Mundo Agência de energia atómica confirma que Irão está a cumprir acordo nuclear

Agência de energia atómica confirma que Irão está a cumprir acordo nuclear

A Agência Internacional de Energia Atómica afirmou que o Irão está a cumprir a sua parte do acordo nuclear, enquanto Teerão afirmou que não vai renegociar ou limitar o seu programa de armamento, como pretende a administração norte-americana.
Agência de energia atómica confirma que Irão está a cumprir acordo nuclear
MUKHTAR KHOLDORBEKOV
Lusa 29 de outubro de 2017 às 17:55
O director-geral da agência, Yukiya Amano, visitou Teerão duas semanas depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçar abandonar o acordo assinado em 2015 pelo Irão e pelo grupo composto pelos Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha.

"A agência esteve a supervisionar e verificar de maneira imparcial, objectiva e rigorosa" o acordo desde a sua entrada em vigor em Janeiro de 2016, afirmou, sem comentar a posição de Trump, que quer rever os mecanismos de inspecção, retirar prazos às restrições impostas e acabar com o programa de mísseis balísticos iraniano.

No parlamento iraniano, o Presidente, Hasan Rohaní, afirmou que o Irão "fabricou, fabrica e fabricará mísseis, porque com isso não está a violar leis internacionais", considerando ridículo rever o acordo porque os Estados Unidos violam eles próprios acordos, incluindo alguns aprovados pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"Continuaremos a defender a nossa segurança nacional e aviso quem violar os seus compromissos de que isso será mau para si e a República Islâmica do Irão dar-lhes-á uma resposta determinante", declarou.

O acordo nuclear limita e permite controlo sobre o programa nuclear iraniano para evitar que produza armas nucleares, em troca do levantamento de sanções internacionais.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar