Angola Angola com recessão económica de 4,7% entre Janeiro e Setembro de 2016

Angola com recessão económica de 4,7% entre Janeiro e Setembro de 2016

Em 2015, a economia de Angola já tinha registado dois trimestres seguidos de crescimento negativo, entre Abril e Setembro, de 1,5% em média,
Angola com recessão económica de 4,7% entre Janeiro e Setembro de 2016
Reuters
Lusa 16 de maio de 2017 às 17:48

A economia angolana enfrentou nos primeiros três trimestres do ano passado uma recessão média de 4,7%, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística de Angola, disponíveis na página da instituição na Internet e consultados hoje pela Lusa.

 

De acordo com o Boletim do Produto Interno Bruto Trimestral, no primeiro trimestre do ano passado, a economia de Angola registou, sempre face ao período homólogo, um crescimento de -1,9%, a que se somou uma nova contracção de 7,8% e, finalmente, um recuo de 4,3% na riqueza produzida no país no terceiro trimestre, o que dá uma média de 4,7% nesses nove meses.

 

"O desempenho da economia de Angola vem evidenciando os efeitos de vários factores inerentes, nomeadamente, a conjuntura internacional adversa, com destaque para queda significativa do preço do petróleo bruto reflectindo-se nas taxas de variação do PIB", lê-se no documento, que não apresenta mais explicações sobre os números.

 

Ainda segundo o mesmo documento, a Electricidade e Água, os Correios e Telecomunicações e os Serviços de Imobiliário e Aluguer foram os únicos que conseguiram atravessar os primeiros trimestres sem qualquer crescimento negativo.

 

O sector de Extracção e Refino de Petróleo, o mais importante para a economia de Angola, registou um crescimento médio de 0,1% de Janeiro a Setembro do ano passado, tendo crescido 4,6% nos primeiros três meses do ano e depois caído 1,5% no segundo trimestre e 2,8% no terceiro.

 

O documento que está na página na Internet do INE de Angola, datado de Fevereiro, mas cujos números de 2016 não tinham sido ainda noticiados, demonstra que em 2015 Angola já tinha registado dois trimestres seguidos de crescimento negativo, entre Abril e Setembro, de 1,5% em média, tendo fechado o ano com um crescimento económico de 0,9%, o mais baixo desde 2010, o primeiro ano apresentado nesta série estatística.

 

O ficheiro com a medida da riqueza produzida por ano e sector de actividade desde 2010 não contempla ainda os números para o último trimestre deste ano, razão pela qual não é possível aferir qual foi a variação do crescimento económico de Angola no total do ano passado.

 

O Governo angolano chegou a prever um crescimento da economia de apenas 1,1% em 2016, entretanto revisto em baixa para 0,1%, enquanto a maior parte das instituições económicas internacionais aponta para uma estagnação ou valores aproximados de zero.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub