Investidor Privado Antevisão da semana: Política monetária agita semana de Acção de Graças

Antevisão da semana: Política monetária agita semana de Acção de Graças

Depois de duas semanas agitadas, devido à eleição de Trump, os EUA comemoram a Acção de Graças cada vez mais certos que a Fed vai subir juros em Dezembro. A agitar a semana estão ainda dados económicos nos EUA e no euro.
Antevisão da semana: Política monetária agita semana de Acção de Graças
Reuters
Patrícia Abreu 20 de Novembro de 2016 às 19:00

Segunda-feira, 21 de Novembro

Política monetária
Mario Draghi discursa no Parlamento Europeu

A semana começa tal como acabou, com um discurso de Mario Draghi. O presidente do BCE vai fazer um discurso no Parlamento Europeu, onde deverá dar mais indicações sobre o rumo da política monetária na Zona Euro, menos de um mês antes da reunião de Dezembro. Do outro lado do Atlântico, o membro da Reserva Federal Stanley Fischer deverá reiterar uma subida de juros no próximo encontro.

Matérias-primas
OPEP tenta chegar a entendimento para implementar corte

O comité técnico da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) encontra-se em Viena para discutir a implementação do corte de produção acordado a 28 de Setembro. Ainda que vários representantes da Arábia Saudita se tenham mostrado, na última semana, optimistas em relação a ter avanços no acordo, os investidores continuam a revelar-se desconfiados quanto à sua implementação.

Terça-feira, 22 de Novembro

Resultados
Mota-Engil encerra época de resultados do trimestre no PSI-20

A Mota-Engil divulga esta terça-feira, 22 de Novembro, os números relativos à actividade no terceiro trimestre do ano. Com a divulgação das contas da construtora fecha-se a época de resultados trimestrais no índice de referência da bolsa lisboeta. Além da Mota-Engil, também a Glintt e a Martifer – cotadas no índice geral – apresentam contas ao mercado esta semana.

Quarta-feira, 23 de Novembro

Taxas de juro
Minutas da FED deverão apontar para subida de juros

Depois de vários membros da Reserva Federal dos EUA e a própria Janet Yellen terem vindo, na última semana, preparar os investidores para uma mexida na taxa de referência em Dezembro, deverão ser as minutas a apontar nesse sentido. As probabilidades no mercado de futuros dão como quase certa uma subida dos juros em Dezembro, sobretudo depois da especulação de que o plano económico de Trump irá criar pressões inflacionistas.

Obrigações
Tesouro tenta emitir até 750 milhões de euros em leilão

A agência de gestão de tesouraria e dívida pública (IGCP) realiza o último leilão de Obrigações do Tesouro de 2016. A instituição liderada por Cristina Casalinho procura levantar entre 500 e 750 milhões de euros em dívida com maturidade em Abril de 2021.

Quinta-feira, 24 de Novembro

Bolsa
Dia de acção de graças encerra mercados nos EUA

Esta será uma semana mais curta para os investidores norte-americanos, que comemoram na quinta-feira o Dia de Acção de Graças. Devido à comemoração deste feriado a negociação nas bolsas dos EUA está encerrada, naquele que será o último Thanksgiving de Barack Obama na Casa Branca.

Sexta-feira, 25 de Novembro

Dados económicos
Investidores seguem de perto dados dos serviços

A divulgação de indicadores económicos ao longo da semana vai continuar a marcar a negociação.  No final da semana, será divulgado o índice PMI para os serviços da Markit, que poderão confirmar a robustez da economia norte-americana. Ao longo da semana serão ainda revelados números relativos à venda de casas no país e indicadores de confiança na Zona Euro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Pois e,pois e,nem quero pensar que ja vao deixar a casa dos tres para se empoleirar nos 4% nos juros da divida.Por conseguinte os sinos vao assinar(Chalincar) aos ouvidos dosDBRS.Parece que estou a ver primeiro eleicoes parlamentares e so depois para as aldeias,aliaz o anao subvenc ja tinha alertado

pub
pub
pub
pub