Função Pública  Saúde e Educação lideram as 19 mil candidaturas de precários

Saúde e Educação lideram as 19 mil candidaturas de precários

Nestes dois sectores, há mais de 10 mil candidatos ao programa de regularização de vínculos precários no Estado. A três dias do fim do prazo já foram apresentadas 19 mil candidaturas
 Saúde e Educação lideram as 19 mil candidaturas de precários
Bruno Simão/Negócios

A três dias do final do prazo, o programa de regularização de vínculos precários do Estado já recebeu 19 mil candidaturas por via electrónica.

"Estamos na casa dos 19.100" requerimentos, disse Mário Centeno, acrescentando que de hora para hora o número aumenta.

Os dados foram divulgados pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, que confirmou que, com mais de cinco mil candidaturas cada um, os Ministérios da Saúde e da Educação são de longe os que motivaram mais pedidos.

Quando fez o diagnóstico sobre o número de precários no Estado, o Governo apontou para mais de cem mil pessoas, o que tem levado os sindicatos a considerar que os números estão aquém do que seria possível.

O prazo para apresentação dos requerimentos pelos interessados termina esta sexta-feira, dia 30 de Junho, mas depois disso os dirigentes ainda poderão propor às comissões a regularização das situações que considerem que se enquadram no programa.

O Governo está a discutir com os sindicatos as linhas gerais do diploma que vai enquadrar a admissão dos precários para os quadros, através de concursos que deverão arrancar no próximo ano. Mário Centeno confirmou esta terça-feira que o diploma deverá ser apresentado ao Parlamento no próximo mês.

Só os trabalhadores com funções que forem consideradas permanentes pelos dirigentes, pelas comissões que funcionam nos Ministérios e pelos próprios ministros é que passarão à seguinte fase.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 27.06.2017

Nem sei qual e mais absurdo:ver este ladrao nas seccoes que nao a dele,ou ver dois homens a falar de menstruacao.Nao posso deixar de dizer que ambas tem graca.

pertinaz 27.06.2017

CANCRO

Anónimo 27.06.2017

Ou seja, os aviões vão continuar na Rússia e em Marrocos, os helicópteros no chão, e os cidadãos de segunda no crematório a céu aberto na via pública. Triste Portugal.

Anónimo 27.06.2017

De precário a excedentário é um ápice. A tecnologia não pára e as forças de mercado também não.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub