Zona Euro António Costa acredita que novo governo alemão não travará progressos na Zona Euro

António Costa acredita que novo governo alemão não travará progressos na Zona Euro

O primeiro-ministro disse esta quinta-feira, em Tallinn, confiar que a formação de um novo Governo na Alemanha não implicará retrocessos nos progressos alcançados na Zona Euro, e elogiou as posições "muito corajosas" da chanceler Angela Merkel nesta matéria.
António Costa acredita que novo governo alemão não travará progressos na Zona Euro
Reuters
Lusa 28 de setembro de 2017 às 22:35

Em declarações à imprensa imediatamente antes de participar, na capital da Estónia, num jantar informal de chefes de Estado e de Governo da União Europeia sobre o futuro da UE, António Costa admitiu esperar com particular expectativa "o que a senhora Merkel pode hoje dizer", depois de ter sido reeleita no domingo passado para um quarto mandato como chanceler da Alemanha, embora fragilizada (a "sua" CDU obteve o pior resultado de sempre).

 

Apontando que, na discussão de hoje à noite, Portugal vai reafirmar que a grande prioridade deve ser a consolidação e aprofundamento da União Económica e Monetária (UEM), o primeiro-ministro sustentou que, "para isso, é absolutamente essencial dar prioridade à convergência, económica e social, entre as diferentes economias" e notou que o processo tem avançado: "Hoje estamos mais perto do que estivemos no passado", disse.

 

"As declarações da senhora Merkel em plena campanha eleitoral foram muito corajosas, porque não eram propriamente populares na Alemanha, e o seu compromisso com a zona euro foi importante", começou por observar.

 

Questionado sobre a anunciada saída de Wolfgang Schäuble do cargo de ministro das Finanças da Alemanha, estimou que "o estilo pode ser que mude", mas vaticinou que "a política há-de ser essencialmente a mesma".

 

"Mas depende muito da formação do Governo que vier a ser feita na Alemanha, visto que os resultados das últimas eleições deram uma grande indefinição sore as soluções de Governo, e as soluções de Governo implicam coligações com partidos que têm posições bastante diversas sobre o futuro da Europa, e portanto aí obviamente há uma expectativa obviamente grande para saber o que é que a senhora Merkel hoje pode dizer", disse.

 

António Costa disse todavia ter "confiança de que os progressos que designadamente a senhora Merkel apresentou, e o próprio senhor Schäuble nos últimos tempos apresentou, relativamente ao futuro da Zona Euro não tenham um retrocesso agora neste novo Governo alemão".

 

Ainda sobre o jantar informal de hoje, considerou-o "uma excelente oportunidade para prosseguir o debate sobre o futuro da UE", com novos contributos sobre a mesa.

 

"Tem havido várias posições públicas: o presidente (da Comissão Europeia, Jean-Claude) Juncker fez uma intervenção muito importante na reabertura do Parlamento Europeu, o presidente (do Conselho, Donald) Tusk convocou uma cimeira da zona euro para Dezembro, para aprofundarmos a reflexão sobre a Zona Euro, o presidente (francês, Emmanuel) Macron, a chanceler (alemã, Angela) Merkel recentemente tomaram posições públicas sobre a matéria, a senhora (primeira-ministra britânica, Theresa) May fez um discurso muito importante sobre o processo do Brexit, portanto há vários temas em cima da mesa que são importantes", disse.

 

O primeiro-ministro deslocou-se hoje à Estónia para participar num jantar informal de chefes de Estado e de Governo da União Europeia convocado pelo presidente do Conselho Europeu para um debate "aberto e franco" sobre o futuro da Europa.

 

O jantar de trabalho informal antecede uma "cimeira digital", que terá lugar na sexta-feira em Tallinn, na qual António Costa não participará (regressando a Portugal para o último dia de campanha para as eleições autárquicas), o mesmo sucedendo com o chefe de Governo espanhol, Mariano Rajoy, que se debate internamente com o polémico referendo previsto para domingo na Catalunha.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 2 semanas

Em menos de 1 semana tivemos 2 casos triste,para alem desta tirada do d.branca sobre Alemanha.A morte do bispo dos esfomeados,e a morte do homem q por certo enjuou de tanta mulher boa.Se anta Lucia so lhe falta o "S"para ser santa,e viveu pratica/no silencio da babuje,entao nao restam duvidas do bis

Progressos no endividamento? Há 2 semanas

Queres dizer continuar a viver à conta da dívida e a Alemanha a pagar?C/o novo gov alemão acabou-se a tanga do défice controlado c/ a divida

pub
pub
pub
pub