Conjuntura Exportações de mobiliário batem recorde em 2012 mas o sector "ainda não escapou à crise"

Exportações de mobiliário batem recorde em 2012 mas o sector "ainda não escapou à crise"

O sector português de mobiliário arranca 2013 com três acções promocionais na Alemanha, Espanha e França, mantendo a aposta bem sucedida na internacionalização, mas alertando que as expectativas para este ano são de "sobrevivência".
Lusa 14 de janeiro de 2013 às 18:03

"Trata-se de um sector que, até há pouco tempo, estava bastante dependente do mercado interno e, por força da conjuntura adversa, viu-se obrigado a orientar os seus recursos para a internacionalização", refere o director executivo da Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins (APIMA) numa nota enviada à agência Lusa.

 

Contudo, frisa Hugo Vieira, a internacionalização é um "processo penoso e extremamente custoso", já que implica enfrentar "concorrentes de maior dimensão económica e outras vicissitudes (encargos elevados de logística e barreiras aduaneiras, por exemplo) como desafios".

 

"Desengane-se quem pensar que tudo corre de feição para o sector e que atingimos terra firme, escapando da crise. A inversão ainda não ocorreu e, consequentemente, a quebra de facturação do mercado nacional ainda não foi compensada", sustentou.

Segundo o director da APIMA, "apesar dos bons exemplos observados, sobretudo nos últimos quatro anos, as empresas enfrentam enormes dificuldades de tesouraria e as expectativas de parte das empresas que nos acompanham para 2013 é de sobrevivência", sustentou.

 

De acordo com os dados mais recentes, as exportações do mobiliário e colchoaria cresceram 6% entre Janeiro e Novembro de 2012, em termos homólogos, para 1.007 milhões de euros e 138 países, no que deverá ter sido um ano recorde.

Prosseguindo a aposta nos mercados externos, a campanha de promoção internacional do sector -- designada Interfurniture - inicia o ano de 2013 levando um total de 33 empresas a três eventos dedicados a profissionais do sector, num investimento directo superior a um milhão de euros.

 

Segundo a APIMA, a campanha de Janeiro da Interfurniture arrancou hoje na Alemanha, em Colónia, no certame IMM Cologne, partindo na quarta-feira para Madrid, para a feira Intergift, e terminando, na sexta-feira, no "mais importante evento mundial consagrado à decoração de interiores": a Maison & Objet, em Paris.

"Trata-se de um feito extraordinário, demonstrativo da determinação do tecido empresarial em ultrapassar este momento difícil que continuamos a enfrentar", considera Hugo Vieira.

 

Convicto de que a "qualidade e excelência do produto e serviços das empresas nacionais" permitirão ao sector continuar a crescer a nível externo, o responsável associativo espera que o mobiliário nacional "ultrapasse o teste do tempo além-fronteiras e consiga estabilizar".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 14.01.2013

Parabéns! Palavra de ordem: exportar!

comentários mais recentes
José 27.07.2015

Boa noite.
É o seguinte, pretendo levar o meu recheio da casa para frança, vocês embalam tudo e que garantias eu tenho, quero um orçamento.
Depois falaremos outra vez muito obrigado aguardo resposta.

José Vasconcelos 14.01.2013

Os móveis de Paços de Ferreira e de Paredes são bons, valem o que custam, mas como o país está em Crise vamos vender móveis para quem ainda não está em crisse, a Alemanhã, Inglaterra, França, etc.

Anónimo 14.01.2013

Parabéns! Palavra de ordem: exportar!

Saber mais e Alertas
pub