Ambiente Açores: São Miguel e Santa Maria poderão sentir efeitos do furacão Ophelia

Açores: São Miguel e Santa Maria poderão sentir efeitos do furacão Ophelia

A tempestade tropical, que deverá passar a furacão nas próximas horas, deverá fazer sentir os seus efeitos - chuva e ventos - a partir da madrugada de sábado. A Protecção Civil diz que "esta situação não deverá causar alarmismo para já".
Açores: São Miguel e Santa Maria poderão sentir efeitos do furacão Ophelia
Paulo Zacarias Gomes 11 de outubro de 2017 às 16:11

A tempestade tropical Ophelia, que se formou no Atlântico, deverá intensificar-se nas próximas horas e passar à condição de furacão na madrugada desta quinta-feira, 12 de Outubro, sendo provável que o grupo oriental dos Açores (ilhas de Santa Maria e São Miguel) venham a sentir efeitos do fenómeno a partir da madrugada de sábado.


De acordo com o Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a probabilidade de estas duas ilhas virem a presenciar chuvas e ventos é de 20% a 40% entre sábado e a madrugada do próximo domingo. Já o grupo ocidental (Flores e Corvo) apresenta uma probabilidade de 5% e o grupo central (Faial, Pico, S. Jorge, Graciosa e Terceira) de 5% a 10%.


No site do Centro Nacional de Furacões dos EUA, que acompanha a progressão da tempestade tropical, o cone da possível progressão do furacão apresenta um trajecto que o fará passar a Sul do arquipélago.


Ao Negócios, Carlos Ramalho, do Centro de Previsão e Vigilância Meteorológica dos Açores, considerou tratar-se de um fenómeno "relativamente frequente" na região, sendo contudo mais frequente nas áreas mais a sul do arquipélago.


Às 11:00 desta quarta-feira (10:00 nos Açores) o centro da tempestade encontrava-se a 1.265 quilómetros a sudoeste do arquipélago, com ventos de 100 quilómetros por hora e rajadas que chegam aos 120 quilómetros por hora.


A Protecção Civil da região, em comunicado publicado esta terça-feira, afirma que "esta situação não deverá causar alarmismo para já", recomendando que sejam adoptadas "medidas de autoprotecção em caso de tempestade" e garantindo que está em contacto com os serviços municipais de Protecção Civil e corpos de bombeiros de toda a região autónoma.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub