Ajuda Externa Estímulos ao consumo terão "impacto mínimo", diz Subir Lall
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Estímulos ao consumo terão "impacto mínimo", diz Subir Lall

O FMI diz que partilha objectivos com o governo mas sinaliza que não confia em várias medidas, do salário mínimo à suavização do ajustamento orçamental.
Estímulos ao consumo terão "impacto mínimo", diz Subir Lall
Miguel Baltazar
Rui Peres Jorge 05 de fevereiro de 2016 às 00:01

Subir Lall é o chefe de missão do FMI para Portugal. Foi o responsável pelo último ano do programa de ajustamento da troika, e tem acompanhado o país deste então. Já vai na terceira visita pós-programa,

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais

A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso1 04.02.2016

É evidente .as pessoas não vão alterar padrões de consumo.Talvez comprem electrónica chinesa

comentários mais recentes
AMLG 05.02.2016

Não acreditas tu nem ninguém com o mínimo de Juízo. Mas como este ditador Português, de seu no Costa, não quer saber disso para nada e o que o preocupa são as eleições de Setembro/Outubro, é desbaratar o nosso dinheiro, em propaganda eleitoralista, que nos custa tanto a poupar/ganhar. Pelo menos a mim custa-me imenso ver o nosso dinheiro a ser desbaratado desta forma. Chega a ser criminoso! Gostava que a Comissão Europeia obrigasse o governo a não aumentar os funcionários públicos e a não descer o IVA da restauração. Desta forma já não seria necessário aumentar os combustíveis e tirar dinamismo à economia e competitividade às empresas.

Luis 05.02.2016

Devias viver com € 525. Mais do que isso gastas por dia com o Hotel. Mas que gente sem carater.

Anónimo 05.02.2016

O sr. Subir & Comp..pôs a credibilidade do FMI a descer ao engolir a teoria da "desvalorização interna", não para equilibrar os países intervencionados, mas simplesmente para atamancar o euro, com as consequências que se conhcem para esses países.

Camponio da beira 05.02.2016

Uns e outros andam aleste dos problemas do país.Temos o dobro (pelo menos)= dos funcio0narios publicos que necessitamos.As obras publicas(Muitas inuteis)custam dz vezes o custro real.Para sustentar tudo isto a economia está desgraçada em impostos e multas.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
}
pub