Ambiente Fogos em Ferreira do Zêzere, Mealhada e Miranda do Corvo põem casas em risco

Fogos em Ferreira do Zêzere, Mealhada e Miranda do Corvo põem casas em risco

Estas três localizações estão entre as que, no momento, mais preocupações geram, tendo dois dos incêndios reactivado nas últimas horas.
Fogos em Ferreira do Zêzere, Mealhada e Miranda do Corvo põem casas em risco
Cofina Media
Negócios com Lusa 12 de agosto de 2017 às 19:57
Ferreira do Zêzere, Mealhada e Miranda do Corvo estão entre as localidades onde ao início desta noite de sábado as chamas lavram com maior intensidade, tendo entrado ou ameaçado entrar em localidades e levado em alguns casos a activar planos de emergência.

O incêndio de Ferreira do Zêzere, distrito de Santarém, que tinha sido dado como dominado, reactivou hoje à tarde, sendo que o fogo já entrou na localidade de Beco, informou o presidente da Câmara Municipal.

"O fogo já entrou na localidade de Beco e está a ir em direcção a Dornes. Está medonho", disse à agência Lusa o presidente do município, Jacinto Lopes, referindo que "há casas em risco".

De acordo com o autarca, as chamas estão "a aumentar de intensidade" e lavram de forma descontrolada, considerando que "vai ser muito complicado" combater o fogo.

Em Miranda do Corvo a Câmara Municipal activou hoje o Plano Municipal de Emergência devido ao incêndio "de grandes dimensões" que lavra na freguesia de Semide e que coloca "em risco" diversas casas de cinco aldeias, anunciou a autarquia.

"O Plano Municipal de Emergência de Miranda do Corvo foi activado às 18:00, devido ao incêndio de grandes dimensões que lavra na Freguesia de Semide e que coloca em risco diversas habitações nas aldeias de Canas, Chãs, Vale de Colmeias, Cimo de Vila e Lata", indica a autarquia, em comunicado.

Fonte da Câmara disse à Lusa que o incêndio começou no concelho de Coimbra, mas evoluiu rapidamente para Miranda do Corvo, tendo subido a encosta da Estrada da Beira.

Já o incêndio que deflagrou na quinta-feira na Mealhada, distrito de Aveiro, e que foi dominado durante a noite, reactivou hoje às 16:53 e está "a arder com muita intensidade", informou a Protecção Civil.

O incêndio tinha sido dado como dominado por volta das 02:00, mas várias reactivações ao longo do perímetro do fogo levaram à sua reactivação, com as chamas a lavrarem "com muita intensidade", entre Igreja Velha e Pisão, localidades da freguesia de Barcouço, disse à agência Lusa Patrícia Gaspar, da Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Segundo Patrícia Gaspar, é provável proceder-se "à evacuação de um lar", em Barcouço.

Exército mobiliza quase 600 militares e 116 viaturas no combate aos fogos

Quase 600 militares e 116 viaturas estão hoje no terreno a ajudar no combate aos incêndios, em missões de apoio à Protecção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e diversos municípios, anunciou o Exército.

De acordo com uma nota do gabinete do Chefe de Estado-Maior do Exército, estão a ajudar hoje no combate aos incêndios 590 militares, 116 viaturas e quatro máquinas de rasto.

De um total de 50 patrulhas no terreno, 30 colaboram em reposta a pedidos da Autoridade Nacional de Protecção Civil, 10 com o ICNF e as restantes 10 com diversos municípios.

"Estas patrulhas exercem acções de vigilância em dez áreas de patrulhamento nos distritos de Aveiro, Braga, Coimbra, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.

Segundo o Exército, estão ainda empenhados no combate aos incêndios 15 pelotões de rescaldo e vigilância pós-incêndio e quatro destacamentos de engenharia, nas regiões de Aldeia do Mato (Abrantes), Paredes (Vila Real), Rio Côvo (Mealhada), Canal Caveira (Grândola), Portunhos (Cantanhede) e Caldas da Felgueira (Nelas).

"Em termos de resumo, relembra-se que, em 2017 e até ao dia de hoje (12 de Agosto de 2017), foram empenhados directamente nos diferentes teatros de operações e áreas de patrulhamento 5.290 militares, 1.094 viaturas e 44 máquinas de rasto do Exército", lê-se no comunicado.

De acordo com a página na Internet da Autoridade Nacional de Protecção Civil, consultada cerca das 18:15, estão esta tarde em curso 28 incêndios rurais, que mobilizam 2.045 operacionais, apoiados por 574 veículos e 24 meios aéreos.

São destacadas pela Protecção Civil como "ocorrências importantes" os incêndios que lavram nos concelhos de Montemor-o-Velho (distrito de Coimbra), Ferreira do Zêzere (Santarém), Cantanhede (Coimbra), Mealhada (Aveiro) e Abrantes (Santarém), este último já em resolução.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira 12.08.2017

A gente vai a fogos .pt e vê literalmente o país a arder...todos os dias.

Saber mais e Alertas
pub