Alemanha reconhece que Espanha pode falhar metas de défice
01 Junho 2012, 11:44 por Sara Antunes | saraantunes@negocios.pt
1
Enviar por email
Reportar erro
0
A Alemanha considera que as medidas de austeridade implementadas por Espanha deverão permitir ao país consolidar as suas contas públicas. Mas admite que no actual contexto será difícil atingir as metas traçadas. Bruxelas já tinha admitido dar mais um ano a Madrid.
A Alemanha apoia as medidas anunciadas por Espanha, no âmbito da consolidação das contas públicas, contudo, “também reconhecemos que, por causa dos desenvolvimentos económicos adversos, pode ser difícil alcançar as metas” orçamentais, afirmou o porta-voz do Ministério das Finanças alemão, Johannes Blankenheim, citado pela Bloomberg.

O acordo aponta para que Espanha atinja um défice orçamental de 3% em 2013. Uma meta que a própria Comissão Europeia já admitiu que possa ser estendida para 2014.

Olli Rehn, comissário europeu dos Assuntos Económicos, disse ainda esta semana que Bruxelas poderia alargar para 2014, em vez de 2013, o objectivo do défice espanhol. Mas precisa de garantias de que Madrid vai controlar as regiões autónomas e consolidar as contas públicas.

Espanha tem estado sob os holofotes. Primeiro porque logo a seguir à tomada de posse deste Governo, foi revelado que o défice de 2011 seria bastante superior à previsão e superou mesmo os 8% do produto interno bruto (PIB). A meta de atingir um défice de 3% foi mantida para 2013, mas os últimos desenvolvimentos apontam para que esta meta seja atingida em 2014.

Depois do episódio do défice, veio a banca. O sector financeiro espanhol começou a revelar algumas necessidades e culminou com a nacionalização parcial do Bankia. Neste momento estão a ser desenvolvidas análises à banca espanhola para se conseguir aferir quais as suas necessidades efectivas de capital e qual será a participação do Estado nesse processo.
1
Enviar por email
Reportar erro
0
pesquisaPor tags: