Economia O dia num minuto: O conforto da DBRS, o aumento da meia-noite e as medidas de Costa

O dia num minuto: O conforto da DBRS, o aumento da meia-noite e as medidas de Costa

António Costa diz estar a preparar medidas adicionais para satisfazer o Eurogrupo. A DBRS está "confortável" e deu conforto a Portugal. O sector dos transportes está indignado com o aumento dos combustíveis.
O dia num minuto: O conforto da DBRS, o aumento da meia-noite e as medidas de Costa
Bloomberg
Negócios 12 de Fevereiro de 2016 às 20:00

Costa confirma medidas adicionais. O primeiro-ministro confirmou esta sexta-feira que o Governo está a preparar medidas adicionais e responsabilizou o anterior Governo pela subida dos juros da dívida pública, mas não avançou com detalhes. "O que iremos fazer é preparar medidas que manteremos em carteira para utilizar caso venha a ser necessário", disse António Costa, no debate quinzenal, no Parlamento. Antes, o primeiro-ministro responsabilizou o executivo de Passos Coelho pela falta de confiança nos mercados, devido ao aumento da dívida, ao agravamento do saldo estrutural e à falta de crescimento. Acrescentou ainda que a situação da banca europeia pressiona os mercados.

DBRS "confortável" com "rating" dado a Portugal. A agência canadiana de notação financeira, DBRS, mostrou-se esta sexta-feira, 12 de Fevereiro, "confortável" com a classificação atribuída à dívida portuguesa, alertando no entanto para a volatilidade nos mercados de dívida, cujo aumento recente nas taxas de juro em mercado secundário pode vir a dificultar as operações de refinanciamento. "Neste momento, estamos confortáveis de que o nosso 'outlook' estável sobre Portugal é apropriado", disse Fergus McCormick, responsável pelo departamento de dívida soberana da DBRS, à Reuters. Actualmente a agência classifica a dívida de curto prazo de Portugal em BBB, com outlook "estável", sendo a única entre as quatro maiores agências de "rating" a considerar a dívida nacional na categoria de investimento.


Governo subiu ISP. Petrolíferas apanhadas desprevenidas.
As petrolíferas não foram avisadas da entrada em vigor do aumento do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP). A Apetro revelou ao Negócios que só recebeu a portaria que define a subida de seis cêntimos por litro neste imposto "depois da meia-noite", ou seja já esta sexta-feira. Por isso, neste dia, os valores de venda ao público ainda não estão, até ao momento, a reflectir a subida. "A portaria chegou-nos depois da meia-noite. Não houve aviso nenhum", diz António Comprido, secretário-geral da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas, que representa a Galp EnergiaRepsol, BP, Cepsa, entre outras. A portaria foi publicada esta quinta-feira, entrando "em vigor no dia seguinte à sua publicação", ou seja, sexta-feira.

Sector dos transportes avisa que não vai ficar parado. Após várias críticas avulso, várias associações do sector do transporte rodoviário e da logística uniram-se para criticar o Governo. Dizem assim que estão em "total desacordo" com as medidas do Orçamento do Estado que "atacam ferozmente a economia transportadora e exportadora". "O sector dos transportes não pode assistir imóvel a este enorme ataque à capacidade de as empresas subsistirem, cumprindo a sua função económica e social", pode ler-se no comunicado divulgado esta sexta-feira, 12 de Fevereiro. "O sector não deixará de lutar por todos os meios legítimos, pela sua sobrevivência", dizem as associações, entre as quais se encontram a Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), Confederação do Comércio e Serviços (CCP) e a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP).

Acordado cessar-fogo na Síria. Os principais intervenientes no conflito sírio chegaram a acordo, na noite de quinta para sexta-feira, para um cessar-fogo na Síria, dentro de uma semana, e um acesso intensificado dos civis à ajuda humanitária. O anúncio deste acordo foi feito pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, depois de uma reunião que durou mais de cinco horas, em Munique. Os EUA e a Federação Russa vão controlar as "modalidades" de concretização desta cessação das hostilidades, acrescentou o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov. Esta paragem das hostilidades envolve todos os grupos beligerantes, excepto "os grupos terroristas Daesh (acrónimo árabe para designar o grupo que se intitula como Estado Islâmico) e Al-Nosra (Al-Qaida)", especificou Kerry.

 

The Independent diz adeus ao papel. Após 30 anos nas bancas, o jornal britânico The Independent vai deixar de ser editado em papel já no próximo mês, passando a ter apenas presença online. A confirmação foi feita esta sexta-feira, 12 de Fevereiro, pela ESI Media, grupo detido por Evgeny Lebedev. Para já, o futuro dos cerca de 150 funcionários é incerto. Evgeny Lebedev admitiu que haverá despedimentos de alguns colaboradores, mas adiantou que vão ser criados 25 postos de trabalho na área de conteúdo digital. A última edição impressa do The Independent irá para as bancas dia 26 de Março enquanto a edição do jornal de domingo terá o seu fim no dia 20 do mesmo mês.

Ex-vice da FIFA banido por 12 anos. Jérôme Valcke, antigo vice-presidente da FIFA e ex-braço direito de Joseph Blatter, foi banido do futebol por 12 anos. O Comité de Ética da FIFA anunciou a decisão esta sexta-feira, 12 de Fevereiro, através de um comunicado publicado no seu site. Esta decisão vem no seguimento das investigações da FIFA ao seu antigo vice-presidente devido à venda ilegal de bilhetes para os campeonatos do mundo de futebol. Além disso, a organização diz ainda que descobriu outros actos de incumprimento por parte de Jérôme Valcke, incluindo abuso nas despesas de viagens, vendas de direitos a televisões e outros meios de comunicação e destruição de provas.


Porque subiram as taxas? As taxas de juro da dívida portuguesa subiram nos últimos dias da semana. André Veríssimo, director adjunto do Negócios, explica o que levou esta escalada.


Onde ir no fim-de-semana?
Há cinema russo, jazz, dança e muito mais. Consulte aqui as sugestões do Negócios.






A sua opinião72
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mituxa Mizé 12.02.2016

Vão celebrando que agora serão os americanos a sentir na pele o mal que fazem aos outros. Adeus Apple e adeus tecnológicas, Estejam atentos!

Mituxa Mizé 12.02.2016

Vão celebrando que agora serão os americanos a sentir na pele o mal que fazem aos outros. Adeus Apple e adeus tecnológicas, Estejam atentos!

Mituxa Mizé 12.02.2016

Vão celebrando que agora serão os americanos a sentir na pele o mal que fazem aos outros. Adeus Apple e adeus tecnológicas, Estejam atentos!

Mituxa Mizé 12.02.2016

Vão celebrando que agora serão os americanos a sentir na pele o mal que fazem aos outros. Adeus Apple e adeus tecnológicas, Estejam atentos!

ver mais comentários
pub