Angola Angola aumenta em 7% quantidade de diamantes exportados em Julho

Angola aumenta em 7% quantidade de diamantes exportados em Julho

A quantidade de diamantes exportados por Angola aumentou quase 7% entre Junho e Julho, chegando aos 858.919,13 quilates, correspondente a vendas globais que subiram para 98,3 milhões de dólares (82,3 milhões de euros).
Angola aumenta em 7% quantidade de diamantes exportados em Julho
Bloomberg
Lusa 31 de agosto de 2017 às 09:33
A informação resulta de dados do Ministério das Finanças compilados hoje pela Lusa sobre a arrecadação de receitas diamantíferas em Julho de 2017, apontando que Angola vendou em média, cada quilate, a 114,48 dólares, contra os 109,61 dólares do mês anterior.

As vendas de diamantes, segundo maior produto de exportação de Angola, renderam em todo o mês de Julho, aos cofres do Estado, 1.041 milhões de kwanzas (5,2 milhões de euros) em receitas fiscais, como Imposto Industrial e 'royalties' pagos pelas empresas mineiras, uma ligeira quebra face ao mês anterior.

Desde o início do ano, Angola já exportou 5.571.503 quilates de diamantes, que por sua vez renderam 8.607 milhões de kwanzas (43,5 milhões de euros) em receitas fiscais.

As vendas globais desde Janeiro ascendem já a 615 milhões de dólares (515 milhões de euros), período em que Angola chegou a exportar cada quilate a um preço médio de 123 dólares, pico atingido no mês de Março.

Os diamantes renderam a Angola 1.082 milhões de dólares (940 milhões de euros) em 2016, uma redução de 100 milhões de dólares (86,7 milhões de euros) comparativamente a 2015, segundo dados avançados em Dezembro passado pelo ministro da Geologia e Minas de Angola, Francisco Queirós.

"Em 2016, o subsector dos diamantes registou um bom desempenho no que se refere à produção industrial, tendo-se registado uma diminuição considerável no mercado artesanal motivado pela escassez de divisas no mercado cambial", explicou o ministro.

A produção total de diamantes atingiu os 8.934.000 quilates, correspondente a 99,21% da meta corrigida de 2016.

"Se não tivesse havido uma diminuição considerável na produção artesanal de quase 60% da produção, o volume total de diamantes este ano teria ultrapassado a meta e atingido cerca de 102% da cifra programada", disse o governante.

Francisco Queirós anunciou anteriormente a entrada em operação do maior kimberlito do mundo, o Luaxe, na província angolana da Lunda Sul, e de outros projetos de média e pequena dimensão nas províncias diamantíferas das Lundas Norte e Sul, de Malanje, do Bié e do Cuando Cubango, o que levará à duplicação da produção diamantífera angolana anual a partir de 2018.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Que bom 31.08.2017

Para a Isabel dos santos roubar

Saber mais e Alertas
pub