Conjuntura Actividade económica estará a perder gás

Actividade económica estará a perder gás

O indicador de actividade económica calculado pelo INE para Setembro e Outubro diminuiu prolongando a tendência descendente, revela o instituto estatístico.
Actividade económica estará a perder gás
Paulo Duarte
Marta Moitinho Oliveira 21 de dezembro de 2016 às 11:46
A economia portuguesa terá perdido gás nos meses de Setembro e Outubro, de acordo com dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). "O indicador de actividade económica diminuiu em Setembro e Outubro, prolongando o perfil descendente anterior", escreve o INE.   

O indicador de actividade económica é uma medida aproximada da evolução do PIB, dando por isso uma tendência do andamento da economia. Este indicador desacelerou de 1,5% para 1,3% entre Agosto e Setembro, voltando a abrandar para 0,9% em Outubro. 

O desenho traçado pelo indicador de actividade do INE é diferente do que foi feito avançado pelo indicador coincidente do Banco de Portugal, que para Setembro e Outubro aponta para uma estabilização seguida de uma aceleração. 

Segundo explica o INE, "em termos homólogos, a informação proveniente dos Indicadores de Curto Prazo (ICP), disponível até Outubro, aponta para uma aceleração da actividade económica em termos nominais, em resultado do comportamento verificado nos serviços e na indústria. No mesmo sentido, o índice de produção da indústria acelerou em Outubro e o índice de produção da construção voltou a apresentar uma diminuição menos acentuada que no mês precedente".

Também o indicador de clima económico - que reúne a confiança dos vários empresários - aponta para um agravamento. "O indicador de clima económico diminuiu em Outubro e Novembro, após ter aumentado nos dois meses precedentes". Este indicador já tinha sido divulgado a 29 de Novembro pelo INE.

Em contraponto, a confiança dos consumidores continua a subir. 





A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 21.12.2016


CORTAR JÁ, NAS PENSÕES ATUAIS DOS LADRÕES FP / CGA

Os beneficiários da CGA não descontaram nem para metade da pensão que recebem.

O buraco anual de 4 600 milhões de €, da CGA, é sustentado pelos impostos cada vez mais altos suportados pelos trabalhadores e pensionistas do privado.

comentários mais recentes
fcj 22.12.2016

à custa dos impostos dos privados??? Os privados não pagam impostos!!!

pertinaz 21.12.2016

ESTA NOTÍCIA É UMA MALDADE

COMO PODE SER POSSÍVEL ???

TEMOS UM DESGOVERNO DE GRANDE CALIBRE QUE PÕE TUDO A FUNCIONAR....

...Á MARTELADA ...

Anónimo 21.12.2016


CORTAR JÁ, NAS PENSÕES ATUAIS DOS LADRÕES FP / CGA

Os beneficiários da CGA não descontaram nem para metade da pensão que recebem.

O buraco anual de 4 600 milhões de , da CGA, é sustentado pelos impostos cada vez mais altos suportados pelos trabalhadores e pensionistas do privado.

Anónimo 21.12.2016

É A CARANTONHA DO DIABO, ESSE FDP.

ver mais comentários
pub