Justiça  Rangel proibido de sair do país e contactar com arguidos

Rangel proibido de sair do país e contactar com arguidos

O Supremo Tribunal de Justiça divulgou as medidas de coacção aplicadas a Rui Rangel e Fátima Galante. O juiz é suspeito de três crimes.
 Rangel proibido de sair do país e contactar com arguidos
Pedro Simões
Negócios 14 de fevereiro de 2018 às 18:43

O juiz Rui Rangel e a sua ex-mulher, Fátima Galante, conheceram hoje as medidas de coacção a que estão sujeitos no âmbito da condição de arguidos na Operação Lex.

 

Num comunicado, a Procuradoria-Geral da República refere que na sequência de interrogatório judicial, o Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) com funções de juiz de Instrução decidiu que a Rui Rangel seriam aplicadas as "medidas de coação de proibição de ausência do país sem autorização prévia, de proibição de contactos e de suspensão de funções".

 

A Fátima Galante foram aplicadas as medidas de coacção de proibição de contactos e de suspensão de funções. Ambos estão "igualmente, sujeitos às obrigações decorrentes do termo de identidade e residência".

 

"Neste inquérito investigam-se suspeitas de crimes de tráfico de influência, de corrupção/recebimento indevido de vantagem, de branqueamento e de fraude fiscal", refere o comunicado da PGR, acrescentando que a Operação Lex "tem 13 arguidos constituídos, é dirigido pelo Ministério Público junto do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) com a coadjuvação de magistrados do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)".

 

Um dos restantes arguidos é o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira.

 

 

 




pub