Banca & Finanças António Costa: "A banca assumiu a sua responsabilidade social" nos incêndios

António Costa: "A banca assumiu a sua responsabilidade social" nos incêndios

O primeiro-ministro considerou hoje que a banca assumiu a sua responsabilidade social, ao ter disponibilizado uma linha de crédito de apoio às empresas afectadas pelos incêndios de 15 de Outubro, no valor de 100 milhões de euros.
António Costa: "A banca assumiu a sua responsabilidade social" nos incêndios
Lusa 14 de novembro de 2017 às 19:49

"A banca assumiu a sua responsabilidade social, não só com a linha de crédito, mas também com as condições que tem vindo a negociar com os seus clientes para a manutenção das suas actividades", sustentou António Costa.

 

Ao final da tarde de hoje foi assinado um protocolo para a disponibilização de uma linha de crédito de apoio à tesouraria e ao fundo maneio das empresas afectadas pelos incêndios de 15 de Outubro, no valor global de 100 milhões de euros.

 

De acordo com o presidente da comissão executiva da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Paulo Macedo, esta linha de crédito, que visa relançar a actividade das empresas, estará disponível durante seis meses, podendo ser extensível por mais seis meses.

 

"O montante máximo por empresa é de 750 mil euros, por prazos de quatro anos, incluindo dois anos de carência. Para além desta linha, a CGD, e como estou convencido outras instituições de crédito, estarão disponíveis para moratórias claramente para os seus clientes, relativamente aos empréstimos que já estão em curso", informou.

 

Ao longo da sua intervenção, Paulo Macedo destacou que os bancos estão comprometidos com a sociedade, empresas e empresários, não só porque é o seu dever, mas também porque é o seu propósito.

 

"As instituições de crédito comprometem-se a utilizar as capacidades dos seus profissionais para que esta linha tenha o maior alcance possível e possa chegar, efectivamente, a quem dela precisa", concluiu.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros Há 4 dias

Só António Costa não assumiu a sua responsabilidade nas tragédias que mataram tantos portugueses. E o presidente Marcelo deixa António Costa à vontade. Fraco presidente !...Fraco primeiro-ministro !...

General Ciresp Há 4 dias

Quando o selfie e os demais fogem com o cu a seringa,os bancos tomam essa responsabilidade.Ainda bem,para nao se dizer que a culpa morre SOLTEIRA.Pessoa ha que ainda pensam que os abracos e beijos do selfie resolvem as coisas,OH,OH.

pub