Política A morte do "pai da democracia" portuguesa na imprensa mundial

A morte do "pai da democracia" portuguesa na imprensa mundial

A morte de Mário Soares, este sábado no hospital da Cruz Vermelha onde estava internado há 26 dias desde 13 de Dezembro, foi noticiada nas edições digitais de vários jornais em todo o mundo.
A morte do "pai da democracia" portuguesa na imprensa mundial
Vítor Mota/Correio da Manhã 
Lusa 07 de janeiro de 2017 às 22:15

Na Europa, Soares foi destaque nos espanhóis El Pais, La Vanguardia, El Mundo e ABC, nos quais foi definido como "pai da democracia", "figura chave da transição portuguesa" e "pai do Portugal moderno".


Em França, o Le Monde noticia a morte da "figura socialista da luta contra a ditadura salazarista" e o Libération publica uma foto de Soares com o antigo presidente francês François Mitterrand, tirada em 1975, para referir a morte do "pai sentimental" de Portugal.


No Reino Unido, o diário The Guardian noticia a morte do "antigo primeiro-ministro", tal como na Alemanha o Frankfurter Allgemeine, e nos Estados Unidos, o The New York Times e o Washington Post. O Financial Times destaca "o socialista que conduziu Portugal à democracia".


Em Itália, o jornal La Repubblica noticia "Adeus a Soares, Portugal de luto" e a agência noticiosa italiana ANSA destaca a morte do "líder da revolução dos cravos".


Na Bélgica, o La Libre Belgique e o Le Soir noticiam a morte do antigo presidente e pai da "democracia portuguesa" aos 92 anos. Na Argélia, a edição digital do diário El Moudjahid refere que Portugal decreta três dias de luto pela morte de um dos "artesãos da democracia".


Os jornais brasileiros Folha de São Paulo, Estadão e Globo noticiam a morte de Mário Soares, "um dos principais defensores da democracia" em Portugal.


Na Índia, onde o primeiro-ministro português, António Costa, realiza uma visita de Estado até quinta-feira, o jornal Times of India noticiou a morte de Mário Soares, citando a agência Associated Press (AP).


Mário Soares morreu este sábado, 7 de Janeiro, aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, em Lisboa, onde estava internado há 26 dias, desde 13 de Dezembro.


O Governo decretou três dias de luto nacional, a partir de segunda-feira.


Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS, primeiro-ministro e Presidente da República.


Nascido a 7 de Dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Raio Há 2 semanas

"pai da democracia portuguesa"!.....Talvez por isso é que democracia em Portugal ainda estará para vir!....Não compreendo como se pode dizer que um agente da CIA (confirmado) é o pai da democracia Portuguesa....

Anónimo Há 2 semanas

PENSANDO COMO ENSINAVAM NA ESCOLA PRIMÁRIA, A DEMOCRACIA VERDADEIRA DIRIA: "VAI CHAMAR PAI A OUTRO PORQUE EU NÃO TENHO PAI E, ALÉM DISSO, NÃO HÁ PAI SEM MÃE". DO QUE VERDADEIRAMENTE SE TRATA É DE UMA DESGOVERNADA PARTIDOCRACIA EM QUE AS RECEITAS NÃO CHEGAM PARA OS GASTOS E AS DÍVIDAS.

Anónimo Há 2 semanas

O meu pai nao foi ATEU,ateu e todo o animal irracinal,pela simples razao q o animal irracional nao pensa.Em tempos foi noticia que 1 padre recusou-se funeralizar 1 morto por dividas a igreija.O orca apassarado nao pagava nada a igreija e nao so,sera q vai ter honras de igreija?Certa/ 1 batata quente

Anónimo Há 2 semanas

Pensando como ensinavam na escola primária, a democracia verdadeira diria: " Vai chamar pai a outro porque não tenho pai e além disso não há pai sem mãe."
Do que verdadeiramente se trata é de uma desgovernada partidocracia em que os gastos e despesas superam em muito às receitas.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub