Política Aliados sugerem que Merkel vai avançar para um novo mandato

Aliados sugerem que Merkel vai avançar para um novo mandato

Aos comandos do Governo alemão desde 2005, Angela Merkel poderá candidatar-se ao quarto mandato como chanceler nas eleições do próximo ano.
Aliados sugerem que Merkel vai avançar para um novo mandato
Reuters
Negócios 17 de Novembro de 2016 às 13:26

Um dos principais aliados de Angela Merkel avançou esta quinta-feira, 17 de Novembro, que a governante vai candidatar-se mais uma vez à liderança do partido, o que poderá abrir caminho a uma corrida pelo quarto mandato como chanceler da Alemanha.

 

Numa entrevista à Bloomberg TV, Michael Fuchs, líder da CDU na câmara baixa do parlamento, admitiu que "até onde sei", Merkel vai candidatar-se à presidência do partido no congresso que terá lugar entre 5 e 7 de Dezembro.

 

"Pode ser que faça um anúncio a 6 ou 7 de Dezembro", afirmou Fuchs, em declarações à Bloomberg.

 

As declarações de Fuchs surgem depois de um outro membro da CDU, Norbert Roettgen, ter garantido que Merkel – que está aos comandos do Governo alemão há 11 anos - vai mesmo candidatar-se a um quarto mandato nas eleições do próximo ano.

 

O antigo ministro do Ambiente, que não pertence ao círculo mais íntimo de Merkel, não explicou porque é que Merkel terá tomado a decisão, embora os assessores tenham vindo a salientar um conjunto de factores, que vão desde a vitória de Trump nas eleições dos Estados Unidos, ao Brexit e à ascensão das forças populistas em toda a Europa, segundo a Reuters.

 

"Ela vai candidatar-se a chanceler ", disse Roettgen à CNN, esta terça-feira. "E está absolutamente determinada, disposta e pronta a contribuir para fortalecer a ordem liberal internacional. Mas não podemos ver a chanceler ou a Alemanha como último homem de pé".

 

Apesar das garantias de Roettgen, um porta-voz da CDU esclareceu que "o que a liderança do partido disse permanece válido: [Merkel] vai comunicar a sua decisão na altura devida".

 

Embora as sondagens atribuam uma vantagem à coligação liderada por Merkel, a chanceler perdeu apoio popular devido às suas políticas de imigração, depois de ter deixado entrar perto de um milhão de migrantes na Alemanha, só no ano passado.

De acordo com uma sondagem divulgada no passado dia 9 de Novembro, Merkel conta com o apoio de cerca de 59% dos alemães para liderar a coligação entre o partido Democratas Cristãos e a União Social Cristã. 

 
A mesma sondagem revela que 35% do universo de 1.002 pessoas inquiridas não quer que a actual chanceler se candidate para um quarto mandato.

 

 

 

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub