Justiça Antigo gestor da BlackRock declara-se culpado de "insider trading"

Antigo gestor da BlackRock declara-se culpado de "insider trading"

Mark Lyttleton admitiu ter negociado acções das empresas EnCore Oil e Cairn Energy, em 2011, fazendo uso de informação privilegiada. A sua sentença será conhecida em Dezembro.
Antigo gestor da BlackRock declara-se culpado de "insider trading"
Bloomberg
Negócios 02 de Novembro de 2016 às 13:40
Um antigo gestor de fundos da divisão londrina da BlackRock declarou-se culpado de duas acusações de "insider trading" – abuso de informação privilegiada – num tribunal de Londres esta quarta-feira, 2 de Novembro.

Mark Lyttleton, de 45 anos, foi detido pelas autoridades em Maio de 2013 e vai conhecer a sua sentença no próximo dia 21 de Dezembro.

A autoridade de Conduta Financeira (FCA) do Reino Unido acusou o ex-gestor de fazer uso de informação privilegiada que obteve "por ter trabalhado nos acordos" relativos às empresas EnCore Oil e Cairn Energy, ou através de conversas com colegas.


Lyttleton comprou acções das companhias, em 2011, antes de ambas realizarem anúncios públicos sobre propostas de aquisição e venda de participações. "A negociação foi conduzida por Lyttleton através de um gestor de activos no exterior que negociou em nome de uma empresa registada no Panamá", acrescentou a FCA na sua acusação, citada pela Bloomberg.


Segundo os registos da FCA, Lyttleton trabalhou na BlackRock Investment Management entre 2001 e 2013.

A BlackRock, a maior gestora de activos do mundo, reiterou que as acusações se referem a supostas acções realizadas para benefício pessoal, fora das suas instalações. Por isso mesmo, garante a empresa, não houve impacto para nenhum dos seus clientes.

O abuso de informação privilegiada é um crime punível com pena de prisão até sete anos, no Reino Unido. 



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
val Há 5 horas

Só 7anos!

pub