Ambiente Chuva, vento forte, queda de neve e agitação marítima a partir de domingo

Chuva, vento forte, queda de neve e agitação marítima a partir de domingo

A Protecção Civil alertou hoje para o agravamento do tempo, com chuva forte e persistente nas regiões do Norte e do Centro, estendendo-se depois a todo o Continente, com queda de neve, vento forte e agitação marítima.
Chuva, vento forte, queda de neve e agitação marítima a partir de domingo
Reuters
Lusa 07 de dezembro de 2017 às 18:58
No seguimento de um contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) indica que se prevê, para os próximos dias, o agravamento das condições meteorológicas.

O IPMA avisa para a "chuva forte e persistente nas regiões do Norte e do Centro no domingo e na segunda-feira", sendo que a chuva forte se estenderá "a todo o território do Continente a partir da madrugada de segunda-feira, até ao final da manhã desse dia".

Além disso, está prevista a queda de neve nos pontos altos da Serra da Estrela na segunda-feira, atingindo a cota de 800/1.000 metros de altitude, ao longo desse dia.

O vento será forte de sudoeste a partir da tarde de domingo e durante segunda-feira, com rajadas até 90 quilómetros/hora, na generalidade do Norte e Centro, e muito forte, com rajadas até 110 quilómetros/hora, nas terras altas do Norte e do Centro, rodando gradualmente de quadrante para noroeste e diminuindo de intensidade.

O IPMA avisa ainda para a agitação marítima, na segunda-feira, com ondas superiores a cinco metros em toda a costa ocidental.

Tendo em conta as previsões meteorológicas, a Protecção Civil alerta para o piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo, para a possibilidade de cheias rápidas em meio urbano devido a acumulação de águas pluviais ou insuficiência de escoamento dos sistemas de drenagem e para a possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis.

São também expectáveis inundações de estruturas urbanas subterrâneas devido a deficiências de drenagem, danos em estruturas montadas ou suspensas, dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente em períodos de preia-mar, e a possibilidade de queda de ramos ou de árvores, fruto de vento mais forte.

A ANPC alerta ainda para a possibilidade de acidentes na orla costeira e para a ocorrência de fenómenos geomorfológicos causados por instabilidade de vertentes, devido à saturação dos solos e à perda de consistência.

A ANPC recomenda à população que tome diversas medidas de prevenção e que adeque os seus comportamentos às condições meteorológicas, designadamente, "garantindo a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e remoção de inertes e de outros objectos susceptíveis de serem arrastados ou que possam criar obstáculos ao livre escoamento das águas".

A Protecção Civil pede aos automobilistas que adoptem uma condução defensiva, reduzindo a velocidade, com especial cuidado com a acumulação de neve e a formação de lençóis de água nas vias, e adverte para que evitem atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos escondidos no pavimento ou caixas de esgoto abertas.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil pede ainda aos condutores para que tenham especial cuidado quando circulem ou permaneçam junto a áreas arborizadas, por haver o risco da queda de ramos ou de árvores devido ao vento forte.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

País de m@rda, quando não é do cu é das calças!