Europa Aeroporto em Paris reaberto após tiroteio

Aeroporto em Paris reaberto após tiroteio

Aeroporto esteve encerrado várias horas na sequência de um tiroteio que resultou na morte do atacante. O tráfego vai agora reabrir "progressivamente".
Aeroporto em Paris reaberto após tiroteio
Lusa 18 de março de 2017 às 13:30
O terminal Oeste do aeroporto de Orly, sul de Paris, onde o tráfego aéreo foi "completamente interrompido" depois de um homem ter sido abatido, foi reaberto a meio da manhã, anunciaram os Aeroportos de Paris.


"O terminal Orly-Oeste está aberto de novo e o tráfego vai ser retomado progressivamente", confirmou o presidente dos Aeroportos de Paris (ADP), Augustin de Romanet.


O homem abatido hoje no aeroporto de Orly-Paris, depois de ter roubado uma arma a um militar, estava identificado pela polícia e pelos serviços de informação, disse o ministro do Interior francês.

Em declarações à imprensa no aeroporto, Le Roux confirmou que o mesmo homem abriu fogo uma hora e meia antes do incidente no aeroporto, numa operação policial em Stains, a norte da capital, onde feriu uma agente.


O condutor do veículo disparou sob três agentes numa operação stop quando ia apresentar os documentos do carro, ficando um deles ligeiramente ferido.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Conselheiro de Trump 18.03.2017

Triste noticia,nao pela morte do terrorista q e menos 1,mas por ser 1 conhecido da policia.Se nao o querem preso,devolvam-no ao pais de origem.Ainda nao consegui compreender poque e q os pais do velho continente nao fazem pressao sobre os paises desta gente para os aceitarem de volta depois d errare