Política Ana Teresa Lehmann: De mandatária de Rui Moreira a secretária de Estado da Indústria

Ana Teresa Lehmann: De mandatária de Rui Moreira a secretária de Estado da Indústria

A nova secretária de Estado da Indústria, além de catedrática da Universidade do Porto, é a líder da InvestPorto, o braço de investimento da autarquia da Invicta. Ana Teresa Lehmann foi mandatária de Rui Moreira para a Economia, Emprego e Inovação.
Ana Teresa Lehmann: De mandatária de Rui Moreira a secretária de Estado da Indústria
Ana Laranjeiro 13 de julho de 2017 às 19:59

Ana Teresa Lehmann vai suceder a João Vasconcelos na secretária de Estado da Indústria. Com um doutoramento (PhD) em Economia e Negócios Internacionais pela Universidade de Reading, Reino Unido, Ana Lehmann é professora na Porto Business School e Professora Associada da FEP-U.Porto. Foi, de acordo com a informação na página da Porto Business School, vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e já ocupou o cargo de pró-Reitora da Universidade do Porto.

No currículo, a nova secretária de Estado tem também o cargo de consultora de instituições internacionais, como a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), e de entidades governamentais e empresas. Na página da Porto Business School é ainda referido que Ana Lehmann "desempenhou diversos cargos executivos e não executivos na gestão de diversas empresas e fundações".


Ana Lehmann foi, nas eleições autárquicas de 2013, mandatária de Rui Moreira para a Economia, Emprego e Inovação. Num vídeo publicado no Youtube, em que é apresentada como mandatária pela candidatura de Moreira, Ana Lehmann diz que é "uma pessoa sem qualquer filiação partidária e que nunca participou em nenhuma campanha eleitoral".

Actualmente, lidera a InvestPorto, o braço de investimento da Câmara Municipal.


Há dois dias, na sua página no Facebook, Ana Lehmann partilhou a mensagem de despedida de João Vasconcelos, salientando os resultados obtidos e o "trabalho absolutamente extraordinário" do homem que agora vai substituir.


Já esta quinta-feira, durante a tarde, João Vasconcelos, no Facebook, desejou as "maiores felicidades" à sua sucessora. "É a pessoa certa para assumir a pasta da Indústria. Por ser mulher, por ser inteligente, por ser uma pessoa trabalhadora, com mundo, sofisticada. Ainda para mais vem do Porto, o que conta a favor de quem lida todos os dias com industriais e empreendedores e com a aplicação de fundos comunitários", referiu.


Do Porto para a Horta Sêca

Quando Ana Lehmann chegar à Rua da Horta Sêca, um dos temas que vai ter em cima da mesa é o Startup Portugal, a estratégia de apoio ao empreendedorismo. A maioria das medidas presentes nesta estratégia está já em curso. Exemplo disso são os Startup Voucher (uma bolsa mensal de 691,70 euros), o Vale de Incubação (vale de até cinco mil euros para ser usada junto das incubadoras de start-ups que estejam acreditadas pelo IAPMEI e que pertencem à Rede Nacional de Incubadoras) e Programa Semente (benefícios fiscais para quem investir em start-ups que entraram em vigor com o Orçamento do Estado para este ano). Ainda recentemente João Vasconcelos assumiu que a taxa de execução do Startup Portugal está próxima dos 90%.

Além disso, o Web Summit, a conferência de tecnologia e empreendedorismo que, este ano, pela segunda vez, vai realizar-se em Lisboa deverá ser outro tema com o qual vai ocupar o tempo.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Francisco António 14.07.2017

Rui MOREIA ?

Camponio da beira 14.07.2017

Parece ter a juventude necessária para poder trabalhar 16 horas por dia, e não estou a gozar. Se tem a experiencia de vida necessária ...é outra coisa!

pub