Defesa Paióis de Tancos vão fechar em definitivo por falta de condições

Paióis de Tancos vão fechar em definitivo por falta de condições

O ministro da Defesa confirmou que vai fechar definitivamente os Paióis Nacionais de Tancos devido às dificuldades logísticas de garantir a segurança e acusou o CDS-PP de tentar instrumentalizar politicamente o caso.
Paióis de Tancos vão fechar em definitivo por falta de condições
Força Aérea Portuguesa
Lusa 20 de julho de 2017 às 01:26

Em entrevista à RTP3, Azeredo Lopes esclareceu que o processo de averiguações aberto pelo Regimento de Engenharia 1 do Exército - o que tinha a responsabilidade pela segurança dos paióis na altura do furto - poderá determinar "eventuais responsabilidades disciplinares".

 

O material militar que está actualmente nos PNT será transferido para as instalações militares de Santa Margarida, Santarém, e eventualmente para os paióis da Força Aérea e da Marinha, estes últimos, em Alcochete, com condições de segurança que obedecem aos padrões NATO, disse.

 

Quanto aos Paióis de Tancos, serão definitivamente encerrados pelas "dificuldades logísticas de garantir a segurança dos equipamentos".

 

O ministro reiterou que "não sabia" da existência de qualquer risco de segurança nas instalações de Tancos e acusou o CDS-PP de procurar "instrumentalizar as Forças Armadas" ao pedir a demissão não só do ministro mas do chefe do Estado Maior do Exército.

 

Para Azeredo Lopes, "numa análise de boa-fé", começa a ser "mais discutível a aceitação política desta exigência [a demissão do ministro da Defesa} a partir do momento em que o ministro demonstra que não sabia, não podia saber e que não tinha conhecimento prévio" de riscos de segurança nas instalações de Tancos. "Havia um problema geral quanto a protecção e videovigilância", disse.

 

O Exército divulgou no passado dia 29 de Junho o furto de material de guerra dos paióis de Tancos, Vila Nova da Barquinha, Santarém, com um valor estimado em 34.400 euros. Parte desse material estava obsoleto e indicado para abate desde 2012, disse Azeredo Lopes. 




pub