Economia 10 milhões a caminho de Pedrógão após classificação como "catástrofe natural"

10 milhões a caminho de Pedrógão após classificação como "catástrofe natural"

A classificação como "catástrofe natural" permite desencadear ajuda à reconstrução no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2020. São 10 milhões de euros, segundo aprovou Capoulas Santos.
10 milhões a caminho de Pedrógão após classificação como "catástrofe natural"
Vítor Mota/Correio da Manhã
Diogo Cavaleiro 24 de julho de 2017 às 21:47
A classificação dos incêndios de Pedrógão Grande como "catástrofe natural", decidida pelo Governo, permite a disponibilização de 10 milhões de euros para a reconstituição ou reposição de máquinas e animais.

"A dimensão e gravidade dos danos e prejuízos causados pelos mencionados incêndios florestais reconduzem à qualificação desta situação como 'catástrofe natural'", assinala o Despacho n.º 6420-A/2017, assinado pelo ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, esta segunda-feira, 24 de Julho, e publicado na mesma data em Diário da República.

A classificação decidida pelo Governo no início da semana permite accionar ajudas financeiras no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural do Continente (PDR 2020), no chamado "restabelecimento do potencial produtivo".

O apoio disponível a freguesias de sete concelhos do Pinhal Interior, onde deflagraram incêndios a 17 de Junho, poderá ascender a 10 milhões de euros.

O dinheiro servirá para "a reconstituição ou reposição do potencial produtivo das explorações agrícolas danificadas", no que diz respeito a "animais, plantações plurianuais, máquinas, equipamentos, armazéns e outras construções de apoio à actividade agrícola". O montante mínimo elegível é mil euros.

Segundo o diploma, "a aprovação dos pedidos de apoio está dependente da verificação e confirmação no local, pela Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, dos prejuízos declarados".

Os beneficiários - que "só podem apresentar uma candidatura" - têm de submeter os pedidos entre 26 de Julho e 8 de Setembro. Os prejuízos de maior dimensão terão prioridade.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Que estupido 25.07.2017

Só falta dizer que foi o Costa que pegou fogo, emigra esterco porco a usar mortos porco

Atenção ao dinheiro 25.07.2017

Não deixem os pafiosos aproximarem-se que roubam logo o gravete

Anónimo 24.07.2017

Catástrofe natural? Incompetência governamental! Pobre povo nas mãos destes "criminosos". Nem com o Sócrates, roubo sim mas mortes não.

Saber mais e Alertas
pub