Ambiente Acordo de Paris sobre alterações climáticas entra em vigor a 4 de Novembro

Acordo de Paris sobre alterações climáticas entra em vigor a 4 de Novembro

A ONU confirmou que o acordo de Paris sobre as alterações climáticas vai entrar em vigor no próximo dia 4 de Novembro, após ter sido alcançado o número de países necessários para legitimar o tratado.
Acordo de Paris sobre alterações climáticas entra em vigor a 4 de Novembro
Bloomberg
Lusa 06 de outubro de 2016 às 00:14

"Estou muito feliz por anunciar que hoje o Acordo de Paris vai ultrapassar a segunda e última etapa necessária para a entrada em vigor, que será a 4 de Novembro", afirmou em comunicado o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon.

 

Este último passo foi concretizado após a ratificação do acordo pela União Europeia (UE) e a formalização, na sede da ONU, dos instrumentos legais dessa decisão, num acto realizado na quarta-feira, 5 de Outubro.

 

O acordo necessitava, para entrar em vigor, da ratificação de pelo menos 55 países que representem 55% das emissões mundiais de gases de efeito de estufa.

 

Após esta confirmação, foi fixado um prazo de 30 dias para a entrada em vigor do tratado, definido em Dezembro de 2015 na capital francesa por 191 países e após vários anos de negociações.

 

No fim-de-semana a Índia anunciou a ratificação do Acordo de Paris e na terça-feira foi a vez da Nova Zelândia e do Conselho da UE.

 

"Foi extraordinário o impulso global para que o Acordo de Paris entrasse em vigor este ano", afirmou Ban Ki-moon, acrescentando que "o que antes parecia impossível é agora imparável".

 

O Acordo de Paris, conseguido em Dezembro passado ao reunir 196 países, pretende reduzir as emissões de gases com efeito de estufa responsáveis pelas alterações do clima, que podem provocar fenómenos extremos, como ondas de calor ou picos de chuva.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub