Banca & Finanças 33 bancos passam na segunda fase dos testes de stress e só Capital One tropeça

33 bancos passam na segunda fase dos testes de stress e só Capital One tropeça

A Reserva Federal norte-americana anunciou os resultados da segunda fase dos testes de resiliência aos maiores bancos a operar nos EUA. Dos 34 analisados, 33 tiveram nota positiva. Já o Capital One terá de colmatar falhas.
33 bancos passam na segunda fase dos testes de stress e só Capital One tropeça
Bloomberg
Carla Pedro 28 de junho de 2017 às 21:45

A Fed divulgou esta quarta-feira os resultados da segunda parte dos testes de stress às maiores entidades financeiras a operarem nos EUA, sendo que 33 passaram e uma ficou com "aprovação condicionada".

 

Nesta análise à robustez financeira das maiores instituições financeiras a operarem nos EUA (o requisito é que tenham mais de 50 mil milhões de dólares em activos) a Fed avalia avalia se estas dispõem de amortecedores de capital suficientes para sobreviverem a uma crise semelhante à de 2008.

 

Nos termos dos requisitos para serem submetidos a estes testes, foram analisadas 34 entidades financeiras. E só o Capital One Financial Corp. terá de dar mostras adicionais para poder remunerar os seus accionistas. Assim, até 28 de Dezembro, o banco terá de mostrar à Fed que resolveu satisfatoriamente as suas debilidades – caso contrário terá de reapresentar o seu plano de capital à autoridade monetária do país e poder ficar impedido de distribuir dividendos.

 

Nesta segunda fase de testes, recorde-se, são analisadas as propostas de distribuição de dividendos aos accionistas.

Os 33 bancos que tiveram "luz verde" deverão remunerar os seus accionistas em perto de 100% dos seus lucros esperados ao longo dos próximos quatro trimestres – o que é substancialmente acima dos 65% pagos no ano passado, refere a Bloomberg.

Mercado apanhado de surpresa

No ano passado, nesta segunda fase dos testes, o Morgan Stanley foi obrigado a reformular o seu plano, de modo a atender a uma "debilidade material", tal como sucede este ano com o Capital One.

Este "tropeço" do Capital Onde constitui uma surpresa para o mercado, sublinha a Bloomberg. Com efeito, alguns analistas consideravam que o Wells Fargo poderia não passar, depois de um escândalo que expôs problemas nos seus sistemas de controlo, mas nada apontava para que o Capital One tivesse debilidades para resolver.

A Fed aponta o dedo à forma como o Capital One estima o potencial impacto dos riscos num ds seus negócios "mais materiais", diz o relatório do banco central mas sem especificar a unidade de negócio em causa.

As acções do Capital One seguem a cair 2,33% para 81,05 dólares na negociação fora de horas da bolsa de Nova Iorque, depois de terem encerrado a sessão regular a subir 1,97% para 82,98 dólares.

Na primeira fase todos passaram

Recorde-se que a Fed divulgou na passada quinta-feira os resultados da primeira fase destes testes anuais, realizados no âmbito da Lei Dodd-Frank promulgada após a crise financeira de 2008.

 

A entidade liderada por Janet Yellen anunciou que os grandes bancos do país registariam perdas acima de 380 mil milhões de dólares no cenário mais adverso dos testes de stress. No entanto, os seus rácios de capital de maior qualidade continuariam acima do exigido pelos reguladores, pelo que as conclusões foram animadoras: os 34 bancos escrutinados tiveram todos cartão verde quanto à sua capacidade de resistirem a choques económicos.

No ano passado, nos resultados desta primeira fase dos testes realizados a 33 grandes instituições financeiras houve dois chumbos: as unidades norte-americanas do alemão Deutsche Bank e do espanhol Santander. Já o Morgan Stanley passou à justa.

(notícia actualizada às 22:10)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 29.06.2017

a avaliar por testes de stress anteriores, acho que isto não passa de um pró-forma!

pub