Economia  Costa: Fronteira com Espanha é "ponto de união" e não linha de separação

Costa: Fronteira com Espanha é "ponto de união" e não linha de separação

O primeiro-ministro, António Costa, sublinhou hoje as relações "muito fortes e integradas" entre Portugal e Espanha, sustentando que a fronteira entre os dois países deve ser um "ponto de união" e não uma "linha de separação".
 Costa: Fronteira com Espanha é "ponto de união" e não linha de separação
Manuel Bento/Cofina
Lusa 30 de maio de 2017 às 11:03

"O objectivo é fazer da fronteira, que era uma linha de separação, um ponto de união entre os nossos países, povos e economias. Para esta união o papel das empresas é absolutamente essencial", defendeu António Costa que falava em Vila Real no segundo de dois dias de cimeira ibérica entre Portugal e Espanha.

 

No final da cimeira empresarial luso-espanhola, que decorreu em paralelo com a cimeira entre os executivos dos dois países, Costa lembrou a necessidade de se trabalhar "dia após dia em conjunto", valorizando a relação económica "muito forte" entre Portugal e Espanha.

 

"Para termos uma noção, a Espanha exporta para Portugal mais do que exporta para toda a América Latina. E Portugal exporta só para Espanha mais do que exporta para a Alemanha e França no seu conjunto", declarou.

 

O chefe do executivo português disse ser necessário "transformar esta força" de proximidade "numa capacidade crescente" de ambos os países serem "mais fortes em conjunto no mercado europeu e global".

 

Depois, António Costa lembrou que a cimeira entre os dois executivos decorre em Vila Real, no interior do país, e centra-se na cooperação transfronteiriça, numa "nova visão" sobre o território de ambos os países.

 

"Se queremos ter maior coesão territorial e queremos desenvolver o que está por desenvolver, é nestas regiões que temos de priorizar o esforço de desenvolvimento", realçou.

 

A 29.ª cimeira bilateral entre Portugal e Espanha arrancou na segunda-feira e termina hoje. Serão assinados no final do encontro vários acordos entre os dois países, no que pretende ser um reforço da cooperação transfronteiriça em áreas como energia, infra-estruturas e ambiente.

 

Rajoy diz que relações com Portugal são factor de competitividade

 

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, afirmou hoje, em Vila Real, que as relações entre Portugal e Espanha são "factor de competitividade e de dinamismo".

 

O líder do governo espanhol falava durante um encontro com empresários portugueses e espanhóis, no segundo e último dia da 29.ª cimeira, que decorre em Vila Real.

 

Mariano Rajoy salientou que as relações entre Portugal e Espanha "constituem um factor de competitividade e de dinamismo".

 

Por isso, acrescentou: "estes seminários são uma ocasião para explorar novas oportunidades entre os nossos dois mercados na Europa e no mundo".

 

"Como países vizinhos e amigos as nossas relações comerciais são muito estreitas. Portugal é para Espanha um mercado muito importante e com quem mantemos um intenso fluxo comercial e de investimentos", frisou.

 

O chefe do Governo espanhol referiu que o comércio bilateral tem aumentado muito nas últimas décadas e frisou que são muitas as empresas que focam a sua actividade neste mercado ibérico conjunto.

 

Mariano Rajoy destacou a importância do comércio bilateral para as regiões de fronteira e, por isso, frisou que, pela primeira vez uma cimeira teve como tema central precisamente a cooperação transfronteiriça.

 

Cruzar a fronteira é hoje, segundo o governante espanhol, "um ato natural para os cidadãos".

 

Existem 2.600 empresas que trabalham nos dois mercados.

 

Antes de chegar ao palácio Conde de Amarante, no centro da cidade, Rajoy fez uma caminhada de 10 quilómetros por vinhas durienses.

 

Depois do encontro com empresários, os dois chefes dos governos deslocaram-se para a Praça do Município, onde decorreram cerimónias militares, com a presença dos três ramos das Forças Armadas.

 

Depois, as comitivas seguem para a Casa de Mateus, onde decorrerá a reunião plenária dos governantes, estando agendada para o final da manhã uma conferência de imprensa final e o encerramento da 29.ª cimeira ibérica.

 

As cimeiras ibéricas são reuniões anuais bilaterais lideradas pelo chefe do Governo de Espanha e pelo primeiro-ministro de Portugal e nas quais se discutem questões de interesse para ambos os governos e projectos de cooperação entre os dois países.

 

Esta é a primeira reunião do género com António Costa como chefe do Governo de Portugal, já que em 2016 não decorreu a cimeira devido à conjuntura política de Espanha, na altura com um executivo de gestão.

 

 

As cimeiras ibéricas são reuniões anuais bilaterais lideradas pelo chefe do Governo de Espanha e pelo primeiro-ministro de Portugal e nas quais se discutem questões de interesse para ambos os executivos e projectos de cooperação entre os dois países.

 

Esta é a primeira reunião do género com António Costa como chefe do Governo de Portugal, já que em 2016 não decorreu a cimeira devido à conjuntura política de Espanha, na altura com um executivo de gestão.

 

 


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
lucas Há 3 semanas

Tretas para justificar mais uns comes e bebes a custa dos papalvos...O Costa que lhes pergunte acerca de Olivença,acerca das Selvagens,acerca da ZEE, etc e que deixem de serem hipócritas e traidores que se comportam como sabujos nojentos a quem tudo é roubado e nada devolvido !

FVV Há 3 semanas

Ao Zebanzedoperere:
Não imagina quanto me preocupa vir a ser Espanhol.
Quantos portugueses já governaram com fito no bem comum?
Malandros desde 1143!!!
Pu...t..a que os pariu.

zebanzedoperere Há 3 semanas

Os Globalistas colocaram Portugal tão dependente de Espanha economicamente, que já somos mais uma provincia de Espanha do que um País. Eles agora podem fazer o que quiserem connosco, pois estamos numa posição submissa de Espanha e Bruxelas. Não abram os olhos não... e depois não se queixem de um dia sermos Espanhois.

pub