Conjuntura Actividade económica estabilizou em Abril  

Actividade económica estabilizou em Abril  

O indicador do INE aponta para uma estabilização da actividade económica e um aumento do consumo privado.
Actividade económica estabilizou em Abril  
Nuno Carregueiro 21 de junho de 2017 às 11:34

O indicador do Instituto Nacional de Estatística para medir a actividade económica estabilizou em Abril, após ter recuperado ligeiramente em Março.

 

O índice registou uma taxa de variação homóloga de 2,5% em Abril, igual à registada no mês anterior. Em Fevereiro tinha aumentado 2,4%, o que representa uma queda face aos 2,5% registados em Janeiro.

 

"Em termos homólogos, a informação proveniente dos Indicadores de Curto Prazo (ICP), disponível até Abril aponta para uma desaceleração da actividade económica", refere o INE.

 

Informação mais recente divulgada pelo Banco de Portugal aponta em sentido contrário, já que sinaliza uma aceleração do crescimento em Abril e Maio, depois do crescimento de 2,8% no PIB do primeiro trimestre, que foi o mais forte em 10 anos.

 

No que diz respeito a Abril, o INE destaca "uma desaceleração mais pronunciada do índice de produção da indústria, tendo o índice de produção da construção também desacelerado, após ter acelerado nos três primeiros meses do ano". Também se verificou "uma desaceleração nos serviços e na indústria, de forma significativa no último caso", embora o INE saliente que "o comportamento de alguns indicadores não ajustados de efeitos de sazonalidade e de calendário, como é o caso das variáveis nominais referidas, poderá estar influenciado por efeitos de calendário".

 

Quanto ao consumo das famílias, os dados do INE apontam para um aumento em Abril, reflectindo a aceleração do consumo corrente.

 

"O indicador quantitativo do consumo privado aumentou em Abril, interrompendo a trajectória descendente observada a partir de Janeiro", sendo que "a evolução do indicador resultou de um contributo positivo mais intenso da componente de consumo corrente, tendo o contributo da componente de consumo duradouro estabilizado".

 

Uma subida mais expressiva foi registada no investimento. "O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) acelerou, prolongando a expressiva trajectória ascendente iniciada em Junho de 2016, em resultado do contributo positivo mais acentuado da componente de material de transporte", refere o INE.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar