradinho dos coitadinhos que não conseguem cumprir o que dizem e estão a ser muito afectados. Sabes como é que aqueles a quem devemos dinheiro vêm isso, como desculpas de mau pagador! Esta atitiude piegas de ir ter com a Troika e ir lá pedir mais batatinhas e mais tempo é uma vergonha. Sabes ver os números, sabes que fomos os que menos auteridade aplicou, a comprar com Gregos e Irlandeses!?!? Depois admiram-se que os juros da dívida subam! Quem nos empresta não tem paciência para estas choraminguices, se não cumpres e pagas mal, pagas caro e acabou-se. Idiota Piegas este Seguro! Achas que é assim que o País se endireita?? Vais longe vais....és Xuxa e acabou-se!

Anónimo 18.09.2013

A pedincha portuguesa no seu melhor, cambada de pedintes, seremos sempre os miseráveis da Europa.

Assim, não merecemos de pertencer à UE, fiquemos isolados e estaremos melhor na nossa miséria,

Paulo 18.09.2013

Só? Porque ser tão comedido? Eu cá não pedia, mas sim exigia logo uns 50%.
Quando eles reunirem com o Toze até vão tremer de medo!!!

cad7 18.09.2013

Como é que este post tem um total de 67 votos e 63 a favor? Isto é um post ? Mas o JdN passou a ser lido por atrasados?

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub