Eleições António Costa: "Não faço leituras nacionais de eleições regionais"

António Costa: "Não faço leituras nacionais de eleições regionais"

O líder do PS, também primeiro-ministro, deu os parabéns esta noite ao PS Açores e ao seu líder Vasco Cordeiro, pela vitória com maioria absoluta nas eleições regionais que decorreram este domingo nos Açores. Justifica a elevada abstenção pela "desnecessidade" face à esperada vitória do partido.
António Costa: "Não faço leituras nacionais de eleições regionais"
Miguel Baltazar
Alexandra Machado 16 de Outubro de 2016 às 22:49
O PS Açores conquistou a quinta vitória consecutiva para a Assembleia Regional, a quarta com maioria absoluta, numas eleições que decorreram este domingo, 16 de Outubro, mas nas quais o PS perdeu um deputado. Conquistou 30 deputados dos 57 com assento na Assembleia regional.

António Costa, líder do PS e primeiro-ministro, congratulou-se com os resultados, realçando a vitória do PS Açores e do seu líder Vasco Cordeiro. "É o reconhecimento da excelência da governação do PS Açores e do Dr. Vasco Cordeiro, mas também do conjunto da governação do PS Açores ao longo de 20 anos".

Uma maioria absoluta, mas com perda de um deputado. António Costa recusou fazer leituras nacionais. "Não faço leituras nacionais de eleições regionais. Foram as eleições da Região Autónoma dos Açores". E também recusou associar a perda de um mandato de deputado, quando o Bloco conquistou um. "Não tiveram relação entre si", declarou na conferência de imprensa após terem sido conhecidos os resultados eleitorais, que António Costa considerou como "inequívocos".

António Costa acrescentou, ainda, não haver perda de influência do PS. É a quinta vitória consecutiva, a quarta com maioria, lembrou. 

Só que a abstenção atingiu os 59,16%, um recorde em eleições regionais nos Açores. "Parte importante da abstenção, para além dos problemas dos cadernos eleitorais, foi que muita gente estava convencida do resultado vitorioso do PS" e, por isso, considerou a "desnecessidade de ir votar". Mas, acrescentou, "a abstenção é sempre um mau sinal, mas em nada diminui o resultado de vitória que o PS teve".

Mais uma vez dizendo não tirar ilacções para o cenário nacional, diz que gostaria muito que dentro de quatro anos o PS podesse repetir o resultado, mas "é cedo para fazer balanços finais da governação". 


Catarina Martins também reagiu ao resultado que para o Bloco de Esquerda foi histórico. A coordenadora do Bloco de Esquerda lamentou não ter conseguido retirar a maioria absoluta ao PS nos Açores. Mas também recusou comparações nacionais.

(Notícia actualizada às 00:01)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga Há 2 semanas

VERGONHICE!

Esta ilhota de treta que não é sustentável, senão com guita dos contribuintes do continente e cujos menos de 250.000 habitantes vivem quase exclusivamente de SUBSIDIOS, tem imagine-se um parlamento com 57 dePUTAdos !?!?!

E o tuga a pagar estas nulidades despesistas!

Este sitio miserável e atrasado não tem futuro!

Pisa-dela Há 2 semanas

Devias ter concorrido com a geringonça e verias o resultado .Espro que aqui apresentes a gerinçonça ao acto eleitoral

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub