União Europeia Actividade do sector dos serviços em máximos de dez meses no Reino Unido

Actividade do sector dos serviços em máximos de dez meses no Reino Unido

O índice de gestores de compras para o sector dos serviços no Reino Unido fixou-se nos 55,2 pontos em Novembro, o que corresponde ao valor mais elevado em dez meses.
Actividade do sector dos serviços em máximos de dez meses no Reino Unido
Reuters
Ana Laranjeiro 05 de dezembro de 2016 às 10:49

Em Novembro, o sector dos serviços britânicos viveu o seu melhor mês em dez meses. O índice de gestores de compras (PMI) para o sector dos serviços fixou-se nos 55,2 pontos em Novembro, o ritmo de expansão mais acelerado desde Janeiro deste ano, de acordo com o relatório divulgado pela Markit/CIPS esta segunda-feira 5 de Dezembro. Em Outubro, o PMI dos serviços estava nos 54,5 pontos.

"O índice continuou acima dos 50,0 [pontos] pelo quarto mês consecutivo em Novembro, indicando a continuação da recuperação do crescimento a seguir à contracção registada em Julho relacionada com o referendo sobre a permanência do país na União Europeia", diz o comunicado da Markit/CIPS.

O crescimento tanto dos novos negócios como dos contratos em curso no Reino Unido "encorajaram os fornecedores de serviços a terem mais empregados em Novembro". "A taxa de crescimento do emprego atingiu o valor mais elevado desde Abril mas continuou mais fraca do que o ritmo registado durante 2014 e 2015".

Em relação aos próximos 12 meses, a Markit/ CIPS aponta que "as expectativas dos empresários continuam positivas – algo relacionado com a procura doméstica, novos contratos, oportunidade de exportação e novos mercados – mas enfraqueceu para o nível mais baixo desde Julho".

O Governo britânico já revelou que pretende accionar o Artigo 50 do Tratado de Lisboa até ao final do primeiro trimestre do próximo ano. A partir daí Londres e Bruxelas podem dar o pontapé de saída às negociações com vista à saída do Reino Unido da União Europeia.


"A recuperação do vasto sector dos serviços mostra que a recuperação do crescimento económico do Reino Unido continua robusto no quarto trimestre, apesar da incerteza que existe causada pelo Brexit", disse Chris Williamson, Chief Business Economist da IHS Markit.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub