Cultura Arquivo da Companhia de Diamantes de Angola doado à Universidade do Minho

Arquivo da Companhia de Diamantes de Angola doado à Universidade do Minho

A SPE, controlada pelo Estado português e que explorava diamantes em Angola, vai ceder à Universidade do Minho o arquivo relativo à história da Diamang, a Companhia de Diamantes de Angola, fundada em 1917 e extinta em 11 de Novembro de 1975.
Arquivo da Companhia de Diamantes de Angola doado à Universidade do Minho
Bloomberg
Rui Neves 04 de setembro de 2018 às 17:45

A Universidade do Minho (UMinho) assina esta quarta-feira, 5 de Setembro, um protocolo com a Sociedade Portuguesa de Empreendimentos (SPE) que visa a cedência à instituição académica sediada em Braga, a título gracioso e definitivo, um importante arquivo documental relativo à história da Diamang, a Companhia de Diamantes de Angola, fundada em 1917 e extinta em 11 de Novembro de 1975.

 

"O protocolo consigna a já anterior cedência, em 1998, do arquivo fotográfico da Companhia, composto por cerca de 40 mil negativos e vários álbuns, em depósito na Fototeca do Museu Nogueira da Silva, e de diversos documentos jurídicos, que foram incorporados nos Serviços de Documentação da UMinho", detalha a universidade minhota, em comunicado.

 

A este espólio soma-se agora um conjunto variado de documentos que "evidencia a actividade da Diamang em todos os seus âmbitos, organizacionais e técnicos, o qual se encontra já em depósito no Arquivo Distrital de Braga (ADB), e um fundo bibliográfico, que virá a ser incorporado na Biblioteca Pública de Braga", revela a UMinho.

 

A UMinho passa assim a ser depositária de "mais um relevante património arquivístico, que se afigura imprescindível para o estudo da companhia de diamantes, do processo colonial e da própria história portuguesa do século XX", enfatiza a mesma universidade.

 

Nos termos do protocolo, a instituição minhota obriga-se a organizar e conservar os documentos, que passam a estar à sua guarda, com vista a futuras investigações no âmbito da sua actividade académica e científica, já em curso.

A cerimónia de assinatura do protocolo, que será realizada no salão nobre da reitoria da UMInho, contará com as intervenções de Bernardo Reis, antigo administrador da Diamang e responsável pela classificação e inventariação do volumoso espólio arquivístico da companhia, Rui Vilela e Eduardo Lima, da SPE, Rui Vieira de Castro, reitor da UMinho, e António Sousa, director do Arquivo Distrital de Braga (ADB), unidade cultural daquela academia.

Está ainda prevista a presença do director-geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, Silvestre Lacerda.

 

Controlada pelo Estado português através da Parpública, a SPE, que explorava diamantes em Angola, está em fase de liquidação após ter vendido ao Estado angolano a participação que detinha na Sociedade Mineira do Lucapa (SML).




pub