Autarquias Ruas deu cheques no adro da igreja

Ruas deu cheques no adro da igreja

A campanha eleitoral em Viseu foi marcada por uma forte polémica nesta terça-feira: PS e CDS acusaram Fernando Ruas de fazer campanha pelo PSD nas últimas semanas, através da distribuição de dinheiro em duas missas diferentes. Numa delas, na paróquia do Viso, Ruas teria mesmo falado aos fiéis durante a eucaristia. Ao Negócios, o padre do Viso confirmou que, antes da missa começar, o presidente da câmara entregou um cheque de 50 mil euros, mas negou que tenha falado durante a eucaristia.
Ruas deu cheques no adro da igreja
Miguel Baltazar/Negócios
Bruno Simões 20 de agosto de 2013 às 22:05

"Foi um acto público de caciquismo ao melhor estilo", criticou Hélder Amaral, candidato do CDS à câmara de Viseu. "Não lhe fica bem estar a esturricar dezenas milhares de euros", declarou, por seu turno, José Junqueiro, igualmente pretendente da câmara, mas pelo PS. Os dois partidos acusaram, esta terça-feira, o presidente da câmara de atribuir subsídios às paróquias durante as missas.

"É mentira, não fez nenhum anúncio na missa", assegurou Armando Esteves, o pároco do Viso. "Foi apenas assinado um protocolo de 50 mil euros, fora da missa, na zona do adro", descreveu ao Negócios. "Fernando Ruas entregou um cheque à paróquia", há cerca de um mês.

Na paróquia de São João de Lourosa, no último domingo, o procedimento terá sido semelhante. Fernando Ruas assinou um protocolo e entregou um cheque à paróquia, de cerca de sete mil euros.

O autarca confirmou ao Negócios as entregas dos cheques e recusa que tenha sido uma acção de campanha. "Fui fazer aquilo que sempre fiz em 24 anos, que é apoiar as comissões fabriqueiras [entidades que gerem os bens da igreja]. Fui a mais que uma e vou continuar", assegura. O facto de as assinaturas e entregas dos cheques acontecerem antes ou depois das missas é por "uma questão de conveniência" dos padres, justifica.




A sua opinião49
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado A provar-se a veracidade e havendo testemunhas que o queiram denunciar, a PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA não poderá deixar de actuar criminalmente, porque se trata de dinheiro dos contribuintes portugueses ! 21.08.2013

A ser verdade este dinossáurio do PSD andar a dar dinheiro, na campanha eleitoral para as Autárquicas - dinheiro que será dos contribuintes -, isso assume uma gravidade de todo o tamanho. A confirmar-se esse facto e se houver testemunhas que o queiram provar, a PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA não poderá deixar de actuar criminalmente contra este indivíduo. Para esta canalhada já tudo vale e até mesmo roubar descaradamente dinheiro que é nosso, que é dinheiro dos nossos impostos, que usam criminosamente para efeitos partidários.

comentários mais recentes
pobres de espírito as ovelhas muletas do PCP 28.05.2015

Bom bom era o cheque ir para os cofres do PCP...esse partido que tem feito tanto pelos pobres. Ate na festa da atalaia distribui bifanas gratuitamente só depois de pagarem os bilhetes e mesmo lá têm de pagar e bem tufo em defesa do partido que é pobre

A Igreja Católica, os caciques e povo (crédulo e ingénuo) 22.08.2013

A Igreja Católica, desde sempre, tem sido a muleta e o apoio dos poderosos contra os mais frágeis e os mais pobres, a quem prega a sua lenga-lenga hipócrita da boca para fora. Não é sem motivo que o padre, do alto do púlpito ou ao fundo do altar, nas suas homilias, incentiva as "ovelhas" (eu chamar-lhes-ia, sem ofensa e mais propriamente, "carneiros"), ao sofrimento, à obediência e à submissão, a fim de, aqui, na Terra, estarem a “garantir a sua entrada no céu”. Tão ingénuos ! Tão papalvos ! E então se vamos para o interior do país, onde o padre é erigido a uma espécie de juiz da paz ou de entidade, cuja palavra decide todos as desavenças e todos os conflitos. Meu Deus ! Como essa (boa) gente de submete permanentemente a uma lavagem de cérebro e em que prescinde de pensar pela sua própria cabeça. Claro ! De seguida, há sempre os espertalhões (olhó Ruas ... ! ), os caciques e outros que tais, que se aproveitam da credulidade das pessoas e lhes comem as papas na cabeça. Enquanto os cidadãos, especialmente os das zonas mais interiores, não se conseguirem libertar mentalmente dos padrecas e veram claro que o cristianismo e a Palavra de Cristo não se esgotam na Igreja Católica - que os prostitui com a sua hipocrisia e a sua aliança secular com os poderosos - enquanto isso não ocorrer, a escuridão das mentes continuará.

P 22.08.2013

Mais uns chequzinhos que a Alemanha vai pagar. E a caca ao tacho, o distribuir de dinheiro que nao temos. A paneleiragem continua.

Anónimo 21.08.2013

Eles são aos magotes, pequenos, médios, grandes reizinhos que se transformaram em donos ! aliás, parece que o país sempre esteve assim dividido em pequenos, médios e grandes quintais! Mas também, diga-se em abono da verdade trata-se de piquenas mentes, que vulgarmente servilam a um pároco que esse sim, exerce o verdadeiro poder, esse sim de forma calculista e visionária. Uns para o bem outros nem por isso. Mas o Povo? esse fica a ver navios, apenas ámen!

ver mais comentários
pub