Política António Costa abre hoje debate quinzenal com intervenção sobre "política de emprego"

António Costa abre hoje debate quinzenal com intervenção sobre "política de emprego"

O primeiro-ministro, António Costa, abre hoje o debate quinzenal na Assembleia da República com uma intervenção sobre "política de emprego".
António Costa abre hoje debate quinzenal com intervenção sobre "política de emprego"
Bruno Simão
Lusa 10 de maio de 2017 às 07:35
Ainda durante a manhã, o Instituto Nacional de Estatística irá divulgar dados relativos ao emprego do primeiro trimestre de 2017.

À intervenção do chefe do Governo seguem-se as questões colocadas pelo PSD, BE, CDS-PP, PCP, PEV, PAN e, finalmente, PS.

Este será o primeiro debate quinzenal desde a polémica em torno do encerramento do balcão da Caixa Geral de Depósitos (CGD) de Almeida, que já levou a que a população e autarcas se tenham barricado naquela dependência bancária e que foi um dos assuntos abordados num encontro entre o Presidente da República e os presidentes do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da CGD.

O encerramento de balcões do banco público deverá ser um dos temas que pontuará o debate quinzenal com o Governo no parlamento, pelo menos através das questões colocadas pelo BE e PCP.

Fonte oficial do grupo parlamentar do Bloco disse à Lusa que os temas da Caixa Geral de Depósitos, pensões, precariedade, saúde e educação marcarão as perguntas colocadas ao primeiro-ministro pela coordenadora, Catarina Martins.

O PCP vai questionar o primeiro-ministro sobre a rede de agências da Caixa e também acerca da "tributação das grandes empresas e grupos económicos, designadamente no âmbito do Programa Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES)", além da questão da "política de emprego", informou fonte oficial do grupo parlamentar comunista.

Na sequência da polémica do fecho da agência do banco público na sede do concelho de Almeida, que motivou manifestações da população e dos autarcas locais, a CGD disponibilizou-se para instalar uma área automática na sede da Câmara de Almeida, com o apoio temporário de trabalhadores do banco.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub