Conjuntura Exportações disparam 9% em Junho

Exportações disparam 9% em Junho

As exportações portuguesas de bens cresceram 9% em Junho, em comparação com o mesmo mês de 2014. Um dos melhores resultados do ano e muito superior à variação das importações (5,4%).
Exportações disparam 9% em Junho
Nuno Aguiar 10 de agosto de 2015 às 11:06

Tem sido um ano de altos e baixos para o comércio internacional português, com variações mensais homólogas, que variam entre os -3,6% e os 11,5%. Segundo os novos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em Junho, as empresas portuguesas voltaram a ver as suas vendas ao exterior crescer substancialmente, avançando 9%. Por trás desta variação está o comércio para outros países da União Europeia, com destaque para as vendas de carros e plásticos e borrachas. As exportações para a UE cresceram 9,7%, para fora da UE subiram 7,1%.

Este resultado é positivo não só pela dimensão do crescimento, mas também porque ultrapassou largamente a variação das importações que, até agora, vinha registando valores superiores às exportações. "As importações aumentaram 5,4%, em resultado da evolução do Comércio Intra-UE (reflectindo o acréscimo de quase todos os grupos de produtos, sobretudo Veículos e outro material de transporte e produtos Químicos), dado que se registou uma redução no Comércio Extra-UE", pode ler-se no destaque do INE.


Se excluirmos destas contas a compra e a venda de combustíveis, as exportações teriam crescido 11,2% e as importações 13,2%. Valores que mostram como as importações parecem ter sido muito influenciadas por uma travagem na compra de combustíveis ao exterior em Junho.

As variações que estamos a referir são mensais. Um olhar para todo o segundo trimestre do ano revela que as exportações cresceram 7,4% e as importações 9%, face ao período homólogo. Neste período o défice comercial agravou-se em 400,6 milhões de euros para 2.794,2 milhões de euros.

(Notícia actualizada às 11h19)




A sua opinião58
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 10.08.2015

É só dados ecomnómicos positivos por todo o lado. Claro que para os aldrabões dos cartazes o unico argumento possivel é que são mentira. O país finalmente está a começar a libertar-se do jugo xuxalista, vamos ver se em outubro não voltamos a cair nesse jugo bancarroteiro.

comentários mais recentes
Pedro 11.08.2015

O JN deu a notícia do comportamento da balança comercial focado nos resultados do melhor mês do trimestre em detrimento dos resultados do trimestre.
É o que separa um jornal de um pasquim.

Anónimo 11.08.2015

E só nos texteis subiram 11%, são estas noticias que desmentem o que a oposição anda para ai a ladrar , não há duvida que a verdade é como o Azeite vem sempre a tona de agua?E por isso há mais emprego, e sobre os que emigraram, muitos dos meus familiares foram , e já voltaram.

Anónimo 10.08.2015

O pior é que a gente da dependência está agora em maus lençois. Temos de votar todos no monhé para nos podermos sentar nas esplanadas! eh, eh.

António Galrito 10.08.2015

Má noticia. Desconfio que a culpa é deste goverrrrrrno da direita e das suas politicas de direita e de outras coisas, portanto, de direita....http://kruzeskanhoto.blogs.sapo.pt/

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub