Autarquias Nova Feira Popular de Lisboa estará a 5 minutos do Colombo e terá 20 hectares

Nova Feira Popular de Lisboa estará a 5 minutos do Colombo e terá 20 hectares

A nova Feira Popular de Lisboa será um parque urbano com valências de um parque de diversões. Estará localizado em Carnide, à porta do metro e a cinco minutos do centro comercial Colombo. O projecto só estará concluído "dentro de muitos anos".
Nova Feira Popular de Lisboa estará a 5 minutos do Colombo e terá 20 hectares
Pedro Catarino/Correio da Manhã
Bruno Simões 03 de novembro de 2015 às 12:14
A Feira Popular de Lisboa já tem uma nova casa: depois mais de mais de uma década sem funcionar em Entrecampos, o novo parque com atracções vai instalar-se em Carnide, na zona "imediatamente contígua à estação de metro da Pontinha", a "cinco minutos do centro comercial Colombo" e terá 20 hectares, o que significa que será "quatro vezes maior" que os actuais terrenos de Entrecampos, anunciou esta manhã o presidente da câmara de Lisboa, Fernando Medina.

A nova Feira Popular vai ser "um exemplo do que é um moderno parque urbano". "Fomos procurar nessa Europa fora o que melhor se fazia, e o que melhor se faz são parques urbanos, isto é, parques verdes, que tenham água, jardins, e que ao mesmo tempo tenham as animações e atracções, para públicos diferentes", descreveu Fernando Medina.

"Não queremos uma solução tipificada, não procuramos um modelo de parque de diversões de marca", como os parques Warner (em Madrid)  ou Disney (em Paris). O novo espaço terá "duas grandes áreas que serão organizadas à volta da nova roda gigante", que vai marcar a centralidade da nova Feira. Será "um grande parque verde, um novo parque de diversões", que vai trazer "mais emprego e uma nova fonte de riqueza para a cidade e região".

A escolha por Carnide justifica-se pelo facto de ter "acesso directo de metro à porta do local da futura feira popular", por se encontrar "a cinco minutos do Colombo" e "no cruzamento das principais vias viárias da cidade", como a Segunda Circular ou o Eixo Norte-Sul.

Acresce que a instalação da Feira em Carnide "vai permitir uma profunda operação de regeneração urbana numa zona que está muito necessitada".



"Muitos anos" até a nova Feira estar concluída

Porém, ainda falta muito para a nova Feira Popular entrar em pleno funcionamento. "É um projecto muito ambicioso que se vai desenvolver ao longo de muitos anos. Não quero avançar datas", sublinhou Fernando Medina. "Demorará muito tempo a concretizar na sua totalidade mas é nossa intenção tudo fazer para que gradualmente o parque venha a ser do usufruto da cidade e dos lisboetas", acrescentou o presidente da câmara.

A câmara de Lisboa já investiu na nova Feira Popular "cerca de 11,5 milhões de euros, relativos à aquisição destes terrenos". Alguns eram da câmara, outros eram privados. Esse foi "o primeiro investimento do município", vão seguir-se outros, e não exclusivamente com dinheiros públicos. "Um projecto desta envergadura tem de contar com investimento privado", admitiu Fernando Medina.

A nova Feira Popular "tem que dar resposta a todos: às famílias, que querem simplesmente ir passear e querem que os seus filhos pequenos possam usufruir de um carrinho de choque ou de um pequeno carrossel" ou "para que possam celebrar um aniversário". Mas "também é um parque destinado àqueles que procuram a aventura, adrenalina", explicou Fernando Medina.

O modelo de negócio e restantes detalhes do novo espaço ainda estão por definir. "Na próxima reunião de câmara vamos nomear uma comissão que vai apresentar os estudos do ponto de vista do modelo económico. É um projecto que até estar completo vai demorar um tempo muito significativo", insistiu Medina.

O "modelo de negócio não está fechado, há muitas soluções em cima da mesa".



(Notícia actualizada pela última vez às 12:53)




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Mr.Tuga 03.11.2015

Pode-se saber que são os vendedores "privados"?!?!?
Isto quando mete guita dos contribuintes (e não dos próprios autarqueiros) ficamos logo assustados!
Lembramos o Sócrates, Loureiro, Vara, Duarte Lima, etc...

comentários mais recentes
zé dos bois 03.11.2015

em que assembleia municipal se aprovou a compras destes terrenos ?
alguem sabe '

cristiano.santos.395 03.11.2015

O importante nunca é dito.. quem paga o investimento ?? Os impostos de um habitante dos Açores, da Madeira, dos Trás-os-Montes vão pagar mais uma obra Megalómana em Lisboa ? Por mim podem fazer a Feira Popular à vontade desde que não seja com o dinheiro do contribuintes.

Mr.Tuga 03.11.2015

Pode-se saber que são os vendedores "privados"?!?!?
Isto quando mete guita dos contribuintes (e não dos próprios autarqueiros) ficamos logo assustados!
Lembramos o Sócrates, Loureiro, Vara, Duarte Lima, etc...

Anónimo 03.11.2015

bem abonados e contentes estão os antigos donos onde a CAmara pretende agora fazera feita Popular ,aliás a "feirinha popular"

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub