Conjuntura Actividade económica cresce pelo terceiro mês consecutivo

Actividade económica cresce pelo terceiro mês consecutivo

A actividade económica voltou a crescer, em Setembro, acelerando o ritmo observado nos últimos meses. Já o consumo privado abrandou o seu crescimento.
Actividade económica cresce pelo terceiro mês consecutivo
Miguel Baltazar
Sara Antunes 14 de Outubro de 2016 às 12:44

O indicador de actividade económica do país aumentou 0,5%, em Setembro, o que representa uma aceleração do ritmo de crescimento, já que no mês anterior o aumento tinha sido de 0,4%, de acordo com os indicadores coincidentes de conjuntura divulgados esta sexta-feira, 14 de Outubro, pelo Banco de Portugal.

 

Já o indicador de consumo registou um comportamento oposto, tendo abrandado o ritmo de crescimento de 1,8%, em Agosto, para 1,7% em Setembro, "prosseguindo a trajectória ligeiramente descendente iniciada no final de 2015", salienta o Banco de Portugal.

 

Estes indicadores apontam para a evolução quer da economia quer do consumo. No caso da economia, o indicador aponta para que esta esteja a recuperar, depois da travagem brusca observada no início do ano. Em Setembro do ano passado, o indicador de actividade económica registou um aumento de 1,4%.

 

Já em relação ao consumo, a leitura é oposta, estado a verificar-se abrandamentos consecutivos no consumo das famílias.

 

Estes indicadores foram divulgados no mesmo dia em que será apresentado o Orçamento do Estado para 2017. Segundo a informação apurada, para este ano, o Governo vai cortar na projecção de crescimento, dos 1,8% previstos em Abril para 1,2%. Em 2017, as Finanças esperam uma aceleração do crescimento económico, para 1,5%.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 semanas


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

ACHA JUSTO? (a malta dos direitos adquiridos acha)

Os trabalhadores que tem agora 30, 40, 50 ou 60 anos estão a descontar para pagar elevadas pensões aos atuais pensionistas, que na sua maioria deixou de trabalhar aos 50 e tal.

Quando finalmente chegar a sua hora (aos 66 ou mais) vão receber brutalmente menos que os atuais pensionistas, com as mesmas contribuições.

Ou seja, haverá inúmeros casos de pessoas, com as mesmas contribuições, a receber pensões completamente diferentes, apenas porque se reformaram/aposentaram com alguns anos de diferença.

E para cúmulo, os que se reformaram/aposentaram com menos idade são os que recebem as pensões mais elevadas.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

ACHA JUSTO? (a malta dos direitos adquiridos acha)

Os trabalhadores que tem agora 30, 40, 50 ou 60 anos estão a descontar para pagar elevadas pensões aos atuais pensionistas, que na sua maioria deixou de trabalhar aos 50 e tal.

Quando finalmente chegar a sua hora (aos 66 ou mais) vão receber brutalmente menos que os atuais pensionistas, com as mesmas contribuições.

Ou seja, haverá inúmeros casos de pessoas, com as mesmas contribuições, a receber pensões completamente diferentes, apenas porque se reformaram/aposentaram com alguns anos de diferença.

E para cúmulo, os que se reformaram/aposentaram com menos idade são os que recebem as pensões mais elevadas.

pub