Ambiente Lisboa: Zona do Restelo excedeu limiar de ozono

Lisboa: Zona do Restelo excedeu limiar de ozono

A zona do Restelo, em Lisboa, excedeu esta sexta-feira o limiar de ozono, entre as 15:00 e as 16:00, com o valor de 196 microgramas por metro cúbico (µg/m3), informou a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR).
Lisboa: Zona do Restelo excedeu limiar de ozono
Lusa 03 de agosto de 2018 às 22:01

Em comunicado, a CCDR dá conta que o valor de concentração de ozono chegou a 196 µg/m3 no Restelo, freguesia de Belém, um número acima dos 180 µg/m3 definidos "como limiar de informação para este poluente".

 

"Para os valores de concentração observados, o ozono pode provocar efeitos na saúde humana, especialmente em grupos da população mais sensíveis", tais como "crianças, idosos e indivíduos que sofram de asma ou de outras doenças respiratórias ou cardíacas", refere a mesma nota.

 

"A exposição a este poluente afecta essencialmente as mucosas oculares e respiratórias podendo o seu efeito manifestar-se através de sintomas como tosse, dores de cabeça, dores no peito, falta de ar e irritações nos olhos", acrescenta o comunicado.

 

Perante esta situação, a CCDR afirma ser "recomendável que os grupos mais sensíveis da população, anteriormente apontados, e que se encontrem nos locais afectados, reduzam ao mínimo a actividade física intensa ar livre e evitem a permanência no exterior".

 

Segundo a Agência Portuguesa do Ambiente, as condições meteorológicas, com temperaturas muito elevadas nos próximos dias, com o aumento da concentração do ozono troposférico, sobretudo no litoral do país, e a previsão de poeiras no ar, "conduzem a uma potencial situação de fraca qualidade do ar generalizada para todo o território continental até ao final [do dia] de domingo".

 

Face à onda de calor que afecta o país, pelo menos, até domingo, com temperaturas máximas acima dos 40º e que na quinta-feira bateram recordes históricos, a Protecção Civil estendeu o estado de alerta especial relativo aos meios de combate a incêndio aos distritos do Porto, Leiria, Aveiro, Braga, Viana do Castelo e Coimbra.

 

A Direcção-Geral da Saúde aconselha as pessoas a permanecerem em ambientes frescos, a manterem as casas frescas e a beberem muita água, evitando a ingestão de álcool.

 

Por causa da persistência de valores elevados das temperaturas máximas o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) estendeu o aviso vermelho, o mais grave, a 11 distritos de Portugal continental até ao início da tarde de domingo, prevendo para hoje valores acima dos 40 em grande parte do território.




pub