Justiça Arguido do caso Lava Jato detido Santarém

Arguido do caso Lava Jato detido Santarém

O empresário luso-brasileiro Raul Schmidt, alvo de mandado de detenção para ser extraditado para o Brasil no âmbito do processo Lava Jato, foi detido no Sardoal, Santarém, indica uma nota da Polícia Federal, citada pelo jornal brasileiro Globo.
Arguido do caso Lava Jato detido Santarém
Negócios 04 de fevereiro de 2018 às 11:03

"Em trabalho conjunto de inteligência entre a Polícia Federal brasileira, Ministério Público Federal do Brasil, Interpol e as autoridades portuguesas, ele [Raul Schmidt] foi localizado e preso", refere a nota da Polícia Federal brasileira.

 

A Agência Lusa contactou o advogado de Raul Schmidt, Pedro Delille, que se escusou a confirmar o sucedido, remetendo para domingo de manhã esclarecimentos sobre a situação do seu constituinte.

 

No âmbito do processo Lava Jato, Raul Schmidt (na foto) é investigado pelo pagamento de luvas aos ex-diretores da Petrobras Renato de Souza Duque, Nestor Cerveró e Jorge Luiz Zelada - todos envolvidos no esquema de corrupção, branqueamento de capitais e organização criminosa relacionado com a petrolífera estatal brasileira Petrobras.

 

Segundo a imprensa brasileira, além de atuar como operador financeiro no pagamento de subornos aos agentes públicos da Petrobras, o empresário luso-brasileiro também aparece como intermediário de empresas internacionais na obtenção de contratos de exploração de plataformas da Petrobras.

 

Na 13.ª Vara Federal da Justiça Federal, em Curitiba, há dois processos contra Schmidt por corrupção, organização criminosa e branqueamento de capitais. As duas ações penais aguardam o resultado do processo de extradição.

 

O juiz titular do processo de extradição de Raul Schmidt no Tribunal da Relação de Lisboa considerou recentemente que estavam esgotados os recursos do arguido e emitiu um mandado de detenção do empresário luso-brasileiro, após a polícia não o localizar em casa.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Camponio da beira 04.02.2018

Esqueceram-se do Duarte lima ou esse continua ser protegido pelo padrinho da Pide. O mesmo que protege o Loureiro e o O. Costa e o Arlindo Carvalho.

jose 04.02.2018

Por coincidência, o Delille é advogado do Schmidt e do Sócrates. O que será que o Lavajato e o Sócrates têm em comum? Vígaroooooooooooooooooooooo.

Dono dos Burros 04.02.2018

Pouca vergonha. Com tanto Ladrão português com Roubos praticados em Portugal, anda esta gentinha a fazer de conta que trabalha. Deixem o Homem em Paz e vão prender os nossos.

pub