Américas Analistas revêem em alta estimativas de prejuízos do Harvey. Danos podem superar os do Katrina

Analistas revêem em alta estimativas de prejuízos do Harvey. Danos podem superar os do Katrina

Alguns especialistas acreditam que o furacão que assola o Texas poderá resultar em danos superiores a 100 mil milhões de dólares.
Analistas revêem em alta estimativas de prejuízos do Harvey. Danos podem superar os do Katrina
Reuters
Negócios com Bloomberg 29 de agosto de 2017 às 17:52

O furacão Harvey, que tem assolado o estado do Texas, nos Estados Unidos, poderá provocar mais prejuízos do que inicialmente estimado.

De acordo com a Bloomberg, os especialistas estão a actualizar as suas estimativas para os danos provocados pela tempestade, que poderão equiparar-se aos motivados pelo Katrina em 2005.

Segundo a agência noticiosa, a Enki Research já reviu em alta as suas estimativas para os prejuízos de 30 mil milhões de dólares, no início da semana, para 42 mil milhões de dólares, esta terça-feira.

"Assumimos hoje mais danos e obstruções nos sistemas de drenagem e controlo de inundações do que ontem", afirmou Chuck Watson, da Enki Research, numa nota enviada aos clientes.  

Alguns analistas, como David Havens, da Imperial Capital, estão ainda mais pessimistas, avançando que os custos associados ao Harvey poderão ultrapassar os 100 mil milhões de dólares, superando os danos causados pelo furacão Katrina em 2005, que ascenderam a 118 mil milhões.

Ontem, o JPMorgan estimava que os prejuízos estariam entre 10 e 20 mil milhões de dólares. Segundo o banco, este será um dos 10 fenómenos climatéricos com maior impacto histórico na indústria seguradora dos EUA, absorvendo em valor quase um trimestre de lucros deste sector.

Na nota enviada aos clientes, o banco referia que as seguradoras State Farm, Allstate e Farmers têm as maiores quotas de mercado no seguro de habitações e comércio na região afectada pelo furacão.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub