União Europeia Alemanha: CDU e SPD decidem até 12 de Janeiro se avançam para negociações oficiais

Alemanha: CDU e SPD decidem até 12 de Janeiro se avançam para negociações oficiais

O calendário dos contactos entre conservadores e sociais-democratas tendentes à formação de uma possível nova grande coligação foi conhecido esta quarta-feira.
Alemanha: CDU e SPD decidem até 12 de Janeiro se avançam para negociações oficiais
Reuters
A aliança conservadora (CDU/CSU) e o partido social-democrata (SPD) alemão vão começar no dia 7 de Janeiro conversas exploratórias com vista à formação de uma possível coligação de Governo e devem decidir até 12 do mesmo mês se avançam para negociações oficiais.

As datas para os contactos entre a CDU de Angela Merkel, a CSU de Horst Seehofere o SPD de Martin Schulz foram conhecidas esta quarta-feira, 20 de Dezembro, depois de um encontro entre os representantes dos dois partidos.

Cumprindo-se o calendário expectável, só em Março, no melhor dos cenários (ou Maio, na pior das hipóteses) será concretizada uma eventual nova grande coligação.

A direcção do SPD tinha dado luz verde ao início de conversas exploratórias na sexta-feira passada.

O eventual  alcance de um acordo entre conservadores e sociais-democratas ultrapassaria o impasse político resultante das eleições federais de Setembro, que redundou num fracasso das negociações para a coligação Jamaica (CDU/CSU-Liberais-Verdes).

O jornal alemão Handelsblatt noticiou este domingo que, no âmbito das negociações para a formação de governo, o líder do SPD, Martin Schulz, quer ficar com a tutela das Finanças germânicas. Uma pretensão que se inscreve na vontade manifestada pelo SPD de só voltar a integrar uma solução governativa liderada por Merkel se os sociais-democratas tiverem capacidade para influenciar a governação da maior economia do euro.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub