Conjuntura 10 gráficos que mostram como a saúde financeira das empresas está melhor

10 gráficos que mostram como a saúde financeira das empresas está melhor

A saúde financeira das empresas portuguesas melhorou em toda a linha no ano passado. Estes 10 gráficos mostram como.
Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal Fonte: Banco de Portugal
Nuno Carregueiro Nuno Teixeira - Infografia 03 de dezembro de 2016 às 10:00

O relatório publicado esta semana pelo Banco de Portugal, com os indicadores económico-financeiros das empresas não financeiras privadas, relativos a 2015, mostram uma melhoria assinalável na saúde financeira das companhias portuguesas.

 

O sector empresarial registou mais lucros, aumentou a rentabilidade, baixou o endividamento, pagou menos juros e reforçou o capital próprio.

 

São estas as principais conclusões que se podem tirar da série de indicadores que o Banco de Portugal adicionou à sua base de dados. Quase todos dão sinais positivos, sendo que o Negócios escolheu 10 que ilustram essa melhoria (que pode ver na fotogaleria em cima).

 

Além de melhorarem face a 2014, muitos dos indicadores atingiram mesmo o melhor nível desde 2010, ano anterior ao pedido de assistência financeira que Portugal solicitou aos parceiros europeus e ao FMI.

 

É o caso do peso dos capitais próprios no activo, da rendibilidade dos capitais próprios e do peso dos lucros e do EBITDA sobre os rendimentos obtidos.

 

E há mesmo indicadores que estão no melhor nível dos últimos 10 anos, como é o caso do custo da dívida e do peso dos empréstimos sobre o total do activo.

 

Sinais positivos que apontam para uma inversão de tendência num dos maiores problemas no sector empresarial em Portugal: elevado endividamento e baixa capitalização e rendibilidade.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado matita42 04.12.2016

A máxima diz: "Contra factos não há argumentos".
Para nosso mal já nem os factos (as demonstrações óbvias) convencem os que não querem ser convencidos e as consequências não tardarão.

comentários mais recentes
Gonçalo Machado 04.12.2016

Dados de 2015!!!!! 2015!!! 2015!!!!! Porque é que essa informação fundamental é OMITIDA no título? São só 4 dígitos. Veja-se os analfabetos que aparecem logo aqui aos pulos a pedir explicações a Camilo Lourenço, como se estes dados dissessem respeito a 2016!

matita42 04.12.2016

A máxima diz: "Contra factos não há argumentos".
Para nosso mal já nem os factos (as demonstrações óbvias) convencem os que não querem ser convencidos e as consequências não tardarão.

Leitor 03.12.2016

Gostava que o Camilo Lourenço comentasse os graficos. Eu vou propor ao JdN que arranje uma secção na qual nós pomos questões a jornalistas ou opinadores, mas sem filtro. Tudo certinho, limpinho. Eu gostava de fazer muitas perguntas ao dr Camilo. Só para saber a opinião dele sobre algumas questões-

bucks 03.12.2016

Conversa de café...

ver mais comentários
pub