Função Pública 35 horas para todos na Saúde na segunda metade de 2018

35 horas para todos na Saúde na segunda metade de 2018

Em entrevista ao Público, a secretária de Estado da Administração Pública diz esperar que no segundo semestre do próximo ano todos os trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde (SNS) tenham um horário de 35 horas semanais.
35 horas para todos na Saúde na segunda metade de 2018
Bruno Simão
Negócios 17 de outubro de 2017 às 09:30

Ao diário, Maria de Fátima Fonseca anuncia que o plano do Governo passa por viabilizar a partir de Julho do próximo ano a transição para o horário de 35 horas semanais de todos os profissionais em regime de contrato individual de trabalho. Para tal, está a ser criado um grupo de estudo no Ministério da Saúde.

 

"Está a ser constituído um grupo de trabalho no Ministério da Saúde, tendo em vista analisar os modelos existentes de organização do trabalho das equipas no SNS e viabilizar, no início do segundo semestre de 2018, a alteração ao período normal de trabalho para as 35 horas para os profissionais na área da saúde em regime de contrato individual de trabalho", refere a governante, ao Público.

 

Recorde-se que no ano passado, o Governo reduziu o horário de trabalho da Função Pública de 40 para 35 horas semanais, mas excluiu os funcionários públicos com contrato individual a exercer funções no sector público, muitos dos quais estão nos hospitais EPE.

 

Na mesma entrevista, Maria de Fátima Fonseca diz que as taxas de absentismo na Administração Pública variam entre 3% e 10%, oscilando muito consoante os sectores. "Em determinados sectores, os dados apontam para que nos últimos anos se tenha assistido a um incremento daquele que era o nível médio normal de absentismo nas organizações públicas", acrescenta, admitindo que Educação e Saúde são especialmente preocupantes.

 

O Governo espera poupar 60 milhões de euros com medidas de combate ao absentismo no Estado.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Atenção - ao repor as 35h o governo apenas corrigiu o maior ROUBO perpetrado aos FP com horário de 35 horas e que foram obrigados a trabalhar 40 horas sem remuneração adicional durante mais de 3 anos. Os FP contratados sempre trabalharam e receberam de acordo com o seu contrato. De que se queixam?!!

Mr.Tuga Há 3 dias

Só coisa BOAS e BENESSES para a rapaziada da FP...
Sempre a ENGORDAR o já OBESO "estado?!"....

Os do "privado"?!?! Que se FOD*M e trabalhem para pagar!

ricky Há 3 dias

Onde anda o Tribunal Constitucional a exigir a igualdade dos horarios de trabalho entre os trabalhadores da função publica e do privado ? Agora já não interessa, é isso ? Vergonha !!

pub