Banca & Finanças Alargamento da solução a mais lesados do BES e Banif é decisão política, dizem reguladores

Alargamento da solução a mais lesados do BES e Banif é decisão política, dizem reguladores

O Banco de Portugal e a CMVM assinalaram esta sexta-feira que o alargamento do diploma que vai permitir uma solução para os lesados do papel comercial do BES a outros lesados do BES e do Banif é uma decisão dos legisladores.
Alargamento da solução a mais lesados do BES e Banif é decisão política, dizem reguladores
Bruno Simão/Negócios
Lusa 07 de julho de 2017 às 20:17

Tanto José Gabriel Queiró, do Banco de Portugal, como Jorge Costa Santos, da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), ouvidos na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa (COFMA), da Assembleia da República, consideraram que os reguladores só podem actuar no âmbito das competências que lhes são atribuídas pela lei.

 

Quer o Banco de Portugal (BdP), quer a CMVM, reconhecem que é possível que haja mais clientes bancários lesados no âmbito das resoluções do BES (agosto de 2014) e do Banif (Dezembro de 2015), e que a lei que prevê a criação dos fundos de recuperação de crédito - que está a ser discutida na especialidade no parlamento - só vai permitir avançar com uma solução para os lesados do papel comercial do BES.

 

"O eventual alargamento da solução nunca foi sequer discutido pelo grupo de trabalho, pelo que não podemos extrair do trabalho em que participamos a resposta que os senhores deputados querem ter", afirmou José Gabriel Queiró (BdP).

 

O responsável bancário admitiu que "há situações muito diferenciadas" entre os investidores que terão sido vítimas de más práticas na comercialização de produtos por parte dos bancos em causa e que, por isso, vão enfrentar perdas após a intervenção das autoridades. "São situações muito distintas e heterogéneas", reforçou José Gabriel Queiró, acrescentando que os casos existentes não são directamente comparáveis entre si.

 

Já Jorge Costa Santos (CMVM) admitiu que "há seguramente outros grupos de lesados, pessoas que foram atingidas", além dos lesados do papel comercial do BES, considerando esta situação "lamentável" e garantindo que o supervisor do mercado de capitais "tem contacto diário com essas situações".

 

Segundo aquele responsável, existem "características específicas" relativas aos casos reportados às autoridades, havendo "indícios de comercialização irregular de valores mobiliários".

 

Mas, tal como o seu congénere do BdP, Jorge Costa Santos admitiu que a CMVM só pode estudar uma eventual proposta de alargamento de uma solução a mais investidores lesados se tal tiver por base um diploma legal.

 

Ambos os reguladores foram ouvidos no parlamento no âmbito da apreciação, na especialidade, da Proposta de Lei n.º 74/XIII/2.ª, que regula os fundos de recuperação de créditos, um elemento legislativo fundamental para viabilizar a solução desenhada pelo grupo de trabalho que tenta resolver o problema dos lesados do papel comercial de entidades do Grupo Espírito Santo (GES) vendido aos balcões do Banco Espírito Santo (BES).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

A CMVM e o BdP também deviam ser obrigados a indemnizar os lesados. São supervisores/reguladores e não supervisionam como não regulam desse modo acabam por colaborar nos intentos das burlas.

nuno pereira Há 2 semanas

o mais bonito e que alem de me roubarem o valor das acoes do banif ainda tenho de pagar todos os três meses comissões de guarda de títulos.isto e mesmo gozar com as pessoas,cambada de gatunos...

pub
pub
pub
pub