Conjuntura Economia arranca segundo trimestre ao ritmo mais rápido desde 2007

Economia arranca segundo trimestre ao ritmo mais rápido desde 2007

Depois do forte primeiro trimestre, a economia portuguesa continuou a acelerar o ritmo de crescimento em Abril, de acordo com o Banco de Portugal.
Economia arranca segundo trimestre ao ritmo mais rápido desde 2007
As exportações estão a impulsionar a economia portuguesa em 2017
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 19 de maio de 2017 às 15:59

A economia portuguesa reforçou em Abril o ritmo de aceleração do crescimento, mostram os dados revelados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal.

 

O indicador coincidente do banco central, para medir a evolução da actividade económica, cresceu 2,5% em Abril, o que representa o ritmo de crescimento mais elevado desde Outubro de 2007.

 

Este indicador tem vindo a acelerar o crescimento nos últimos meses, passando de uma evolução positiva de 1,4% em Janeiro para 1,7% em Fevereiro e para 2,1% em Março.

 

A leitura de Abril indica que a economia portuguesa está a conseguir, pelo menos, manter o ritmo de crescimento verificado no primeiro trimestre. O INE anunciou esta semana que o PIB de Portugal cresceu 2,8% em termos homólogo nos primeiros três meses do ano, o que representa a expansão mais forte desde o quarto trimestre de 2007.

 

Os economistas têm contudo alertado que não é expectável que a economia portuguesa prolongue esta tendência de aceleração ao longo dos próximos trimestres. As previsões têm apontado para uma economia mais forte na primeira metade do ano, que irá perdendo progressivamente ímpeto no segundo semestre. Ainda assim, todos esperam um crescimento mais forte do que em 2016, quando o PIB avançou 1,4%, sendo que as novas estimativas apontam para que a economia portuguesa possa crescer acima de 2% este ano.

 

O contrário do que aconteceu no ano passado, tem sido o investimento e as exportações as responsáveis pelo crescimento mais forte da economia portuguesa, preenchendo o lugar antes ocupado pelo consumo das famílias.

 

O indicador coincidente para o consumo privado, também divulgado hoje pela Banco de Portugal, estabilizou num ritmo de crescimento de 2,5% em Abril, em linha com o verificado nos quatro meses anteriores.

 


A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

O 'POIS É' 'SOS' 'AHAHAHAH' 'HÓ Teodora' 'pois' 'Y' 'Desanimado' 'Bela' 'tereza economista' são o mesmo ignorante comuna.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Défice de 2,1% e a dívida aumentou 4,1% em termos absolutos.

Anónimo Há 1 semana

O 'POIS É' 'SOS' 'AHAHAHAH' 'HÓ Teodora' 'pois' 'Y' 'Desanimado' 'Bela' 'tereza economista' são o mesmo ignorante comuna.

Anónimo Há 1 semana

Agradeçam ao FMI.

Anónimo Há 1 semana

O 'POIS É' 'SOS' 'AHAHAHAH' 'HÓ Teodora' 'pois' 'Y' 'Desanimado' 'Bela' 'tereza economista' são o mesmo ignorante comuna.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub