Defesa Revisão dos submarinos de 48 milhões vai ser feita pela construtora e Arsenal do Alfeite

Revisão dos submarinos de 48 milhões vai ser feita pela construtora e Arsenal do Alfeite

O Governo vai entregar sem concurso público a revisão dos dois submarinos Tridente e Arpão à empresa construtora, argumentando que há conhecimento que só a empresa tem. Mas assegura que o Arsenal do Alfeite está a aprender para que em 2018 a revisão já seja feita nos seus estaleiros.
Revisão dos submarinos de 48 milhões vai ser feita pela construtora e Arsenal do Alfeite
Alexandra Machado 17 de outubro de 2016 às 19:44

Os dois submarinos adquiridos em 2010 vão ter uma revisão, por um valor de 47,99 milhões de euros. O Ministério da Defesa Nacional, tutelado por José Alberto Azeredo Lopes, já autorizou a Marinha "a proceder à contratualização da prestação de serviços para a realização da primeira revisão intermédia dos dois submarinos", avança a Defesa em comunicado.

A revião já estava prevista. É a primeira manutenção intermédia desde que entraram ao serviço, em 2010. E que o Ministério diz ser "indispensável para se manter a sua disponibilidade operacional".

As revisões serão realizadas de forma faseada e com contratos específicos para cada submarino, a fim de garantir um maior acompanhamento e fiscalização dos processos técnicos, bem como uma melhor verificação do cumprimento das obrigações contratuais.

A revisão no Tridente decorrerá entre 2016 e 2018 por um máximo de 23,99 milhões de euros. Já o Arpão fará a sua manutenção entre 2018 e 2020, por 24 milhões de euros. Estes são os valores já estabelecidos na Lei de Programação Militar.


O Ministério da Defesa acrescenta que a manutenção será feita pela Thyssenkrupp Marine Systems GmbH (TKMS), a empresa construtora, pelo que o procedimento de atribuição da empreitada é o da negociação sem concurso público. O Governo justifica que a TKMS "é quem detém o conhecimento exclusivo de determinadas áreas tecnológicas dos submarinos Tipo 209PN, sendo presentemente a única entidade habilitada e com capacidade para realizar todos trabalhos de manutenção necessários".

De qualquer forma, o Ministério garante que o Arsenal do Alfeite está já a trabalhar com esta empresa para "capacitar a empresa portuguesa para desenvolver trabalhos de reparação e manutenção dos submarinos Tipo 209N", pelo que o Alfeite deverá já participar na primeira revisão em 2016. Para a partir de 2018 já poder realizar a manutenção em território nacional nos seus estaleiros.




pub