Economia ANMP pede audiências ao PR e PM para analisar difícil quadro financeiro das autarquias

ANMP pede audiências ao PR e PM para analisar difícil quadro financeiro das autarquias

O presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, anunciou hoje ter pedido audiências ao Presidente da República e ao primeiro-ministro para os alertar para as dificuldades financeiras do poder local.
Lusa 11 de maio de 2012 às 15:33
O presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, anunciou hoje ter pedido audiências ao Presidente da República e ao primeiro-ministro para os alertar para as dificuldades financeiras do poder local.

"Não se fazem omeletas sem ovos e nós cada vez temos menos ovos e cada vez temos menos possibilidades de fazer omeletas", afirmou Fernando Ruas, sublinhando que os encontros com Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho pretendem obter o seu empenhamento para uma mudança na forma como têm sido tratadas as autarquias em Portugal.

Fernando Ruas, que falava aos jornalistas em Ponta Delgada depois de um encontro com a Associação de Municípios dos Açores, salientou que os municípios portugueses perderam 119 milhões de euros "cortados directamente do ano passado para este ano", acrescentando que, nos últimos três anos, esses cortes ascenderam a "seiscentos e tal milhões de euros".

"Se a Lei de Finanças Locais fosse aplicada, teríamos recebido [nesse período] oitocentos e tal milhões de euros a mais", frisou, sublinhando que a condição financeira dos municípios se tem vindo também a agravar devido à redução das receitas próprias em consequência da crise.

O presidente da ANMP apontou ainda o aumento de encargos do poder local associado ao agravamento dos impostos, indicando que, no caso do IVA para a electricidade ocorreu um aumento imediato na factura autárquica de 45 milhões.

Fernando Ruas anunciou ainda que, depois das audiências com Cavaco Silva e Passos Coelho, a ANMP vai reunir o Conselho Geral para decidir as medidas a tomar, recordando que um estudo de opinião encomendado pela associação revelou que os portugueses têm uma "excelente imagem do poder local".

Os portugueses, segundo o presidente da ANMP, consideram que "é melhor haver mais dinheiro no poder local e menos no poder central", acrescentando que "isto reflecte que os portugueses cada vez mais encontram um melhor porto de abrigo no poder local".




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
cadavezmaislxiadosepobres 11.05.2012

tachada,... ou começassem a acabar com ela talvez as coisas começassem a melhorar,... bando de gatunos, criam tachos e empresas de tacho e até criam empresas privadas para fornecer as câmaras, ide roubar ao *******... se fosse eu fechava algumas câmaras,.... algumas já não se justificam,...

Brytes 11.05.2012

é uma falsa questão: é dinheiro que sai do Estado em forma de despesa/pagamento mas que entra no outro bolso do Estado em forma de receita/proveito...em vez de quererem é mais dinheiro para gastar conforme lhes convém, negoceiem é a forma dessa despesa(ou parte dela) de IVA ser devolvida ao município que a gerou, em vez de pedirem mais do que o aumento do IVA.

pub